Tag: Curiosidades

19 de maio de 2021

Casal da Inglaterra batiza o filho com as iniciais formando a palavra FARM


baby farm

Casal inglês batizou o filho com o nome Frederick Arthur Reuben Martins, com as iniciais formando a palavra FARM (Fazenda, em inglês)

Um casal da cidade de Melton Mowbray, Leicestershire, na Inglaterra, gosta de misturar aspectos do agro na sua vida íntima. Na cerimônia de casamento, em 2016, Carl e Natalie usaram os préstimos de um bezerro para carregar as alianças até o altar. Agora, mais uma façanha: batizaram o filho com o nome Frederick Arthur Reuben Martins, com as iniciais formando a palavra FARM (fazenda, em inglês). Melhor seria Farmfor, mas faltou criatividade (ignorem esta última parte).

casal inglês batiza

O casal é produtor de leite. O bebê também foi uma bênção especial: o casal lutava com problemas de fertilidade após 14 anos de tratamento contra um câncer testicular. Que a família do agro inglês tenha toda a felicidade que merece.

Visto no Deadline News.


13 de fevereiro de 2021

Arroba da Vaca ou do Boi: como surgiu a unidade de medida para gado


arroba da vaca

Arroba da Vaca ou do Boi – você já ouviu esta frase por aí

A arroba da vaca ou do boi é uma expressão comum no cotidiano do agronegócio brasileiro. A arroba é uma unidade de massa que equivale em terras brasileiras a 15 kg.

Em “terras brasileiras” pois o valor difere de país para país. Na Arábia Saudita, equivale a 11,3 kg. Em regiões da Espanha 16,3 kg e no Brasil e em Portugal 14,688 kg, arredondados para 15kg.

Taula de Ariza, texto de 1448 com o que pode ser o primeiro uso registrado de @ no mundo.

Uma arroba equivale a quarta parte do quintal  – o nome arroba vem do árabe al-rub (quarta parte) ou arrúb no árabe hispânico -, outra unidade de medida. O quintal era considerado pelos antigos como o peso que uma mula poderia carregar. Para deixar tudo mais complicado, este também tinha variações.

Pausa no preço do boi gordo para falar do @ “arroba” da internet

 

arroba da vaca

O arroba do teclado e símbolo que separa o usuário do servidor no endereço de e-mail tem uma origem diferente. Ele começou a aparecer nas máquinas de escrever antes do final do século 19 para ser usado como “A Comercial”. Nos países de língua inglesa, o @ era abreviatura de “comercial at”, antecedendo o preço dos produtos por unidade. Ex. 3 livros @ £20 = £60. Via Wikilengua.

Cotações – Preço do Boi Gordo e outras, consulte aqui.

Veja mais Curiosidades no Blog do Farmfor.


15 de novembro de 2020

Na antiga União Soviética, bebês eram batizados com nome de trator


União Soviética




União Soviética

Os nomes mais populares nos bebês russos do ano de 2020 foram Alexandre para os meninos e Sofia para as meninas, seguidos por Maria, Anna, Victoria, Alice, Polina, Mikhail, Maxim e Artem. Nos anos 60, as escolhas eram um pouco diferentes.

Antes do comunismo na então União Soviética, os pais escolhiam nomes tradicionais, de personagens históricos e santos. A tradição do nome Ivan (Ivã) é curiosa: Pais escolhiam o nome do “santo do dia” no calendário da Igreja Ortodoxa para batizar os filhos. Acontece que existem nada mais nada menos do que 170 dias do ano dedicados a algum “Santo Ivan”.

Com a revolução, nomes históricos (de antes) e especialmente os religiosos não eram bem vistos pelo regime. Os pais então passaram a usar nomes de heróis soviéticos (o cosmonauta Yuri Gagarin inspirou milhões), siglas e “destaques tecnológicos” como o trator.

Entre os nomes estranhos estão, além de Trator, Diesel,  Hipotenusa (Gipotenuza), Tanque (Tank), Eletrificação (Elektrifikatsia), Mels – as primeiras letras dos nomes de Marx, Engels, Lenin e Stalin, Ninel (Lenin ao contrário) e a mistura de palavras que resulta em Dazdraperma, ou “Vida Longa ao Primeiro de Maio”.

Em meados dos anos 80, os nomes dos bebês começaram a voltar ao normal e o fenômeno foi tema de pelo menos duas reportagens no jornal americano The New York Times (aqui e aqui). Sai o trator e voltam Yekaterinas e Aleksandrs.

