Tag: EUA

12 de junho de 2022

Trator movido a amônia está em testes nos Estados Unidos


trator movido a amônia

O protótipo da empresa Amogy foi montado em um trator John Deere e promete um sistema com zero emissões de carbono

trator movido a amônia

 

Trator movido a amônia

A empresa americana Amogy tem sede em Nova Iorque e é especializada no que chama de “descarbonização”. Para tanto, desenvolve sistemas que substituem motores diesel usando amônia como combustível. A agricultura está na mira, principalmente pela prática já consolidada do uso de amônia nas propriedades americanas. A infraestrutura já está lá, basta adaptar.

No final de maio, a Amogy testou com sucesso o protótipo de um trator movido a amônia em seus galpões no Brooklyn, em Nova Iorque. Tendo como base um trator John Deere 6195M, o sistema ammonia to power transforma a amônia em hidrogênio, que então alimenta uma célula de hidrogênio de 100 kW.

 

amogy

 

trator

 

trator john deere amônia

 

Ainda vai demorar um pouco para os sistemas da Amogy chegarem nas propriedades rurais americanas. Ainda em 2022, a empresa planeja desenvolver uma versão de 1 MW do seu conversor, com testes em caminhões e embarcações. Ainda sobre o trator: colocar vários protótipos funcionando em ambiente controlado é uma coisa, fazer um produto final onde seja seguro lidar e operar com a amônia no dia a dia, é um longo caminho.

Saiba mais sobre os sistemas da Amogy no site da empresa.


9 de maio de 2022

Cerveja John Deere vai ajudar agricultores nos Estados Unidos


Cerveja John Deere

Parceria de cervejaria americana com a John Deere vai reverter em ajuda financeira para os agricultores afetados pela crise

A cervejaria Busch, lá nos Estados Unidos, fez uma parceria com a John Deere e venderá, entre os dias 16 de maio e 3 de julho, uma edição especial de sua cerveja Light com latas verdes e a estampa de tratores John Deere. Os packs das latinhas serão fornecidos em versões de 24 e 30 unidades.

cerveja john deere

Cerveja John Deere

Para cada caixa de latinhas, a empresa vai doar US$ 1,00 para a Farm Rescue, uma ONG que ajuda agricultores em momentos de crise. O repasse será até o limite de US$ 200 mil. Não é a primeira vez que a cervejaria faz campanhas para ajudar agricultores. Até hoje, já foram doados mais de US$ 750 mil para a Farm Rescue através de promoções.

Saiba mais sobre a promoção no site oficial da parceria, neste link.

 


3 de maio de 2022

Venda de leite cru liberada em mais um estado nos EUA


leite crú

Cada estado decide sobre a comercialização do leite cru, mas a venda entre eles continua proibida nos Estados Unidos

 

leite crú

O leite cru (não pasteurizado) sempre foi tema de debates em nossa “era moderna”. Muitos que já passaram dos 40 e moraram nos bairros das nossas cidades viram seus pais comprando leite direto da carroça do leiteiro, enquanto a turma da zona rural dispensa comentários e possui acesso fácil ao produto, de forma informal ou da própria propriedade, até hoje.

Pra falar a verdade, a venda de leite cru é proibida no Brasil desde 1969, através do Decreto 923/1969. Mas aí é outra história.

Nos Estados Unidos, mais um estado liberou a venda de leite cru, com uma nova legislação que entrará em vigor já em 2023. Os produtores de leite do estado da Geórgia poderão comercializar o leite para consumo humano, melhorando a renda das famílias. Até então, o leite poderia ser vendido apenas para consumo animal.

raw milk georgia farmfor

O senador republicano Jeff Mullis bebendo leite cru direto na garrafa durante a apresentação da Lei. 

Com a Geórgia, serão 31 estados com leis que permitem a comercialização do leite não pasteurizado nos Estados Unidos. Há uma onda em defesa do leite por conta do valor nutritivo e os benefícios para a saúde. Da mesma forma, há grande oposição que sempre alerta sobre os perigos do consumo e a possível presença de bactérias perigosas.

Mas o negócio por lá não é fácil. Não dá pra sair vendendo leite em garrafa PET na feira. Os produtores precisam obter uma licença, instalar equipamentos para envase e deixar bem claro no rótulo da garrafa que se trata de leite cru.

Para quem tem curiosidade em saber mais sobre a legislação, o texto do Projeto de Lei está neste documento, em inglês.

Um produtor de leite na Geórgia recebe do laticínio cerca de US$ 1,60 por galão (3,78 litros), enquanto o leite cru para consumo animal (pet milk) é vendido na propriedade por valores entre US$ 8,00 e US$ 10,00. O leite para consumo humano deverá ficar no mesmo patamar.

