Massospora, as cigarras e a psilocibina - Blog do Farmfor

Massospora, as cigarras e a psilocibina

Publicado por farmfor em

Massospora

CIGARRAS CONTENDO PSILOCIBINA?

A cigarra é um bicho estranho. As fêmeas põem seus ovos e morrem logo depois. Esses ovos quebram e os filhotes (ninfas) caem na terra. Eles podem viver ali por até 17 anos se alimentando da seiva de raízes. Depois desse período eles cavam túneis e sobem nas árvores para sofrer uma metamorfose e virar adultos. Mas aí você me pergunta, “porque raios você está falando sobre cigarras”?

Bom, é curioso. Alguns cientistas divulgaram essa semana um estudo onde encontraram psilocibina (o princípio ativo dos cogumelos mágicos) e catinona (um alcaloide encontrado em uma planta – a metilona pertence a família das catinonas) no corpo de algumas centenas de cigarras americanas.

Acontece que depois do período no solo, essas ninfas podem ser infectadas por um fungo chamado Massaspora. Esse fungo cresce em todo o inseto, consome seus órgãos e converte um terço do traseiro de seu corpo em um massa de esporos. As cigarras vivem como se nada tivesse acontecido e esses esporos continuam a cair e infectar outras cigarras. Esse fungo não é novidade e foi descoberto no século 19. Mas o que encontraram agora foi que ele dosa suas vítimas com drogas que alteram a mente. “Talvez seja por isso que as cigarras andam por aí como se nada estivesse errado, mesmo que um terço de seu corpo tenha caído”, diz Kasson, um dos responsáveis pelo estudo.

Ele e seus colegas coletaram cerca de 150 dessas cigarras. Greg Boyce, um membro da equipe, examinou todos os produtos químicos encontrados nas várias cigarras. E para sua surpresa, ele descobriu que as asas delas estavam carregadas de psilocibina. “No começo, pensei: não pode ser”, diz ele. “Parecia impossível”. Afinal, ninguém jamais detectou a psilocibina em outra coisa senão cogumelos.

As surpresas não pararam por aí. “Lembro-me de olhar para Greg uma noite e ele tinha um olhar estranho no rosto”, lembra Kasson. “Ele disse: ‘Você já ouviu falar de catinona?'”, Disse Kasson, mas uma pesquisa rápida revelou que é uma espécie de anfetamina. Nunca havia sido encontrado em um fungo antes. Na verdade, era conhecido apenas da planta Khat que há muito tempo é mastigada por pessoas do Oriente Médio e da África. Mas aparentemente, a catinona também é produzida pelo Massaspora depois de infectar as cigarras.

A equipe fez um grande esforço para verificar se o Massaspora realmente contém essas drogas e descobriram que o fungo tem os genes certos para produzir esses produtos químicos e contém as substâncias precursoras necessárias.

E em algum momento durante este trabalho, Kasson percebeu que ele estava trabalhando com substâncias ilícitas. A psilocibina, em particular, é uma droga da Classe I, e os pesquisadores que a estudam precisam de uma permissão da DEA. “Eu pensei: ah, droga”, ele diz. “A DEA vai entrar aqui, me aprisionar e confiscar minhas cigarras (risos)”.

Ele enviou-lhes um email. “Isso é … interessante”, foi a resposta inicial da DEA. “Você tem que entender que isso não é algo sobre o que normalmente recebemos e-mails por aqui.” Depois de alguma discussão, a agência decidiu que nenhuma permissão era necessária, já que a droga é encontrada em pequenas quantidades dentro das cigarras, e já que Kasson não tinha planos para isso.

É possível ficar chapado comendo cigarras infectadas com Massaspora? “Com base naquelas que analisamos, provavelmente seria necessária uma dúzia ou mais delas”. Mas é possível que no início das infecções o fungo possa bombear concentrações mais altas desses produtos químicos. Por quê? Kasson suspeita que as drogas ajudem o fungo a controlar seus hospedeiros.

As cigarras infectadas se comportam de maneira estranha. Apesar de seus ferimentos horríveis, os machos se tornam hiperativos e hipersexuais. Eles freneticamente tentam acasalar com qualquer coisa que possam encontrar, inclusive com outros machos. Eles vão até mesmo imitar os sinais de asas das fêmeas para atrair os machos em direção a eles. Nada disso lhes faz bem – seus genitais foram devorados pelo fungo ou caíram com o resto de suas bundas. Em vez disso, esse comportamento só beneficia o fungo, permitindo que seus esporos encontrem novos hospedeiros.

Kasson suspeita que a catinona e a psilocibina são responsáveis ​​por pelo menos alguns desses comportamentos. “Se eu tivesse um membro amputado, provavelmente não teria muita energia”, disse ele. “Mas essas cigarras tem de sobra. Algo lhes dá um pouco mais de energia. A catinona poderia explicar isso”.

O papel da psilocibina é mais difícil de explicar. A droga pode fazer os humanos ficarem chapados, mas ninguém sabe se as cigarras também ficam. Há, no entanto, uma teoria de que cogumelos mágicos desenvolveram a psilocibina para reduzir o apetite de insetos que poderiam competir com eles pela comida. Talvez, suprimindo o apetite das cigarras, Massaspora os manda para longe da busca por alimento e em direção ao acasalamento incessante.

Existem muitos fungos parasitas que manipulam o comportamento de hospedeiros de insetos, incluindo os famosos fungos Ophiocordyceps, que podem transformar formigas em zumbis. “Há muita curiosidade sobre como esses fungos podem realmente manipular o comportamento, e esta é a primeira vez que alguém identificou compostos químicos que poderiam desempenhar esse papel”, diz Kathryn Bushley, da Universidade de Minnesota. “Isso é realmente significativo.”

A descoberta abre muitas questões, diz Corrie Moreau, do Field Museum of Natural History. O que exatamente essas drogas fazem para as cigarras? E ela se pergunta, “outros fungos infectantes compartilham essas mesmas moléculas, ou cada fungo manipulador desenvolveu um composto único para induzir o comportamento desejado?”

Massospora

Muitas respostas ainda não existem para essa questão. O artigo completo da equipe que analisou as cigarras você pode ver abaixo:

This Parasite Drugs Its Hosts With the Psychedelic Chemical in Shrooms.

Facebook Comments