Ainda bem que a moda da União Soviética não pegou no Brasil, ou teríamos milhares de Cebetes andando por aí hoje em dia.

Veja também

Popular Russian Names

Outra lista de nomes russos ou soviéticos, aqui.


30 de julho de 2020

Agricultor encontra prótese no meio da lavoura e devolve para o dono


agricultor encontra

Paraquedista perdeu a prótese da perna durante salto e pediu ajuda na internet para que pessoas fizessem buscas na região

Chris Marckres, da cidade americana de Hyde Park, Vermont, é paraquedista e tem uma particularidade: bi-amputado, usa próteses nas duas pernas.

Em um salto no último sábado, 25, uma das próteses soltou do corpo logo na saída do avião. O pouso foi realizado com sucesso, mas o prejuízo ficou. Assim que chegou em casa, o Chris postou na internet um pedido de auxílio para que se alguém encontrasse a perna, devolvesse.

E ele deu sorte: um agricultor (que viu o alerta no Facebook) procurou e encontrou a prótese no meio da lavoura de soja.

A prótese voadora. Via Facebook.

O benfeitor Joe Marszalkowski tem propriedade perto da região do salto, também no estado de Vermont. Para os sites locais, Joe disse que foi como encontrar uma “agulha no palheiro” e que fica feliz por não ter destruído a prótese no futuro, durante a colheita.

Agricultor encontra prótese – veja também

Farmer returns prosthetic leg that skydiver lost during jump.


5 de junho de 2020

Tratores que viraram dinheiro (de verdade)


tratores que viraram

Você já ouviu falar de gente que coloca dinheiro em tratores. Agora vai conhecer os tratores que foram colocados no dinheiro,em diversos países

O trator nosso de cada dia já virou arte em notas de dinheiro em diversos países. Neste post, uma lista de tratores que viraram arte “monetária” e andaram de mão em mão.

Nota de 5 na Nova Zelândia

A nota de 5 dólares da Nova Zelândia tinha em sua arte a imagem de Sir Edmund Hillary, um aventureiro (no bom sentido) neozolandes que participou de várias expedições pelo mundo. Entre elas, a Commonwealth Trans-Antarctic Expedition, viagem que levou em 1955 uma equipe até o Pólo Sul usando tratores Ferguson TO-20. A máquina está estampada na nota, perto do valor de face.

Veja também: A história dos tratores Massey Ferguson que foram para a Antártida.

O trator foi removido em 2016, em uma atualiação de segurança que precisou de mais espaço na nota.

Nota de 200 no Vietnã

A nota de 200 dongs (uma das moedas mais desvalorizadas do mundo) do Vietnã tem estampado um trator MTZ-82, máquina fabricada na Bielorrússia. O trator foi parar ali para reprentar a agricultura do país, em uma nota que não compra sequer uma banana por lá, além de já não circular muito por ser feita de algodão e estragar com facilidade.

Nota de 20 quiates da Birmânia (atual Myanmar)

A nota de 20 na então Birmânia exibia um trator puxando discos no ano de 1965. O país fica no sul da Ásia, vizinho da China e da Tailândia.

Nota de 10 na Etiópia

Na mesma pegada da Birmânia, a nota de 10 Birrs etíopes mostrava um trator, mas com melhor resolução.

Tratores que viraram dinheiro, com colheitadeira! A nota de 10000 do Zimbabwe

A nota de 10 mil dólares do Zimbabwe não se contentou em colocar apenas um trator em sua arte, mas também uma colheitadeira (parecida com uma Massey Ferguson MF 5650). E os dois não são desenhos e sim fotos.

Nota de 1 Yuan da China

Não exatamente o trator, mas a tratorista. Liang Jun, a primeira mulher a pilotar um trator na China foi imortalizada na nota de 1 yuan, juntamente com um ovelhas sendo pastoreadas. A nota circulou entre 1962 e 1996.

Outras notas

Outras notas merecem destaque: na República Centro-Africana algumas notas (em especial a de 5000) apresentavam tratores em suas artes. Na Índia, uma nota de 5 rúpias tinha Gandhi e um trator e na Bulgária uma nota de 10 leva tinha um pequeno trator. Na República Socialista da Albânia, a nota de 25 tinha um trator DT-54 da Caterpillar no verso,em 1964.