 

 

 


2 de maio de 2022

Grain Weevil, o robô que quer proteger a vida dos agricultores nos silos


Grain Weevil

Grain Weevil

O Grain Weevil foi desenvolvido por estudantes americanos e serve para movimentar os grãos no topo dos silos, evitando ou diminuindo as entradas nas estruturas

Ben Johnson e Zane Zents, ambos estudantes da Universidade de Nebraska, nos EUA (engenharia elétrica e ciência da computação), já estavam envolvidos com projetos de robótica quando receberam o pedido de um amigo: construam um robô para que eu ou meus filhos jamais entrem em um silo de grãos. O medo não é por pouco: os acidentes em silos nos Estados Unidos mataram 20 pessoas só em sufocamentos no ano de 2020.

Além dos acidentes, o ambiente ainda causa doença nos pulmões em trabalhadores com muitos anos de exposição ao pó dos grãos. Com o temor do amigo, os dois partiram para criar uma solução com um enorme mercado em vista: são 450 mil fazendas nos EUA com armazenagem própria de grãos.

grain weevil farmfor

Dois anos depois, saiu o resultado: o Grain Weevil é um robô do tamanho de um cortador de grama que se locomove no topo dos grãos armazenados através de duas roscas sem fim. Com o movimento, o grão é “remexido” e crostas ou acúmulos são dissolvidos. Melhor ver a gambiarra em ação para entender:

 

O robô ainda está em fase de desenvolvimento e já passou por 200 propriedades nos EUA para testes. Por enquanto, ele ainda se movimenta por controle remoto, mas a autonomia (tal qual um aspirador de pó robótico) está por vir, bem como sensores diversos para informar ao produtor a situação dos grãos.

Desde o seu lançamento, o projeto já recebeu vários prêmios e apoio de diversas entidades americanas. O robozinho foi muito bem recebido pela comunidade agrícola e tem tudo pra dar certo.

Saiba mais

Grain Weevil – Site Oficial


11 de abril de 2022

Grupo está esvaziando pneus para lutar contra aquecimento global


Esvaziando pneus

Ativistas americanos procuram camionetes e SUVs parados nas ruas, esvaziam os pneus e deixam panfleto de protesto

 

Como dizem por aí, “Não há o que não haja” quando o assunto é protesto de ativistas climáticos. Um conhecido grupo da área ambiental está divulgando instruções para que afiliados e simpatizantes esvaziem pneus de camionetes e SUVs, pois estes seriam grandes vilões do aquecimento global.

Os membros procuram estes veículos em bairros de classe média alta e fazem o serviço, esvaziando os pneus e deixando um bilhete para o proprietário. As instruções foram divulgadas pelo Twitter do grupo Adbusters, atuante nos Estados Unidos (tomara que desocupados brasileiros não abracem a ideia):

adbusters

 

adbusters

 

Acima: postagem no Twitter dando as instruções para a sabotagem e os panfletos da campanha.

 

Esvaziando os pneus contra o aquecimento global

 

O Adbusters foi fundado no ano de 1989 no Canadá e tem ligações com grupos dos Estados Unidos, Japão, Suécia e França. É praticamente um grupo de esquerda anti-consumo que gosta de aparecer com campanhas de impacto. O grupo assume que mira nas SUVs para atingir a indústria automobilística.

Essa onda ambiental ainda vai acabar com algum ativista intoxicado com chumbo, e não será por via oral.

 

Veja também

Ativista vegano quase morre enforcado em abatedouro de patos

 


12 de fevereiro de 2022

Coxinha da asa é “indicador econômico” nos Estados Unidos


Coxinha da Asa

Todos os anos, milhões de coxinhas da asa são consumidas durante a final do Super Bowl nos Estados Unidos. O preço e a disponibilidade refletem a situação do mercado americano de frango

 

O Super Bowl é o jogo final da liga de Futebol Americano nos Estados Unidos, acontece desde os anos 60 e é um fenômeno nacional. Grandes anunciantes gastam rios de dinheiro em peças publicitárias neste dia, emissoras de TV batem recordes de audiência e as pessoas se reúnem em família ou entre amigos para acompanhar a partida.

Aí que entra o outro lado: são milhões de pessoas preparando ou comprando prontos os pratos tradicionais do evento. No topo da preferência, a coxinha da asa, ou Chicken Wings por lá.

coxinha da asa

A arte produzida pelo National Chicken Council: seriam necessários 17108 bitcoins para comprar 1,42 bilhão de coxinhas da asa. A brincadeira com a criptomoeda vem da aposta realizada pelo rapper Drake à favor do Los Angeles Rams.

