Categoria: Drones

6 de fevereiro de 2021

BQM-1BR, o drone fabricado pela Companhia Brasileira de Tratores – CBT


BQM-1BR




BQM-1BR

BQM-1BR, o Drone brasileiro.

Por incrível que pareça, a Companhia Brasileira de Tratores (CBT) fabricou um drone no início dos anos 80. O BQM-1BR era um protótipo de VANT (Veículo Aéreo não Tripulado) totalmente financiado pela empresa em parceria com o Centro Tecnológico da Aeronáutica.

A turbina que equipava o drone era igualmente brasileira e foi batizada de Tietê JT-2, funcionando com querosene aeronáutico, álcool ou gás natural.

O BQM-1BR no museu. Foto: Roberto Portella Bertazzo / MUSEU ASAS DE UM SONHO TAM UMA REALIDADE.

 

A ficha técnica que acompanha o modelo no museu. Foto: Diário de um Astrônomo.

O VANT pioneiro do Brasil tinha 3,89 m de comprimento e uma envergadura de 3,38 m. Sem câmera e de altíssima velocidade e altitude, o nosso drone só tinha uma fatal utilidade: servir de alvo para treinamentos militares.

Até hoje, um modelo sobrevivente do BQM-1BR está no acervo do Museu da TAM.

O “avião a controle remoto” da CBT

Há pouca informação sobre o drone da CBT disponível na internet. Com muita pesquisa, encontramos no acervo do Jornal Estado de São Paulo uma notícia do dia 27 de agosto de 1983. Na época, o destaque era a capacidade do Brasil em produzir uma turbina 100% nacional:

Em teste a primeira turbina a jato nacional

Da sucursal de Campinas

A primeira turbina aeronáutica a jato inteiramente nacional já foi desenvolvida e está em fase de testes no Centro Técnico Aeroespacial , de São José dos Campos. A revelação foi feita ontem, em São Carlos, pela CBT – Companhia Brasileira de Tratores – , empresa que construiu um avião a controle remoto para missões de reconhecimento, que está servindo de base para outros projetos de aeronaves maiores. O CTA construiu a turbina e a CBT, grupo industrial que assim entra também na área de produção industrial de material bélico, desenhou e construiu o avião.

Apresentado como alvo aéreo, o avião tem 3m91 de comprimento e envergadura de 3m48. Pode voar até a 700 quilômetros por hora a uma altitude de 6000 metros, e com uma autonomia de voo de 45 minutos. Leva consigo uma carga útil de no máximo 30 quilos, que pode ser empregada tanto em missões de reconhecimento aéreo, feito por equipamento de televisão, como até servir de míssil, se tiver uma carga detonante.

De acordo com o gerente de projetos especiais da CBT, Ove Schrim, o aparelho poderá ser usado ainda para interferir radares inimigos, com a acoplação de equipamento eletrônico específico no espaço da carga útil. Outra aplicação aventada por Schrim, que criou a aeronave, é detectar navios de superfície dentro da zona de soberania do país. Por fim, poderá ser usado também com fins científicos, como na pesquisa atmosférica. No treinamento aéreo, serve de alvo para canhões e foguetes antiaéreos.

Dois protótipos já foram construídos e serão experimentados até o final do ano. O projeto, que une o CTA com a CBT prevê a fabricação de 20 unidades a partir de 1984, numa escala piloto, e depois mais cem, para fornecimento tanto às Forças Armadas brasileiras como para exportação.

A CBT e o CTA vêm desenvolvendo o aparelho há três anos, inicialmente guardando em sigilo. Ontem, durante o lançamento da nova linha de tratores, o desenho do protótipo se encontrava disfarçadamente montado na fábrica. Procurado por O Estado e JT, o diretor Alberto Labsdessa acabou confirmando as informações. Com relação à sua parte, a CBT fez o investimento total com recursos próprios. 