Esquecemos alguma nota? Entre em contato pela página no Facebook.


24 de abril de 2020

Colhendo trigo (e palha) no Paquistão


colhendo trigo

 

Mesmo com alternativas modernas para a mecanização da coleta de palha de trigo, algumas comunidades ainda mesclam o uso de colheitadeiras com práticas centenárias

Um operador colhendo trigo, atravessando a lavoura sem deixar para trás qualquer vestígio de palha. Esta é uma imagem comum no Paquistão e na Índia, onde a mecanização agrícola tem características bem peculiares.

New Holland CR-8080 com coletor de palha, colhendo trigo. Reprodução do canal Different Angle no Youtube.

Primeiro, a terceirização é muito comum nestas regiões. Em época de colheita, caravanas de operadores autônomos com suas colheitadeiras antigas cruzam as estradas atrás de trabalho.

Colhendo trigo

Com a falta de recursos nas micro e pequenas propriedades, aluga-se o serviço e muitas vezes o negócio é à moda antiga: lona no chão e o produto descarregado ali mesmo, enquanto dezenas de pessoas juntam a produção em sacos.

Mas falando em palha, outra situação bem comum é o uso de colheitadeiras antigas com coletores de palha. A máquina não deixa nada no chão e vai acumulando em uma pequena caçamba, descarregando quando este chega no limite da capacidade, para que o contratante faça bom uso do produto.

A palha (ou Bhoosa como eles chamam por lá) é coletada, colocada em grandes caixotes de madeira montados no solo e pisoteada até ficar compactada na “forma”. Depois, a cobertura é selada com barro. A técnica milenar para o estoque de comida para os animais é o final do processo, que iniciou na máquina.

O caixote de palha, selado com barro. Veja mais aqui.

É claro que estes países também contam com propriedades usuárias de mecanização, balers, enfardadeiras e tudo mais na colheita de trigo e outras atividades. O interessante é observar que mesmo nos dias de hoje, as técnicas de antigamente ainda fazem sucesso, por necessidade ou tradição.

 


9 de fevereiro de 2020

Massospora, as cigarras e a psilocibina


Massospora

CIGARRAS CONTENDO PSILOCIBINA?

A cigarra é um bicho estranho. As fêmeas põem seus ovos e morrem logo depois. Esses ovos quebram e os filhotes (ninfas) caem na terra. Eles podem viver ali por até 17 anos se alimentando da seiva de raízes. Depois desse período eles cavam túneis e sobem nas árvores para sofrer uma metamorfose e virar adultos. Mas aí você me pergunta, “porque raios você está falando sobre cigarras”?

Bom, é curioso. Alguns cientistas divulgaram essa semana um estudo onde encontraram psilocibina (o princípio ativo dos cogumelos mágicos) e catinona (um alcaloide encontrado em uma planta – a metilona pertence a família das catinonas) no corpo de algumas centenas de cigarras americanas.

Acontece que depois do período no solo, essas ninfas podem ser infectadas por um fungo chamado Massaspora. Esse fungo cresce em todo o inseto, consome seus órgãos e converte um terço do traseiro de seu corpo em um massa de esporos. As cigarras vivem como se nada tivesse acontecido e esses esporos continuam a cair e infectar outras cigarras. Esse fungo não é novidade e foi descoberto no século 19. Mas o que encontraram agora foi que ele dosa suas vítimas com drogas que alteram a mente. “Talvez seja por isso que as cigarras andam por aí como se nada estivesse errado, mesmo que um terço de seu corpo tenha caído”, diz Kasson, um dos responsáveis pelo estudo.

Ele e seus colegas coletaram cerca de 150 dessas cigarras. Greg Boyce, um membro da equipe, examinou todos os produtos químicos encontrados nas várias cigarras. E para sua surpresa, ele descobriu que as asas delas estavam carregadas de psilocibina. “No começo, pensei: não pode ser”, diz ele. “Parecia impossível”. Afinal, ninguém jamais detectou a psilocibina em outra coisa senão cogumelos.

As surpresas não pararam por aí. “Lembro-me de olhar para Greg uma noite e ele tinha um olhar estranho no rosto”, lembra Kasson. “Ele disse: ‘Você já ouviu falar de catinona?'”, Disse Kasson, mas uma pesquisa rápida revelou que é uma espécie de anfetamina. Nunca havia sido encontrado em um fungo antes. Na verdade, era conhecido apenas da planta Khat que há muito tempo é mastigada por pessoas do Oriente Médio e da África. Mas aparentemente, a catinona também é produzida pelo Massaspora depois de infectar as cigarras.