Segundo a National Chicken Council, entidade que representa o setor de avicultora nos Estados Unidos, neste ano serão consumidas 1,42 bilhão de coxinhas da asa durante a partida. Para se ter uma ideia, o Brasil abateu no primeiro trimestre de 2021 cerca de 1,5 bilhão de cabeças de frango, ou um bilhão de coxinhas de asa por mês. Os americanos vão comer em um dia – assistindo esportes em casa, em bares ou restaurantes – um mês e meio do nosso abate.

Coxinha da Asa (americana) em números

 

Coxinha da Asa

Todo ano, o mercado usa informalmente o Super Bowl para dar números curiosos sobre as coxinhas e como foi o resultado da atividade. Para 2022, foi garantido que não faltaria frango para os abatedores e processadores, mas com um preço superior ao praticado em 2021. O frango foi muito consumido por conta da pandemia, que colocou pressão no mercado de trabalho (afetado com paralisações) e na logística em geral.

No início da pandemia, uma caixa de Chicken Wings custava no atacado cerca de US$60,00. Hoje, não sai por menos de US$ 120,00.

Os Estados Unidos abateram em 2020 a marca de 9,25 bilhões de frangos, oriundos de 25 mil famílias de produtores e uma pequena parte (5%) de grandes empresas produtoras. O país exporta 16% de sua produção principalmente para a China, México, Canadá, Taiwan e Vietnam.

A partida

O Super Bowl acontece no domingo, 13 de fevereiro, na cidade de Los Angeles, na Califórnia. Se enfrentam os times Cincinnati Bengals e Los Angeles Rams.

Veja também

Tá faltando frango nos Estados Unidos e a culpa é do Fast-food

 

 

 

 


24 de janeiro de 2022

Grand Coulee, a Belo Monte dos americanos


grand coulee

grand coulee

A construção de uma usina hidrelétrica modifica o meio ambiente e altera a vida de um grande número de pessoas. Se índios estão envolvidos a coisa toda é ainda pior pois conflitos seculares voltam à mesa já na apresentação do projeto. A reparação material é a única alternativa para os prejudicados, para danos nem sempre tangíveis.

Esta introdução poderia ser o começo de mais um post sobre a polêmica da contrução da usina Belo Monte, em Altamira, no estado do Pará. Não é. Vou contar a história de um problema bem americano: a construção da usina de Grand Coulee, no estado de Washington. Vamos chamar aqui esta usina de “a prima rica de Belo monte”. As coincidências nos dois casos são bem curiosas.

O Columbia é o maior rio do noroeste dos EUA, nasce nas montanhas do Canadá e deságua no oceano pacífico. O curso total é de 2000 km. A concepção da usina, seus desafios técnicos e questões ambientais começaram nos anos 20. Sua função mais nobre seria a irrigação, seguida por produção de energia elétrica e suporte à navegação. 13 anos depois as obras começaram, sendo o projeto mais inclinado à produção de energia elétrica, com sua capacidade original ampliada. Uma grande obra como esta teve grande apelo “político” pois a geração de empregos em uma américa pós grande depressão caia como uma luva. Ná época o governo chegou a contratar artistas que compuseram músicas sobre a usina, para convencimento da população, na base da apelação (…trazendo luz para a escuridão).

 

Well the world has seven wonders, the travelers always tell:
Some gardens and some towers, I guess you know them well.
But the greatest wonder is in Uncle Sam’s fair land.
It’s that King Columbia River and the big Grand Coulee Dam.

She heads up the Canadian Rockies where the rippling waters glide,
Comes a-rumbling down the canyon to meet that salty tide
Of the wide Pacific Ocean where the sun sets in the west,
And the big Grand Coulee country in the land I love the best.

Loonie Donegan – Grand Coulee

 

A construção foi finalizada em 1942, logo após a entrada dos EUA na segunda guerra mundial. Então a meta inicial de fomentar a irrigação deu lugar ao apoio total às usinas de alumínio (grandes consumidoras de eletricidade) para a fabricação de aviões. O processamento de plutônio também foi viabilizado na região por conta do fornecimento garantido de energia.

Os danos ambientais

Entre todos os danos óbvios, talvez o mais sentido na região seja o da diminuição ou extinção de alguns tipos de peixes típicos, incluindo o salmão. A inviabilização da piracema acabou com muitas espécies, o que nos liga ao item seguinte…

Os índios

A região do rio Colúmbia teve muitas reservas indígenas reduzidas e ou deslocadas por conta da construção da usina. Muitos dos rituais milenares destas tribos eram ligados aos peixes e seus santuários de desova, totalmente eliminados. 85 km2 foram inundados, destruindo locais de caça e cemitérios (alguns foram relocados). No lado branco da coisa não foi diferente. Uma cidade inteira (Kettle Falls) foi transferida.

