Arquivos Água - Blog do Farmfor Blog do Farmfor

Tag: Água

19 de maio de 2020

Grama de jardim é a “lavoura” mais irrigada dos Estados Unidos


grama de jardim

Quantidade de água para irrigar grama de jardim no país ultrapassa o que é usado para o plantio de trigo ou milho nas lavouras americanas

Provalvelmente, o agronegócio já foi xingado por algum ambientalista americano morador de uma casa com um imenso gramado, sobre o uso excessivo de água. Acontece que justamente a grama de jardim é a “lavoura” que mais consome água nos Estados Unidos, segundo um estudo da NASA publicado em 2005.

O estudo analisou cerca de 163 mil km2 de gramados no país, incluindo os residenciais, comerciais, parques, campos de golfe e treinamento, o equivalente a 1,9% de toda a área continental dos Estados Unidos.

A localização dos gramados americanos no mapa.

É considerada uma necessidade de água de 25,4 mm por semana para os gramados, em média. Nos lugares mais secos, isso pode significar uma irrigação de 12,5 mm para completar a demanda. Depois de muitos cálculos, análise de diferentes técnicas de irrigação e diversidade dos terrenos, os técnicos chegaram a uma faixa de 695 a 900 litros de água por pessoa do país por dia para manter os gramados americanos.

O trabalho “A STRATEGY FOR MAPPING AND MODELING THE ECOLOGICAL EFFECTS OF US LAWNS” (Uma estratégia para mapeamento e modelagem do impacto ecológico dos gramados americanos, em uma tradução livre) não focou apenas na água, mas em todos os aspectos da planta, inclusive no potencial de sequestro de carbono.

Abordagens negativas

Com base no estudo, vários sites publicaram artigos condenando a tradição americana dos gramados. Entre eles, o ACHNews e o Grist. O último, pede simplesmente que todos os gramados sejam exterminados.

Quando alguém começar a debater sobre o uso da água na agricultura, comece perguntando se a pessoa conta com um gramado em casa ou no condomínio. De alguma forma, os números brasileiros devem ser significativos.

Da nossa parte, nada contra os gramados.

Veja também

Empresa da Noruega lança produto que recupera solos desertificados em horas.


26 de junho de 2019

Revelado o mistério do tanque de Anguil, na Argentina


Tanque de Anguil

Vídeo com estranha onda em tanque de água viralizou na internet, mas a ciência explica o mistério

Um vídeo mostrando uma estranha onda que nunca transborda, viralizou na internet.

Um tanque de água em uma área rural da localidade de Anguil, na Argentina, foi flagrado com o estranho fenômeno no vídeo abaixo:

Os comentários nas postagens especulavam sobre diversas razões para a estranha forma de onda, mas a ciência pode explicar o fenômeno.

Trata-se da Seicha, uma onda estacionária de longo período que ocorre em corpos de água confinados, como no tanque do vídeo.

Diz a Wikipedia:

As seichas são fenómenos ondulatórios que se estabelecem em corpos de água confinados, assumindo os trens de ondas formados modos de oscilação que correspondem aos períodos naturais de ressonância do corpo de água. Por outras palavras, as seichas são um fenómeno semelhante ao que ocorre num recipiente com superfície livre contendo água, se este for sujeito a uma oscilação próxima da sua frequência natural: a água entra em oscilação, subindo e descendo com nodos e ventres distribuídos em função das dimensões do recipiente e do comprimento de onda da oscilação (sendo o comprimento um múltiplo exacto da distância entre nodos).

Na natureza o fenómeno é causado pela ressonância num corpo de água confinado que foi perturbado por uma força oscilatória, em geral o vento ou ondulação proveniente de águas confinantes. Embora menos frequentes, os sismos podem ser causa de seichas (o mecanismo de formação das seichas apresenta muitos aspectos em comum com o da formação de tsunamis).

No caso do Tanque de Anguil, as dimensões (diâmetro e profundidade) bem como a variação de temperatura entre a superfície e o fundo podem ter colaborado para a criação da onda concêntrica tão peculiar. O vento também pode ajudar.

Onda similar, criada em laboratório

Existe um incrível centro de pesquisas de energia oceânica na Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, capaz de simular diversas ondas em uma piscina circular. O tanque contém dezenas de aletas que, controladas por computador, empurram a água na direção desejada.

O sistema é capaz de gerar ondas concêntricas como as que apareceram no Tanque de Anguil, em uma frequência superior até espirrar a água no centro da formação:

Saiba mais: Oleaje en el tanque: se trataría de un «seiche», una rara forma de ondulación del agua.


30 de abril de 2017

Homem ensina na internet como fazer o próprio poço artesiano


como fazer poço

Da Bahia, Robson ensina para o Brasil inteiro a técnica de cavar o próprio poço na propriedade

Esta é mais uma daquelas histórias que são postadas no Facebook com a frase “o brasileiro precisa ser estudado pela NASA”. Na realidade, força de vontade e determinação, aliadas ao espírito comunicativo são sempre dignos de nota.

Robson Brasileiro dos Santos mora na Bahia e desenvolveu uma técnica para a perfuração de poços artesianos usando ferramentas caseiras e canos de ferro. Brocas, válvulas e procedimentos são explicados com detalhes em uma série de vídeos postados no Youtube. Se você sofre com a seca na propriedade e deseja arriscar com as dicas do Robson, nós recomendamos a assinatura do canal, aqui.

Série sobre poço em Ibirapuã, na Bahia
Abaixo, os vídeos postados mostrando o passo a passo da perfuração.

O Robson manda bem também na restauração de nascentes na região

Parabéns pela iniciativa!


9 de maio de 2016

Watly, a máquina que fornece água potável e internet para populações rurais na África


Watly

O equipamento usa energia solar e dura quinze anos

 

Lançada na plataforma Indiegogo, a Watly é capaz de oferecer internet em um raio de 800 metros de onde está instalada, bem como filtrar com grafeno, ferver e destilar água potável, para produzir até 5000 litros por dia. Projetada para durar 15 anos, promete reduzir o gasto de 5000 barris de petróleo durante toda a sua vida útil.

 

 

A empresa já tem um protótipo em funcionamento em Gana, é apoiada por grandes empresas (ainda em segredo) e já ganhou um aporte de 1,4 milhões de euros do fundo European Union’s Horizon 2020. Em 8 anos, os responsáveis pretendem instalar 10000 máquinas no continente africano e gerar 50000 empregos.

Onde estão os “startupeiros” do nordeste brasileiro? Aí está uma ótima ideia.



Publicidade