Ficha Técnica: alvo aéreo. Velocidade mach .6 (720 km/h). Comando: controle remoto VHF. Peso: 90 kg. Motor: turbo-jato. Empuxo: 300n. Emprego: treinamento de defesa aérea.

O sonho do drone brasileiro em plena década de 80 passou pelas mãos da CBT, em parceria com o governo federal. Algum tempo depois, por diversos fatores políticos ou econômicos, A CBT acabou, deixando apenas a memória saudosista sem freio de seus tratores e esta peculiaridade, pouco conhecida dos brasileiros, dentro e fora da agricultura.

Faça parta das nossas redes sociais curtindo a página do Farmfor no Facebook e participando do nosso canal do Telegram.


2 de fevereiro de 2021

Drone pulverizador da chinesa Chufangagri leva até 18 kg de carga


Chufangagri




A Chufangagri é uma empresa com mais de vinte anos de atividade localizada na província de Henan, na China, especializada em drones multirotor ou de rotor único (mini helicóptero) para aplicações agrícolas.

Seu novo modelo, o 3WQF170, é um helicóptero para pulverização que pode levar até 18 kg de carga, com um peso total de decolagem de 60 kg. A autonomia de voo é de 60 minutos (seu tanque de combustível leva 2,5 litros).

 

A pulverização por drones está crescendo nos países asiáticos, até mesmo nas pequenas propriedades com plantações em locais de difícil acesso. Comprados pelos agricultores ou alugados de empresas especializadas em prestar o serviço de pulverização, são uma alternativa para este perfil.

Diferenciais do Chufangagri 3WQF170

 

A empresa declara que adotou um design modular em cinco partes, para facilitar a manutenção do drone, além de usar inteligência artificial para facilitar o controle da aeronave.

O drone mede 220cm de comprimento por 62cm de largura e altura de 72cm. Ainda que não publique no site o preço do drone, modelos assim são vendidos (FOB) na faixa de 25 a 30 mil dólares.

 

Veja também

 

Volocopter, o drone pulverizador da John Deere – equipamento tem 18 motores e é uma parceria da John Deere com uma startup da Alemanha especializada em transporte por drones.

 


12 de maio de 2020

Airboard Agro, o drone gigante para lida em parreirais


Airboard Agro

O Airboard Agro leva um tanque com 100 litros de capacidade e trata 6 hectares em uma hora

O Airboard Agro, da empresa letã Airboard Inc foi desenvolvido especialmente para trabalhos de pulverização de precisão nos parreirais. O maior destaque é a capacidade: seu tanque leva 100 litros de produto.

Visto de cima: o Airboard Agro é gigante.
O tanque é uma “bombona”.

Especificações técnicas do Airboard Agro

Segundo o site do fabricante, o drone gigante alcança uma velocidade de 7 m/s, pulveriza 6 hectares em uma hora de trabalho e leva um tanque de 100 litros. Com tanque cheio, tem capacidade para voar 12 minutos com uma carga da bateria.

Vazio, pesa 150 kg. Suas especificações superam em capacidade os drones DJI MG-1P e Yamaha R-MAX. É vendido ainda como uma solução 80% mais barata e 5x mais precisa que o uso de helicópteros.

Ainda que o carro-chefe seja o uso em parreirais, o fabricante recomenda para trabalhos em pomares diversos, cana-de-acúcar e lavouras de cereais.

Drone já ergueu um Papai Noel

No Natal de 2018, o Airboard ergueu um Papai Noel, uma jogada de marketing da empresa para exibir a capacidade de carga do equipamento. Onde Rudolph não pode chegar, o Airboard chega.

O custo do drone não é revelado, mas informações podem ser obtidas diretamente no site.


2 de fevereiro de 2020

Pyka, o drone pulverizador autônomo


pyka

O protótipo Pyka tem três motores podendo levantar voo com até 200 kg de carga e provavelmente trocará o nome se for vendido no Brasil

A startup americana Pyka está desenvolvendo um novo tipo de drone para pulverização, fugindo do modelo com multimotores já conhecido no mercado, como o Agras da DJI.