 

spokane
Índios Spokane: não enfiaram o facão no pescoço de ninguém e hoje estão com a grana.

O grupo que representava as demandas dos índios (uma espécie de conselho tribal) não teve muita sorte logo nas primeiras audiências. A primeira reunião com o governo federal na época foi cancelada por um fato totalmente inédito. No mesmo dia o Japão bombardeava Pearl Harbor. E foi assim até os anos 90 quando esta comissão conseguiu na justiça uma indenização de 52 milhões de dólares e pagamentos anuais de 15
milhões. Quase 70 anos de briga.

Hoje em dia a Grand Coulee ainda é a maior dos EUA e quinta do mundo. Também é a maior estrutura de concreto daquele país. Tem uma capacidade instalada de 6809 MW. Em fornecimento anual só perde para a usina de Palo Verde, sendo esta nuclear. A região do rio Colúmbia já foi responsável por 40% da produção de alumínio dos EUA (17% do mundo) mas a oferta decrescente por conta das secas e a transformação da energia elétrica em commodity diminuiu esta produção em 80%. Mesmo assim a energia ainda é considerada barata, e grandes data-centers (inclusive o do google) estão migrando para a região.

Veja também

A maior lavoura de trigo do mundo


6 de janeiro de 2022

John Deere terá trator autônomo controlado pelo celular


CES 2022

As novidades da John Deere serão lançadas durante a CES 2022, uma das maiores feiras mundiais de tecnologia

CES 2022

Uma versão avançada do trator 8R da John Deere, totalmente autônomo e com uma espécie de “controle remoto” pelo celular será uma das novidades que a empresa preparou para a CES 2022, uma feira que não é agrícola, mas mostra as novidades tecnológicas em diversos setores. A edição deste ano acontece entre 5 e 8 de janeiro na cidade de Las Vegas, nos EUA. O carro da BMW que muda de cor e uma Silverado elétrica são outros destaques do evento.

É claro que trator autônomo não é novidade no mundo da agricultura e vários produtores andam por aí dando voltas na lavoura “sem as mãos”, trabalhando com suas máquinas guiadas por GPS. O diferente aqui é como as coisas são feitas: um kit desenvolvido pela John Deere é acoplado no trator 8R 410 contendo 12 câmeras e um chip da Nvidia, a mesma fabricante das placas de vídeo dos sonhos da maioria dos gamers. Do celular, o produtor monitora tudo o que está acontecendo, com imagens em tempo real.

O trator que custa na faixa de US$ 500 mil ganhará um acréscimo de cerca de 10% no preço para receber esta tecnologia. O conjunto estará disponível ainda em 2022.

Nota: Existem duas tecnologias importantes para os novos veículos autônomos: o reconhecimento de imagens por múltiplas câmeras e inteligência artificial e o LIDAR (sensores de laser que mapeiam o ambiente). A primeira opção é a escolhida pela John Deere, mesma linha seguida pelos russos da Cognitive. Confira em “Depois do trator sem motorista, a colheitadeira sem operador“.

Uma série de eventos terá a participação ou será apresentada pela John Deere na CES 2022: “Fronteiras na inteligência artificial para os negócios”, “A longa estrada para a direção autônoma total, “Dirigindo de forma autônoma com um propósito”, “Agarrando as oportunidades das inovações tecnológicas com o 5G”, “Esta não é mais a fazenda do Velho Macdonald” e “Arraste para o lado para começar a produzir” são os nomes.

Veja também

CES 2022: John Deere unveils self-driving tractor that can plough fields and sow seeds without a human driver


2 de dezembro de 2021

Cientistas criam drone com pernas para pousar em troncos e agarrar objetos


Drone com pernas

Drone com pernas batizado de SNAG foi criado “imitando” as aves falcão peregrino e uma espécie de papagaio

 

Os cientistas da Universidade de Stanford criaram um drone com pernas, partindo da observação do movimento dos pássaros falcão peregrino e Tuim Peruano. Um arranjo com garras e pernas foi adicionado a um drone padrão, deixando o aparelho com a capacidade de se agarrar a galhos de árvores e agarrar objetos em pleno voo. Tudo ainda está em fase de protótipo e não existe previsão para a comercialização. O estudo completo pode ser lido neste link.

drone que imita a ave

 

O conjunto de pernas possui sensores que monitoram a aceleração e velocidade do drone, realizando a “pegada” em cerca de 50 milisegundos. Mais de 20 versões das garras foram impressas em 3D para que a final fosse definida.