A equipe fez um grande esforço para verificar se o Massaspora realmente contém essas drogas e descobriram que o fungo tem os genes certos para produzir esses produtos químicos e contém as substâncias precursoras necessárias.

E em algum momento durante este trabalho, Kasson percebeu que ele estava trabalhando com substâncias ilícitas. A psilocibina, em particular, é uma droga da Classe I, e os pesquisadores que a estudam precisam de uma permissão da DEA. “Eu pensei: ah, droga”, ele diz. “A DEA vai entrar aqui, me aprisionar e confiscar minhas cigarras (risos)”.

Ele enviou-lhes um email. “Isso é … interessante”, foi a resposta inicial da DEA. “Você tem que entender que isso não é algo sobre o que normalmente recebemos e-mails por aqui.” Depois de alguma discussão, a agência decidiu que nenhuma permissão era necessária, já que a droga é encontrada em pequenas quantidades dentro das cigarras, e já que Kasson não tinha planos para isso.

É possível ficar chapado comendo cigarras infectadas com Massaspora? “Com base naquelas que analisamos, provavelmente seria necessária uma dúzia ou mais delas”. Mas é possível que no início das infecções o fungo possa bombear concentrações mais altas desses produtos químicos. Por quê? Kasson suspeita que as drogas ajudem o fungo a controlar seus hospedeiros.

As cigarras infectadas se comportam de maneira estranha. Apesar de seus ferimentos horríveis, os machos se tornam hiperativos e hipersexuais. Eles freneticamente tentam acasalar com qualquer coisa que possam encontrar, inclusive com outros machos. Eles vão até mesmo imitar os sinais de asas das fêmeas para atrair os machos em direção a eles. Nada disso lhes faz bem – seus genitais foram devorados pelo fungo ou caíram com o resto de suas bundas. Em vez disso, esse comportamento só beneficia o fungo, permitindo que seus esporos encontrem novos hospedeiros.

Kasson suspeita que a catinona e a psilocibina são responsáveis ​​por pelo menos alguns desses comportamentos. “Se eu tivesse um membro amputado, provavelmente não teria muita energia”, disse ele. “Mas essas cigarras tem de sobra. Algo lhes dá um pouco mais de energia. A catinona poderia explicar isso”.

O papel da psilocibina é mais difícil de explicar. A droga pode fazer os humanos ficarem chapados, mas ninguém sabe se as cigarras também ficam. Há, no entanto, uma teoria de que cogumelos mágicos desenvolveram a psilocibina para reduzir o apetite de insetos que poderiam competir com eles pela comida. Talvez, suprimindo o apetite das cigarras, Massaspora os manda para longe da busca por alimento e em direção ao acasalamento incessante.

Existem muitos fungos parasitas que manipulam o comportamento de hospedeiros de insetos, incluindo os famosos fungos Ophiocordyceps, que podem transformar formigas em zumbis. “Há muita curiosidade sobre como esses fungos podem realmente manipular o comportamento, e esta é a primeira vez que alguém identificou compostos químicos que poderiam desempenhar esse papel”, diz Kathryn Bushley, da Universidade de Minnesota. “Isso é realmente significativo.”

A descoberta abre muitas questões, diz Corrie Moreau, do Field Museum of Natural History. O que exatamente essas drogas fazem para as cigarras? E ela se pergunta, “outros fungos infectantes compartilham essas mesmas moléculas, ou cada fungo manipulador desenvolveu um composto único para induzir o comportamento desejado?”

Massospora

Muitas respostas ainda não existem para essa questão. O artigo completo da equipe que analisou as cigarras você pode ver abaixo:

This Parasite Drugs Its Hosts With the Psychedelic Chemical in Shrooms.


11 de maio de 2019

Veja quantas toneladas de soja compram um iPhone em diversos países


compram um iphone

Pesquisamos os preços do aparelho e as cotações em diferentes locais, como indicador do poder de compra de um agricultor

A soja é uma commodity vendida nos principais mercados do mundo e como tal seu preço varia de acordo com as cotações internacionais e disponibilidade no local. Já os sonhados (por quase todo mundo) iPhones variam de preço conforme a realidade dos impostos cobrados em cada país.