O modelo Pyka Egret adota o formato de avião convencional para levar uma carga de até 200kg de produto, pulverizando 40 hectares por hora. A empresa alega que é a única no mundo com um drone comercial elétrico de grande porte aprovado.


Mais dados: O drone precisa de apenas 45 metros de pista para decolar com carga total, tem três motores elétricos de 20 mil Watts e velocidade máxima de 144 km/h. O voo é totalmente autônomo, conforme planejamento do operador.

Todos os principais itens do drone – computador de voo, baterias, sistemas de pulverização e controle dos motores – foram desenvolvidos pela própria empresa, que tem em seus quadros ex-funcionários do Google X, Waymo, Joby Aviation, Kittyhawk e Cora.

A empresa já recebeu mais de US$ 11 milhões de investidores através do Prime Movers Lab. Entre eles, Y Combinator, Greycroft, Data Collective e Bold Capital Partners. Detalhes como preço do aparelho ou modelo de negócio ainda não foram revelados.

Visto primeiro no TechCrunch.


20 de dezembro de 2019

V-Coptr Falcon, um drone de dois motores


V-Coptr Falcon

O V-Coptr Falcon ou “bicopter” como também é chamado usa apenas dois motores direcionais e tem autonomia de até 50 minutos

O V-Coptr Falcon é um drone bem diferente de todos os disponíveis no mercado. Com apenas dois motores, ele usa um sistema de engrenagens que ajusta a posição dos motores, direcionando o voo e equilibrando o equipamento. O desenho até lembra um pouco o grande V-22 Osprey, conhecido avião militar americano fabricado pela Boeing.

A vantagem do drone com dois motores está no tempo de voo superior, onde teoricamente o arranjo faz o mesmo trabalho de 4. De acessórios, está dentro da média: câmera com sensor de 1/2.3 polegadas e 12 megapixels com gravação de vídeo em 4k e 30 fps. Vem com gimbal incorporado e o alcance da transmissão é de 7km em campo aberto.

A empresa Zero Zero Robotics, fabricante do drone, colocou o modelo em pré-venda no site ao preço de US$ 699,00.


8 de novembro de 2019

Volocopter, o drone pulverizador da John Deere


volocopter

 

Equipamento tem 18 motores e é uma parceria da John Deere com uma startup da Alemanha especializada em transporte por drones

A John Deere anunciou uma parceria para o desenvolvimento de um drone para pulverização. Junto com a empresa alemã Volocopter, vai lançar uma versão agrícola do modelo já existente, focado no segmento de transporte de cargas.

Volocopter Volodrone

O Volodrone (nome do modelo original) tem 18 motores, capacidade de carga de até 200 kg e autonomia de 56 km de voo com uma única carga das baterias.

volocopter

 

Acima: Volodrone original e abaixo a sua versão agrícola.
Volodrone
volocopter

Não há estimativa de preço. Saiba mais (em inglês) no anúncio oficial da Volocopter.


26 de setembro de 2019

DJI lança novo drone especial para agricultura


novo drone

Com 6 câmeras, novo P4 Multispectral dispensa o uso de sensores de terceiros nos mapeamentos NDVI e ainda vem com RTK

O novo Phantom da DJI (chamado agora só de P4) é muito parecido fisicamente com o modelo RTK lançado recentemente, mas com uma grande diferença técnica: vem com 6 câmeras. Conforme especificações do fabricante, são uma câmera RGB e uma sistema multiespectral com um arranjo de 5 câmeras, incluindo as faixas de cores azul, verde, vermelho, borda vermelha e infravermelho próximo, através de imagens em 2 MP obtidas por um obturador global em um estabilizador triaxial.

As câmeras do P4 Multispectral: dois iPhones XI Pro voando na lavoura 🙂

O drone é capaz de exibir na tela de controle a análise NDVI em tempo real durante o voo na lavoura, com um tempo máximo de 27 minutos e até 7km de alcance (o que pode variar muito, na prática).