O nome SNAG é a abreviatura de Stereotyped Nature-Inspired Aerial Grasper, ou “garra aérea esteriotipada e inspirada na natureza”.

Entre as aplicações, os cientistas pensam em monitoramento ambiental, aproveitando a maior autonomia de voo, já que o drone poderia pousar em um tronco de árvore tranquilamente enquanto faz suas medições, sem interferência das hélices. Por enquanto, parte do movimento ainda é controlado manualmente, mas é questão de tempo para estes pássaros robóticos voarem por aí.

 

Veja também

 

V-Coptr Falcon, um drone de dois motores


12 de novembro de 2021

Professor ensina crianças a carnear alce na sala de aula


carnear

Cada aluno ganhou uma faca e um pedaço de carne e a atividade é carnear e conhecer as particularidades do animal de caça nos EUA

Esta história não é nova e ocorreu no Alasca, nos Estados Unidos. Como parte de um programa educacional para ajudar as crianças a conhecerem melhor a realidade onde vivem, uma escola começou a promover atividades que incluem a caça, abate e processamento “manual” dos animais, em plena sala de aula.

O Alasca é a última fronteira americana e por lá é comum a caça como proteção e sobrevivência, seja através de arma de fogo ou armadilhas. Nada mais justo que as práticas sejam ensinadas para as crianças desde cedo. E esta é a filosofia da Chugiak High School.

Uma das atividades foi extrema: o professor Brian Mason chegou pela manhã com um alce abatido na camionete. Com a ajuda dos alunos, levou o animal para dentro da escola e carneou ali mesmo, dando os pedaços menores (e uma faca) para cada um desossar e entender mais sobre a anatomia da caça.

alasca

 

A turma processou em sala de aula cerca de 90 kg de carne. Parte foi usada em um jantar de confraternização e o excedente doado para a caridade.

Provavelmente o Facebook e o Google vão limitar o alcance desta publicação só por conta das imagens e do tipo de informação que “ofende” pelo menos uns 3 grupos nas redes sociais. Compartilhe com um amigo, antes que apaguem! 

Receba nosso conteúdo pelo Telegram. Acesse este link para entrar no canal.

Veja também

Heineken tenta lacrar com “Dia Sem Carne” e leva invertida nas redes


25 de outubro de 2021

Tá faltando motorista de caminhão nos Estados Unidos


motorista de caminhão

motorista de caminhão

A associação dos caminhoneiros da América estima que em 2021 o país chegará na marca histórica de 80 mil vagas não preenchidas

Tá faltando motorista de caminhão nos Estados Unidos e todos os setores produtivos estão com problemas, incluindo aí o agronegócio. A American Trucking Association emitiu recentemente um relatório alertando sobre a falta histórica de 80 mil profissionais neste ano. E este número poderá dobrar até 2030. Os profissionais que fazem longas viagens entre os estados são os que mais faltam no mercado.

Entre as causas para a falta de caminhoneiros estão a média alta de idade (muitas aposentadorias), baixo interesse das mulheres (apenas 7% da força de trabalho), falta de motoristas “limpos” ou capazes de passar em um teste toxicológico, idade mínima de 21 anos (questão legal) para os novos motoristas e até mesmo a falta de estrutura de “beira de estrada” para atender os profissionais.

Segundo o site Talent.com, o salário médio de um motorista de caminhão nos Estados Unidos é de US$ 62 mil anuais ou US$ 32 por hora. Montana é o estado com o melhor valor (US$ 75 mil). Já o site especializado em vagas de emprego, o Indeed, aponta o valor médio nos EUA de US$ 70 mil.


14 de outubro de 2021

Dez mil funcionários entram em greve na John Deere americana


greve na john deere

Sindicato alega que não conseguiu estabelecer um novo contrato de trabalho para a categoria, que garanta remuneração para uma vida decente e aposentadoria com dignidade

Mais de dez mil funcionários da John Deere nos Estados Unidos entraram em greve na madrugada do dia 14 de outrubro. Foram afetadas 14 unidades da empresa em um movimento organizado pelo UAW – International Union, United Automobile, Aerospace and Agricultural Implement Workers of America.

Fundado em 1935, o sindicato é um dos maiores da América do Norte e representa trabalhadores de diversos setores, com mais de 400 mil associados na ativa e 580 mil aposentados nos EUA, Canadá e Puerto Rico.

greve na john deere

Nota no site do sindicato. Qualidade de vida, melhor aposentadoria e ambiente de trabalho.