Pesquisamos o preço do iPhone XS de 64GB em diversos países e fizemos a conta: quantas toneladas de soja um agricultor precisa vender para comprar um aparelho? Considere a comparação apenas informativa, não analisamos os custos de cada produtor, é apenas um indicador da capacidade de compra nos diversos locais em uma abordagem totalmente informal.

Brasil

O agricultor brasileiro precisa vender 6,6 toneladas de soja para comprar um iPhone XS 64GB. Este preço (e os demais) são baseados nas cotações médias do dia 10 de maio de 2019 e no preço do aparelho nas lojas da Apple em cada país.

Rússia

Na Rússia, 7,85 toneladas compram o iPhone.

Argentina

Sem loja oficial, os irmãos da Argentina precisam de 12,05 toneladas para adquirir o smartphone.

Ucrânia

Assim como na Argentina, a Ucrânia não tem loja oficial da Apple, nem presença via site. De forma surpreendente, saem em vantagem: são “apenas” 2,78 toneladas para a compra.

Estados Unidos

No país da Apple, um agricultor vende 3,41 toneladas de soja para a compra de um iPhone XS 64. O aparelho custa US$ 999,00. Muitos americanos preferem comprar através da operadora, pagando bem pouco por mês, cerca de US$ 50,00.

Usamos esta brincadeira para lembrar que, apesar de trabalhar com um produto mundial, os agricultores são afetados durante a vida inteira em seus países em alguns casos com alta carga tributária e restrições de compra para certos confortos, como o de um telefone de alto padrão. Imaginem o resto.


28 de novembro de 2018

Boi gigante faz sucesso na Austrália


Boi Gigante

Com um metro e noventa centímetros de altura, Knickers – o boi gigante –  ganhou fama em sua cidade natal e foi poupado do abate

 

Um boi gigante com 1,9 metro de altura e 1400 kg se destaca no meio dos colegas pelo seu tamanho. O animal da raça holandesa tem pelo menos o dobro do tamanho das vacas na propriedade onde nasceu na cidade de Myalup, no oeste da Austrália.

 

 

Salvo do abate por não caber no transporte para o frigorífico, o boi vai viver tranquilamente na fazenda, segundo o proprietário da raridade, Geoff Pearson. O que não será problema, pois o mesmo tem um rebanho de 20 mil cabeças de gado Wagyu.

 

Curiosidade: Knickers, em inglês significa calcinha. Como o proprietário tinha outro boi da raça brahman na fazenda na época em que adquiriu o Knickers, os dois eram uma dupla espirituosa: Calcinha e Soutien (bra). O soutien já morreu.

 

Visto no The Sun e na Fox News.

 

Veja mais: textos sobre bovinocultura no Blog do Farmfor.

 


21 de janeiro de 2018

Agricultor quer doar sua conta no Twitter para Kim Kardashian


Dono do perfil @ChicagoWest disse que se a celebridade americana pedir com jeitinho, ele entrega a conta e a senha.

 

Quem diria, um blog sério como o Farmfor falando sobre Kim Kardashian. Se você não sabe quem é, não fique preocupado, nem o mundo sabe direito sobre as razões da fama e atenção que esta celebridade/modelo tem no mundo das celebridades. Na dúvida, consulte a wikipedia.

Acontece que a famosa cruzou com os interesses de um agricultor americano (ou o contrário), ao dar o nome de Chicago West para o filho que acabou de nascer, através de uma barriga de aluguel. O homem é dono da conta @chicagowest na rede social, mesmo nome do filho da modelo.

Procurado por sites deste segmento do entretenimento, Jon Wyatt, um agricultor e corretor de grãos da região de Chicago, declarou para os repórteres que basta Kim pedir e ele entrega a conta para que seja usada pelo guri. Melhor dizendo, em nome do guri.

Até o momento, as únicas interações de Kim Kardashian com o mundo da agricultura eram a foto de capa deste post (com um trator) e o banho de leite em um vídeo (dando uma força para a pecuária leiteira).

Voltemos aos tratores.

 


21 de janeiro de 2018

O porco mais feio do mundo é da Indonésia


O porco mais feio do mundo

Quase em extinção, um exemplar apareceu nas selvas da Ilha de Java.

 

O “porco mais feio do mundo” não é um indivíduo; trata-se de toda uma raça que existe apenas na Ilha de Java, na Indonésia. Tem o tamanho de um javali e é facilmente reconhecido por três pares de verrugas na face. Considerado quase em extinção, o Javan warty, ou Sus verrucosus, virou notícia nesta semana.