Imagem RGB normal e NDVI, lado a lado.

O preço não foi divulgado e a DJI apenas disponibilizou alguns dados técnicos e um formulário de contato para os interessados, ao final deste link.

Novo drone não bate o Phantom RTK em qualidade de imagem

O P4 Multispectral não enterra de vez o Phantom 4 RTK, os dois são posicionados em mercados diferentes, já que a câmera RGB do novo drone tem sensor CMOS de 1/2.9” (com pixels efetivos de 2,08 MP). O Phantom RTK tem sensor de 1 polegada e 20MB de pixels efetivos (entre outras features superiores na câmera), dando um banho em qualidade de imagem.


10 de junho de 2019

Ag Cormorant, o drone pulverizador com capacidade para 500kg de carga


Ag Cormorant

O drone israelense Ag Cormorant está em testes e pretende substituir o uso do avião agrícola nas lavouras. O Brasil está na mira.

O drone Ag Cormorant é uma parceria da empresa Adama com a Tactical Robotics, sendo uma versão do Cormorant já existente para atender o mercado agrícola. O drone poderá pulverizar durante qualquer hora do dia, dispensar pista de pouso e realizar tudo isso com baixo nível de ruído.

O equipamento cabe em um caminhão, podendo ser levado para a lavoura e usado em minutos.

Vista lateral do drone Ag Cormorant.

A capacidade de carga do Ag Cormorant é de 500 kg. O desenho do drone aproveita o deslocamento de ar dos rotores para dar um incremento na penetração dos produtos nas lavouras.

Ag Cormorant em vídeo

https://youtu.be/0rkiVHrYHt8
Vídeo: a peça foi duramente críticada no Youtube pelas condições de voo demonstradas: muito alto.

Segundo os fabricantes, os mercados do Brasil, Argentina e Estados Unidos estão na mira. O drone será vendido como uma alternativa mais barata ao voo agrícola com aeronaves tradicionais, permitindo inclusive a aplicação mais próxima das áreas urbanas.

Vale lembrar que o Cormorant original foi desenvolvido para diversas funções como ambulância aérea, combate a incêndios e transporte pessoal. Seu nome anterior era Air Mule.

O drone pesa 1,5 tonelada (vazio) e atinge a velocidade de 185 km/h. Seus motores são instalados em dutos, diminuindo o risco de acidente e choque das hélices em obstáculos. O motor utilizado é o Turbomeca Arriel (o drone não é elétrico).

Veja também: Drones no Blog do Farmfor.

A empresa Tactical Robots (empresa israelense subsidiária da Urban Aeronautics) desenvolveu até agora duas unidades para testes e o preço final do drone ficará em torno de US$ 2,5 milhões. A promessa é de disponibilidade para venda ainda em 2020.

O drone tem um “primo” muito parecido e que pretende ser uma versão acessível para transporte urbano. Literalmente, um carro voador. Saiba mais sobre o CityHawk VTOL.


27 de novembro de 2018

Drones caem do céu em show aéreo na China


drones caem do céu

Show de luzes dançantes com drones deu errado e modelos caíram aos montes. Ninguém ficou ferido

 

O festival Hainan International Tourism Island Carnival, realizado na cidade chinesa de Haikou, programou para a sua abertura um show noturno com drones dançantes. A prática vem substituindo shows pirotécnicos em festividades pelo mundo afora e desta vez os equipamentos não entregaram o prometido.

 

 

 

 

300 drones da marca High Great faziam parte do show de luzes que desenharia imagens no céu, ponto a ponto, com as luzes dos aparelhos. Em plena apresentação, dezenas começaram a cair no chão, próximo da plateia. Segundo os responsáveis, a causa foi interferência magnética. Algumas horas depois do incidente, os drones caídos foram substituídos e o show seguiu sem problemas.