Em nota, a UAW afirma que John Deere falhou em apresentar um acordo que atendesse as demandas dos associados, que pedem salários que garantam uma vida decente, aposentadoria com dignidade e regras justas de trabalho.

piquete john deere

Piquete estilo americano: funcionários em greve protestam na porta da John Deere em Ottumwa, Iowa. Fonte: Twitter de Sarah Beckman.

Piquetes foram organizados nas portas das fábricas e os grevistas estão prontos para “brigar por um contrato que satisfaça as necessidades dos empregados”.

Greve na John Deere: a resposta da empresa

John Deere Ottumwa

Pátio da unidade da John Deere na cidade de Ottumwa, Iowa.

 

Em nota, a John Deere declara:

“A John Deere está comprometida com um resultado favorável para nossos funcionários, nossas comunidades e todos os envolvidos”, disse Brad Morris, vice-presidente de relações trabalhistas da Deere & Company. “Estamos determinados a chegar a um acordo com o UAW que coloque cada funcionário em uma posição econômica melhor e continue a torná-los os funcionários mais bem pagos nas indústrias de agricultura e construção. Continuaremos trabalhando dia e noite para entender as prioridades de nossos funcionários e resolver essa greve, ao mesmo tempo em que mantemos nossas operações funcionando para o benefício de todos aqueles a quem servimos. “

Tendência

Os Estados Unidos estão sofrendo uma onda de greves em diversos setores. Nos primeiros cinco dias de Outubro, cruzaram os braços os funcionários da Kellogg em 4 estados, motoristas de ônibus escolares, zeladores em aeroportos, enfermeiros e até os 60 mil trabalhadores da indústria de cinema e televisão.

Veja também

Tá faltando frango nos Estados Unidos e a culpa é do Fast-food


13 de julho de 2021

Tanque de água explode e mata soldador nos EUA


tanque de água

tanque de água

Você sabia que um tanque de água pode explodir? O caso aconteceu no final de junho na cidade de Lemoore, no estado da Califórnia

Um tanque de armazenamento de água explodiu na cidade americana de Lemoore, no estado da Califórnia, matando um soldador e ferindo outro funcionário. Os dois faziam reparos e instalações no sistema de armazenamento de água da cidade.

A explosão do tanque de água que tinha capacidade para quase 6 milhões de litros provocou uma onda que destruiu boa parte da estrutura do local e tombou um caminhão. Vídeos de segurança dos prédios vizinhos captaram o momento do sinistro:

 

Não existe ainda versão oficial da causa da explosão, mas as suspeitas estão no acúmulo de gás metano ou sulfeto de hidrogênio dentro do tanque, ambos presentes no lençol freático da região que tem o seu abastecimento dependente de poços artesianos. O trabalho de solda teria provocado a queima do gás, provocando a explosão. O tanque “voou” a uma altura de 20 metros do solo.

Com a falta do tanque, a cidade precisou entrar em racionamento de água, o que já prejudicou até mesmo o trabalho dos bombeiros.

O sinistro tirou a vida do soldador Dian Jones, de 41 anos. O trabalhador deixou esposa e três filhos.

Veja também

Water tank explosion could take months to investigate


9 de julho de 2021

Marcas de Tratores – Kioti, do grupo coreano Daedong


Kioti

Kioti

A marca Kioti está presente na América do Norte e Europa desde meados dos anos 80, sendo o nome comercial para estes países da marca Daedong

A Kioti tem uma linha variada de tratores de pequeno e médio porte, cortadores de grama e diversos implementos agrícolas, além de veículos utilitários (similares ao Gator da John Deere).

O primeiro trator compacto foi lançado nos EUA em 1986. Em 1993, a Daedong passou a ter estrutura física no país. Na mesma época, a empresa montou estrutura na Europa, partindo da Holanda. Hoje, o continente conta com 500 revendas da marca.

kioti

kiotiO maior modelo de trator (PX1153PC) possui motor de 110 hp com 4 cilindros, tanque de combustível de 130 litros e câmbio sincronizado com 32 velocidades. A velocidade máxima é fixada em 40 km/h. As especificações completas (em inglês) você encontra neste link.

marcas de tratores

Apanhado geral de modelos da Kioti

Curiosidades

A coreana Daedong foi fundada em 1947, produzindo ferramentas para agricultura. Em 1949, já produzia motores e acumulava diversas premiações do governo. Sua linha de produtos inclui também pequenas colheitadeiras e equipamentos para o plantio de arroz.


18 de junho de 2021

Conta do Instagram faz coleção de b***das de agricultoras e agricultores. É sério.


conta no instagram

conta no instagramCom todo o respeito, conta do Instagram faz homenagem permanente para esta parte da anatomia humana daqueles que trabalham na agricultura

A conta FarmBooty é reconhecida como uma espécie de homenagem para milhares de traseiros (escrevemos assim para não levar ban do Facebook ou do Google) de agricultoras e agricultores.