 

Um exemplar foi flagrado recentemente em uma selva da ilha, fotografado por uma destas armadilhas que pesquisadores instalam em árvores, com sensores que disparam a câmera quando detectam movimento.

 

No vídeo acima, outro exemplar mantido em cativeiro. O título de “mais feio do mundo” não foi dado pelo blog, mas pelo próprio país do animal.


4 de novembro de 2017

Casa aparece misteriosamente no meio de uma lavoura no Canadá


Casa aparece misteriosamente

A inusitada surpresa teve um final feliz, via Facebook

 

Imagine você sair para dar uma olhada nas terras e encontrar uma casa, novinha, parada no meio da paisagem. Foi isso que aconteceu com um agricultor da região de Regina, no Canadá. A construção pré-fabricada, completinha, em um reboque e sem qualquer aviso.

Patrick Maze, o “premiado”, usou seu facebook para postar fotos da residência fantasma, relatando a descoberta:

 

Na mesma postagem, a solução do mistério veio rapidamente: a dona da casa comentou declarando ser a proprietária. A transportadora teve um problema com a liberação de passagem fornecida pela empresa de energia elétrica do local e teve que deixar a mercadoria por ali mesmo.

Depois de alguns dias a casa finalmente chegou ao seu destino, na cidade de Lumsden, distante 40 km do local. A parada na lavoura alheia durou uma semana.


3 de julho de 2017

Dez coisas com a marca John Deere que você nem imaginava existir


Coisas com a marca John Deere

Autorizados ou não, objetos do dia a dia (ou nem tanto) são fabricados com a marca em diversas partes do mundo.

 

A marca John Deere é amada em diversas partes do mundo, com especial adoração nos Estados Unidos. Por lá, ítens são fabricados de forma autorizada pela empresa, através do licenciamento da marca. Mas existe uma grande indústria no mercado “paralelo” ou de forma artesanal e ingênua, fornecendo todo o tipo de coisa com o nome e cores da marca de equipamentos agrícolas.

Bicicletas

Bicicleta John Deere

Modelos para crianças e adultos são vendidas até mesmo na Amazon.

 

Motos

 

Motos customizadas são bem comuns, algumas modificadas pelos proprietários ao longo dos anos.

Caixão

 

Descanse em paz embalado pela marca que sempre lhe acompanhou pela vida inteira.

 

Calcinhas

São várias opções em desenhos, das mais discretas até as do tipo fio-dental. E vendem pela internet, como neste exemplo.

Quarto infantil

 

Na parte de móveis, você pode encontrar vários exemplos, da sala até a cozinha, passando pelos quartos. Os infantis sempre com muitas opções.

Luminária

 

Abajur com um pequeno trator na base. Outras versões com a marca apenas na luminária são comuns.

 

Uma MOAB – A Mãe de Todas as Bombas

 

Não exatamente um item fabricado com a marca, mas uma unidade da MOAB (Mãe de Todas as Bombas) foi pintada em “verde John Deere” e provocou alvoroço nos EUA. Conta a lenda que era a única tinta disponível na cidade, quando uma unidade precisou ser entregue às pressas para a força aérea.

 

Avião

 

 

Claro, pintar seu próprio avião com as cores e a marca da John Deere. Boa pedida.

 

Ônibus Escolar

 

Exija um ônibus escolar temático para todas as suas aulas de mecanização agrícola.

 

Trem de brinquedo

Existem milhares de brinquedos e miniaturas, até mesmo vendidos nas feiras agrícolas pela própria John Deere. Mas este trem aqui é novidade:

 

Perdemos alguma coisa? Avisem nos comentários do post.

 

 

 


19 de junho de 2017

Agricultor mexicano briga com porco e morre após perder o pênis e três dedos


agricultor mexicano

A briga doméstica teve um desfecho fatal para o homem de 60 anos

 

Miguel Anaya Pablo, um agricultor da cidade de Tuxtepec, no Mexico, mantinha na casa de sua propriedade um porco. Isso mesmo, não era “animal de criação”, mas uma espécie de pet.

Resgatado por vizinhos, foi encontrado em uma poça de sangue na casa. No hospital, as feridas evoluíram para uma forte infecção que tirou a vida do agricultor.

As informações são do Mirror.



Publicidade