Veja também: textos sobre drones no Blog do Farmfor.


21 de junho de 2018

Um drone em formato de cobra voadora


O Dragon Drone é capaz de “desenrolar” em pleno voo e fazer movimentos precisos para ultrapassar obstáculos.

 

Imaginem um drone inspirado em uma espécie de cobra voadora. Este é o Dragon Drone, um protótipo desenvolvido na Universidade de Tóquio pela equipe dos cientistas Moju Zhao, Tomoki Anzai, Fan Shi, Xiangyu Chen, Kei Okada, e Masayuki Inaba. Confira no vídeo abaixo:

 

O drone tem um conjunto de quatro “nós” com duplas de hélices em dutos, controlados por um complexo algoritmo para dar equilíbrio ao sistema. Oficialmente, o DRAGON do nome significa “Dual-rotor embedded multilink Robot with the Ability of multi-deGree-of-freedom aerial transformatiON”.

 

Dragon Drone

 

O projeto é muito interessante e gera alguns questionamentos interessantes: será que um modelo destes com função de pulverizador seria viável? Daqui a pouco os chineses lançam algo parecido. É só aguardar.

 

Visto no site do IEEE.

 

Acompanhe tudo sobre este assunto no Blog do Farmfor através da tag Drones, clique aqui.


18 de abril de 2018

Drones agrícolas ajudam pequenas propriedades na China


Drones agrícolas

Êxodo rural fez os agricultores procurarem alternativas tecnológicas.

O êxodo rural está provocando mudanças na China, com vilarejos perdendo a força de trabalho para as cidades, ficando no campo apenas as mulheres, crianças e idosos.

Quem fica, procura alternativas para tocar o trabalho nas pequenas propriedades. Uma delas é a pulverização por drone, onde um equipamento que é capaz de levar 10kg de carga pode pulverizar um hectare em 30 minutos, contra 5 horas de trabalho de uma pessoa com pulverizador costal. E tudo isso com mais qualidade e segurança.

 

As cooperativas estão treinando operadores e fornecendo drones com subsídios governamentais de quase 90% do valor dos equipamentos. E, como quase tudo na China, os números são gigantescos para a nossa realidade: as províncias de Zhejiang, Anhui, Jiangxi, Hunan e Guangdong foram selecionadas para uma espécie de “programa de incentivo para pulverização por drones” do governo e apenas uma delas, Jiangxi, tem 1654 drones em operação, cobrindo 990 mil hectares.

Saiba mais

Todos os nossos textos sobre drones, neste link.

 


17 de setembro de 2017

Griff 300, um drone que pode erguer uma pessoa


Griff 300

O drone profissional tem 8 motores e hélices de fibra de carbono.

O Griff 300 é um drone da categoria heavy lift, com potentes motores e capacidade para levantar até 225kg (além dos próprios 75kg). É fabricado pela empresa com o mesmo nome – Griff Aviation – com promessa de uma nova geração com capacidade para erguer até 800kg. O Griff 300 tem autonomia de voo de 30 até 45 minutos.

 

 

A empresa nasceu para fabricar equipamentos na indústria cinematográfica, mas estas tecnologias logo estarão disponíveis para aplicações no salvamento de vítimas de acidentes, transporte de cargas e agricultura. Com a evolução das baterias e rendimento dos motores elétricos aumentando a cada dia, estes modelos viram alternativas viáveis para o campo.


14 de setembro de 2017

ALTI Transition, um drone diferente


ALTI Transition

Equipamento une o melhor de dois mundos (asa fixa e multirotor) para uma melhor performance

 

ALTI Transition foi desenvolvido na África do Sul e apresenta 4 motores dispostos na formação tradicional de uma aeronave multirotor, mas também tem uma destacada asa fixa e um quinto motor traseiro. Ele pode fazer a decolagem vertical e ter o comportamento da asa fixa durante o trabalho.