Para contextualizar melhor, um dos apelidos nos EUA desta parte do corpo é “peach”, ou pêssego, pelo formato. Na internet, o emoji da fruta é tradicionalmente usado para significar, voces sabem bem o que. Sendo assim, acima de tudo a brincadeira tem um pouco de conotação agrícola natural.

 


Segundo o site especializado Modern Farmer, os responsáveis pela conta também são da área agrícola e trabalham nas redes sociais em anonimato. As imagens postadas são enviadas e autorizadas pelos próprios usuários, que exibem seus pêssegos de forma cotidiana, sem qualquer apelo, ou com algum toque artístico.

Farmbooty

A conta entrou em atividade em fevereiro deste ano, tem 1607 seguidores e já recebeu fotos de agricultores e agricultoras de diversos países. Se você mandar a foto para a Farmbooty, pelo menos lembre de marcar a nossa conta no Instagram para agradecer pela dica.

 


13 de junho de 2021

Para honrar os pais, estudante faz fotos de formatura na lavoura


formatura na lavoura

Fotos do álbum de formatura na lavoura em homenagem aos pais foram destaque na mídia americana. O fato aconteceu na Califórnia

Jennifer Rocha, uma estudante de sociologia da cidade de Coachella, na Califórnia, trabalhou junto aos pais na colheita de frutas e hortaliças desde a adolescência. Nas fotos de formatura do ensino superior, fez questão de deixar registrado esta parte de sua história.

 

formatura na lavoura

 

formatura na lavoura

 

formatura na lavoura

Formatura na Lavoura – partes do álbum de Jennifer Rocha.

Jennifer foi a primeira da família a conseguir um diploma de ensino superior e disse para a ABC News que a homenagem visa agradecer aos pais pela defesa da importância do estudo, para que ela e os irmãos não tenham a necessidade de trabalhar duro no futuro. A estudante e a família trabalhavam no plantio e colheita de morangos e outras culturas. A iniciativa quer ainda incentivar outras famílias de imigrantes para que trabalhem duro, pois vale a pena.

Jennifer Rocha está se formando em Sociologia com ênfase em direito e sociedade, na Universidade da Califórnia em San Diego.

As imagens da estudante se espalharam pelas redes sociais nos Estados Unidos, com manifestações de felicidade pelo feito até a ampliações para questões políticas, com debate centrado na questão da imigração.

Veja também

Hero Pay – o auxílio emergencial imposto por uma cidade americana


26 de maio de 2021

Sueca Väderstad compra empresa americana da AGCO


Väderstad

Väderstad

A Väderstad é lider em equipamentos para plantio e anunciou a compra da empresa americana AGCO-AMITY JV LLC

A Väderstad é uma empresa da Suécia, conhecida por fabricar plantadeiras que permitem (entre outras coisas) um plantio em alta velocidade, inclusive com o registro de recordes como já falamos aqui no blog em Plantio em alta velocidade com a Vaderstad Tempo L.

will-rich

Agora, a Väderstad emitiu nota anunciando 100% da compra da empresa americana AGCO-AMITY JV LLC. Com sede em Wahpeton, Dakota do Norte, AAJV, também conhecida pelo nome de Wil-Rich, será totalmente integrada ao grupo global de empresas Väderstad sob o nome da empresa Vaderstad Inc, diz a nota.

A Wil-Rich foi fundada nos anos 60 no estado americano da Dakota do Norte e produzia peças para caminhões antes de se tornar conhecida no ramo de implementos agrícolas. Depois de algumas idas e vindas no negócio, com sucessivas vendas, formou uma parceria com a AGCO em 2011, criando a atual AGCO-Amity JV, detentora das marcas Concord, Wil-Rich e Wishek.

 

 


22 de maio de 2021

Agricultor é condenado após contrabandear fumo para o Canadá


Agricultor é condenado

Agricultor é condenado

O fumo era contrabandeado pelo agricultor americano em um incrível esquema que envolvia reserva indígena, gangue de motoqueiros e snowmobiles

Se esta história não virar filme, é sinal que Hollywood já não é mais a mesma. Phil Caprice Howard, um agricultor da cidadezinha de Pink Hill, no estado americano da Carolina do Norte, montou um esquema milionário de contrabando de fumo dos Estados Unidos para o Canadá.

