Na antiga União Soviética, bebês eram batizados com nome de trator Blog do Farmfor

União Soviética

Na antiga União Soviética, bebês eram batizados com nome de trator

Crianças recebiam nomes de avanços tecnológicos para, de certa forma, glorificar o regime comunista




União Soviética

Os nomes mais populares nos bebês russos do ano de 2020 foram Alexandre para os meninos e Sofia para as meninas, seguidos por Maria, Anna, Victoria, Alice, Polina, Mikhail, Maxim e Artem. Nos anos 60, as escolhas eram um pouco diferentes.

Antes do comunismo na então União Soviética, os pais escolhiam nomes tradicionais, de personagens históricos e santos. A tradição do nome Ivan (Ivã) é curiosa: Pais escolhiam o nome do “santo do dia” no calendário da Igreja Ortodoxa para batizar os filhos. Acontece que existem nada mais nada menos do que 170 dias do ano dedicados a algum “Santo Ivan”.

Com a revolução, nomes históricos (de antes) e especialmente os religiosos não eram bem vistos pelo regime. Os pais então passaram a usar nomes de heróis soviéticos (o cosmonauta Yuri Gagarin inspirou milhões), siglas e “destaques tecnológicos” como o trator.

Entre os nomes estranhos estão, além de Trator, Diesel,  Hipotenusa (Gipotenuza), Tanque (Tank), Eletrificação (Elektrifikatsia), Mels – as primeiras letras dos nomes de Marx, Engels, Lenin e Stalin, Ninel (Lenin ao contrário) e a mistura de palavras que resulta em Dazdraperma, ou “Vida Longa ao Primeiro de Maio”.

Em meados dos anos 80, os nomes dos bebês começaram a voltar ao normal e o fenômeno foi tema de pelo menos duas reportagens no jornal americano The New York Times (aqui e aqui). Sai o trator e voltam Yekaterinas e Aleksandrs.

Ainda bem que a moda da União Soviética não pegou no Brasil, ou teríamos milhares de Cebetes andando por aí hoje em dia.

Veja também

Popular Russian Names

Outra lista de nomes russos ou soviéticos, aqui.


Publicidade