Com envergadura de 3 metros, payload de 1,5 kg e duração de voo de até 10 horas, o Transition é o “irmão menor” em escada do modelo Reach, que tem o dobro do tamanho e payload de 8kg.

 

 

 

 

O drone é todo desmontável e cabe em um baú, típico destes equipamentos. Sobre preços e demais dados, contacte o fabricante.


30 de agosto de 2017

Drone sem hélice e silencioso ainda é um protótipo


Projeto quer tornar o uso de drones mais aceitável, eliminando o barulho característico destas aeronaves.

 

Drones são legais e nós, da agricultura, sonhamos em comprar um “brinquedinho” destes para diversos tipos de uso, desde o recreativo até o mais sério, na análise de imagens, por exemplo.

Quem tem sabe que muitos modelos emitem um som estridente, inviabilizando o uso em certos ambientes. Pensando nisso (e na segurança), o designer Edgar Herrera criou o conceito de drone sem hélice, funcionando apenas com o sopro de ar através de dutos, com três direcionadores de fluxo auxiliando o “canal principal” do aparelho.

 

 

 

O projeto tem muitos desafios pela frente (baterias, autonomia de voo), mas tem tudo para dar certo.

 

https://instagram.com/p/BMWp_CDBIEM/?utm_source=ig_embed

 

 

Bladeless Drone no site We Talk UAV.


24 de agosto de 2017

Tikad, um drone que dá tiros de fuzil e lança granadas


Tikad

Solução pretende diminuir o envio de soldados para o campo de batalha

 

O Tikad é um drone capaz de voar carregando um fuzil e ainda atirar com razoável precisão. Desenvolvido pela empresa Duke Robotics, tem como público-alvo governos e forças armadas do mundo inteiro, focado especialmente no combate ao terrorismo.

Não, não está disponível para quem tem probleminhas com abigeato e quer dar um upgrade na segurança da propriedade. De qualquer maneira, estas soluções abrem espaço para pesquisas na área, melhora nos sistemas de controle destes equipamentos e avanços que vão beneficiar indiretamente, no futuro, áreas como a da agricultura.

 

 

 

O preço não foi divulgado 🙂

6 de agosto de 2017

Exército americano manda retirar todos os drones da DJI de suas operações oficiais


drones da DJI

Vazamento de informações e outros problemas de segurança estão entre as irregularidades alegadas. A fabricante nega

 

O exército americano proibiu o uso de drones da DJI em suas operações, através de um memorando distribuído para as suas unidades no último dia 2 de agosto. As ordens são para imediatamente encaixotar os equipamentos, desconectar baterias e desinstalar aplicações, até segunda ordem.

Vulnerabilidades (leia-se medo que que os drones enviem mensagens para a fabricante chinesa, incluindo vídeos e fotos pela internet) provocaram o banimento. A DJI alega que não faz nada que viole a privacidade dos clientes, mas no seu termo de uso consta que poderá, abaixo de uma intimação judicial, copiar dados dos clientes.

Para a agricultura, não existe tanto perigo. É muito mais fácil “espionar” o rendimento de nossas lavouras através da compra de imagens de satélite.

Resta saber se a empresa resistirá a este golpe na reputação e se outros usuários poderão abandonar o barco, junto com o exército.

Saiba mais (em inglês), aqui.


30 de maio de 2017

Drone para agricultura – Parrot Disco-Pro AG


Drone para agricultura de asa fixa promete a cobertura de vários hectares em cada voo

 

A empresa francesa Parrot é pioneira no mercado de drones. O modelo AR.Drone foi o primeiro drone para recreação de uso popular nos idos de 2010, trazendo o tradicional controle por celular e câmera. Desde então, vários fabricantes entraram no mercado, com a DJI, mais tarde, virando uma forte concorrente no segmento recreativo e semi-pro

Parrot AR.Drone 2.0, de 2012.