O homem já era um agricultor estabelecido, com faturamento de US$ 100 mil por ano e que recebia até mesmo subsídio do governo para plantar algodão, soja, milho e trigo quando começou a receber uma “renda extra” no mundo do crime, já em 2010. Tudo começou quando ele fechou uma parceria com contrabandistas da reserva indígena Akwesasne Mohawk, distante 1400 km da sua cidade e bem na fronteira com o Canadá.

Como a atividade do fumo é forte na sua região, ficou fácil montar uma rede de fornecedores de quatro cidades diferentes. O fumo já era entregue cortado (cut rag) para o agricultor que despachava a mercadoria para a reserva.

Já na reserva, os índios passavam o fumo para o lado canadense através de um rio, usando botes ou snowmobiles (motos de neve). Um segundo grupo de motoqueiros dos Hell’s Angels também levava o produto para outra reserva no país vizinho, a nação Mohawk.

No Canadá, o fumo era processado e transformado em cigarros. Tudo, é claro, sem pagar impostos para o governo canadense. O homem ainda mantinha contato com os “funcionários” usando telefones pré-pagos e falsificava uma série de documentos

O esquema durou nove anos, contrabandeou cerca de 2800 toneladas de fumo em 221 viagens e fez o agricultor lucrar US$ 2,5 milhões.

Agricultor é condenado

Phil Howard foi indiciado em 2018, preso em 2019 e na última quinta, 20 de maio, sentenciado a mais 6 anos de prisão e condenado a pagar mais US$ 1 milhão em restituição para o governo americano. No outro lado da fronteira, a bronca ainda é pior: calcula-se que o prejuízo em impostos para o governo é de 790 milhões de dólares canadenses.

Veja também

North Carolina Man Sentenced to 78 Months for Money Laundering and Filing False Tax Return in Tobacco Smuggling Scheme


15 de maio de 2021

Dia do Trator é tradição em escola nos Estados Unidos


Dia do Trator

Dia do Trator

Em algumas escolas de “ensino médio” dos Estados Unidos, cultua-se a tradição do “Tractor Day”, ou Dia do Trator. O único dia do ano onde adolescentes podem ir para a escola pilotando o trator da família.

A data varia de região para região, sendo o dia celebrado – obviamente – em localidades rurais do país.

No último dia 14 de maio, a WKBN (New Middletown, Ohio) noticiou o Dia do Trator na Springfield High School. O evento paralisa a cidade (no bom sentido, com dezenas de tratores nas ruas) e os jovens não perdem a oportunidade para exibir as máquinas, novas ou restauradas, no estacionamento da escola. Muitas praticamente parte da família que passaram de geração para geração.

Tratores em escola na cidade  de St. Louis. Foto: NPR / Ryan Delaney/St. Louis Public Radio.

dia do trator

Foley Tractor Day. Foto: Minnesota’s New Country.

Algumas regiões realizam o Tractor Day ao final da National Future Farmers of America Week que ocorre em fevereiro.

Aí está uma tradição que poderia ser cultivada também no Brasil, com tratores nas ruas não apenas em dias de protesto mas também em datas comemorativas, integrando os jovens rurais e as comunidades. Sabemos que aqui e ali algumas cidades promovem desfiles, mas seria ótimo em uma data nacional do agro, com grande movimentação.

 


6 de maio de 2021

Agricultor branco processa o governo Biden por racismo


agricultor branco

agricultor branco

Agricultor branco teve um perdão de empréstimo negado em um programa governamental de suporte financeiro durante a pandemia, por conta da cor da sua pele

Adam Faust, um agricultor da cidade de Calumet, no estado de Wisconsin, está processando a administração Biden, juntamente com outros 4 produtores, por racismo. Tudo por conta de um programa governamental para auxílio financeiro onde só pode aplicar quem for negro.

O programa fornece perdão para empréstimo tomado por agricultores. No processo, os autores revelam indignação com a perda de seus direitos constitucionais e declaram que com o perdão da dívida teriam a oportunidade de realizar novos investimentos, comprar equipamentos e dar suporte às famílias e para a comunidade.

Adam

Adam Faust na propriedade. Foto: Facebook da Faust Farms.

O programa federal em questão é chamado de American Rescue Plan e direcionará 4 bilhões de dólares para perdoar dívidas de agricultores com desvantagens sociais, mas só para negros, nativos americanos, hispânicos, nativos do Alaska, asiáticos ou habitantes das ilhas do Pacífico.

Os agricultores que processaram o governo são dos estados de Wisconsin, Minnesota, DAkota do Sul e Ohio. Segundo os principais sites de notícias dos EUA, o governo ainda não se pronunciou oficialmente.

 

Veja também

 

Calumet County farmer sues over racial requirements in loan forgiveness program 

Disabled white farmer sues Biden admin over ‘racist’ COVID relief plan



Publicidade