 

Um drone profissional da Parrot

Hoje a empresa tem uma ampla linha de drones e sensores para captura de imagens. a linha de modelos com asa fixa tem um exemplar dedicado ao trabalho agrícola, o Parrot Disco-Pro AG. Vendido em um kit com diversos acessórios, tem o preço básico de US$ 4499,00 nos EUA.

 

 

O drone é simples de usar, mas decola manualmente, como a maioria dos drones de asa fixa. Com uma carga completa da bateria, pode cobrir uma área de 80 hectares voando a 120 metros de altura. Quem compra o Disco-Pro AG ainda recebe um ano de assinatura do sistema Airinov, para análise de dados das imagens. Com este fluxo de trabalho, em poucas horas a lavoura pode ser analisada e já seguir para a aplicação de produto, conforme a análise NDVI.

Visite o site da Parrot.


8 de abril de 2017

Um drone para agricultura que voa 2 horas sem parar e carrega 20kg de produto


O HYBRiX.20 é um drone que mistura motor de combustão convencional e elétrico, para aumentar a autonomia e potência.

 

Os drones estão melhorando.

Quaternium é uma empresa espanhola que desenvolve drones híbridos, com um motor de combustão convencional que gera energia para os motores elétricos que fazem a propulsão e direcionamento do equipamento. Isto representa maior autonomia e capacidade de carga. O Hybryx.20 pode carregar cerca de 20 kg de carga, cerca de 18 litros de produto para aplicação + acessórios.

Teste de 2 horas de voo com 20kg de carga:

 

 

 

A Quaternium também fornece todos os sistemas de controle e planejamento de voo para aplicação. Outros modelos com capacidade para até 100kg de carga estão em desenvolvimento. A empresa não publica o preço dos modelos.


10 de outubro de 2016

Operadora dos EUA vai usar drones para aumentar a cobertura de sua rede 4G


O foco inicial do projeto está no aumento de cobertura em áreas afetadas por desastres naturais.

Drones de grande capacidade, carregando em seu interior uma estação de rádio completa, para a comunicação de redes celulares 4G. O projeto está em desenvolvimento pela operadora Verizon, nos EUA.

O foco está na possibilidade imediata de disponibilizar, de forma rápida e eficiente, uma rede para locais atingidos por acidentes ou desastres naturais. Quando em pleno funcionamento, a empresa investirá na oferta de serviços para monitoramento de oleodutos, geração de imagens de lavouras e linhas de alta tensão.

Drone operadora celular

As leis americanas proíbem o uso de drones além da visada do controlador, ou seja, quem está com o rádio na mão precisa estar permanentemente em contato visual com o equipamento. De qualquer maneira, a empresa já está em processo de certificação de seus equipamentos e na expectativa da mudança das leis, para a ativação do sistema, em um futuro próximo.

Vale lembrar que a Verizon não está sozinha. Google e Facebook estão na corrida para a implementação de conexões de internet por drones e balões.

Saiba mais sobre o Projeto Aquila, do Facebook.


6 de junho de 2016

R-MAX, o super drone com funções agrícolas da Yamaha


A tradicional fabricante japonesa também atua na área de drones, desde 1990!

Na realidade, o R-MAX da Yamaha é um enorme helicóptero de rádio-controle como muitos do mercado, mas com motor mais forte e porte avantajado. Mas aí veio a moda dos drones em todos os setores e pronto: vamos chamar de drone.

O R-MAX tem 3,6 m de comprimento, 72cm de largura, 1,08 m de altura e pesa 64 kg (vazio). Consegue levantar uma carga de 30 kg e tem motor de 2 cilindros, 240 cilindradas à gasolina, refrigerado à água. As pás do rotor formam um diâmetro de 3 metros.

Além da função básica que é a de pulverizar lavouras, o drone também já foi usado em diversas missões de levantamento fotográfico em desastres no Japão. 2500 unidades do R-MAX já foram fabricadas.

Agora a parte triste: o brinquedinho custa US$ 86.000,00.

 



Publicidade

  • 1
  • 2