Categoria: Startups

11 de fevereiro de 2021

Drone colhedor de maçãs é aposta de startup israelense


Drone colhedor de maçãs

Drone colhedor de maçãs

Faltam trabalhadores, entra o drone colhedor de maçãs.

A Tevel, uma startup israelense fundada em 2017, está desenvolvendo uma classe especial de drones dedicada ao processo de colheita de frutas em pomares, especialmente de maçãs.

O sistema tem um “carrinho” para armazenar os frutos colhidos por um conjunto de drones presos a cabos de alimentação e controle. No meio do pomar, os aparelhos colhem fruto por fruto de ambos os lados, colocando posteriormente no depósito. Tudo com muita inteligência artificial, visão por computador e uma infinidade de sensores que definem o melhor ponto para a colheita e se o fruto está maduro.

O drone é capaz de colher mais de 90% das frutas em média nas árvores, até 5 metros de altura, possibilitando o aumento do porte mantido nos pomares em até 20%, aumentando a produção.

Segundo a startup, o drone colhedor de maçãs pode trabalhar dia e noite, seguindo a programação definida pelos gerentes e tudo isso diminuindo o custo operacional. Além das maçãs, o sistema tem rotinas para laranjas e abacates. Testes de colheita estão sendo realizados na Espanha, Estados Unidos e Itália, em plantações com mais de 100 hectares.

Tevel

A Tevel já recebeu US$ 20 milhões de investidores, incluindo a Kubota. Uma versão final do sistema está prevista para sair até o final do ano de 2021, para sacudir um mercado mundial anual de 82 bilhões de euros que emprega (ou tenta empregar) 10 milhões de trabalhadores temporários.

 


13 de dezembro de 2020

Monarch, mais um trator elétrico entrará no mercado


monarch




Lançado no início de dezembro nos EUA, o Monarch é um trator elétrico, inteligente e com capacidades autônomas, para encarar os desafios dos agricultores do país como as questões ambientais e a falta de trabalhadores no campo.

 

monarch farmfor

O Monarch vem equipado com motor de 40 hp (30 kW) com potência de pico de 70 hp e será vendido pelo preço inicial de US$ 50 mil. A empresa está aceitando reservas mediante um depósito de sinal no valor de US$500,00. A previsão de entrega é para o outono americano de 2021.

farmfor monarch trator eletrico

O trator recebeu o prêmio “Trator do Ano de 2020” do AgTech Breakthrough Awards, nomeado um dos dez melhores produtos da World AG Expo e teve o reconhecimento da Revista Fast Company como uma das “Melhores Ideias para Mudar o Mundo”, na categoria Estados Unidos – Energia e Alimentação.

A Monarch foi fundada em 2018 por Praveen Penmetsa, Carlo Mondavi, Mark Schwager e Zachary Omohundro e está sediada na cidade de Livermore, na Califórnia. Para mais informações, acesse o site.

 


2 de dezembro de 2019

Startup transforma veado em salame na Austrália


veado em salame

A praga é invasora e destrói as matas nativas e as lavouras, causando prejuízo para todos. A solução agrada muita gente.

Os veados selvagens na Austrália são um problema. Invasor, o Feral Deer causa muito prejuízo para o ambiente e lavouras em diversas partes do país. Agora uma empresa encontrou uma solução ideal: transformar o veado em salame.

Cortes selecionados

A startup Fair Game Wild Venison foi fundada em março deste ano pelo empreededor Jonas Widjaja com um propósito simples: caçar os veados selvagens e transformar em cortes saborosos, vender o couro e até fornecer salame.

O salame

O abate é profissional: caçadores licenciados acertam os alvos com precisão para não estragar a carne e sem oferecer sofrimento ao animal.

Com cerca de 200 mil cabeças soltas pelo território australiano, o negócio da Fair Game tem um enorme potencial para evoluir, ajudando os fazendeiros e o meio ambiente no processo.


31 de março de 2019

Agersens, a startup que coloca GPS no pescoço das vacas, alimentados com energia solar


Agersens

A Agersens é uma startup da Austrália que está modernizando a bovinocultura do país com o uso de piquetes virtuais

Nós já falamos aqui sobre o pastejo rotacionado sem cercas, desenvolvido por uma empresa dos EUA. Agora, na Austrália, uma startup investe na mesma tecnologia, subsidiada por um órgão governamental. A Agersens desenvolveu um GPS que é colocado no pescoço dos bovinos e é alimentado por energia solar. O sistema batizado de eShepherd gerencia cercas virtuais onde o “toque no arame” é substituído por um tom de áudio que vai treinando o animal aos poucos, fazendo com que o mesmo não ultrapasse as barreiras controladas pelo GPS.

https://www.youtube.com/watch?v=8SaM0lsG8Y4
https://youtu.be/sU4Egn2uaL4

Os piquetes são desenhados rapidamente no computador e transmitidos para as unidades que estão instaladas nos animais, através de redes sem fio.

O contato com a empresa Agersens pode ser feito pelo site.


20 de abril de 2017

Juicero, a startup mais idiota do mundo?


Juicero

A empresa arrecadou 120 milhões de dólares para reinventar a forma de fazer suco de vegetais, mas virou um gigantesco mico.

A Juicero apareceu nas notícias especializadas do mundo da tecnologia no início de 2015, ao receber mais de 100 milhões de dólares em investimentos do Google Ventures, Campbell’s Soup, Double Bottom Line Ventures, Artis Ventures, Thrive Capital e outros grandes nomes. Somado ao valor recebido em 2014, de outras fontes, o total teria passado dos 120 milhões. A promessa? vender um espremedor especial e sucos em pequenos sachés, entregues em casa, também atacando o tradicional formato de venda dos vegetais em supermercados, quase nunca frescos e com muitos dias de prateleira.

Nas reuniões com investidores, Doug Evans, o fundador da startup, levou apenas alguns desenhos em 3D do conceito, nenhum protótipo funcionando ou mesmo uma réplica. E muita lábia.
Por trás da proposta, uma empresa que cuidaria de todo o ciclo de produção, controlando as propriedades rurais, do plantio até a colheita, logística até o processamento, embalagem e entrega ao consumidor, tudo em saquinhos parecidos com comida de astronauta.

O conceito


O Juicero foi lançado em Março de 2016, ao custo de US$699,00. O equipamento em si não era um processador, mas um espremedor para os saquinhos de doses individuais de sucos de diversos vegetais. A pessoa pega o saché (que lembra muito um bag de soro), coloca no equipamento e espera o líquido sair. O espremedor tem ainda um leitor de QR-Code e conexão wi-fi, para conferir on-line se o produto ainda está no prazo de validade, bloqueando o funcionamento quando o suco está vencido. Obviamente, também não funciona sem internet.

Cada dose de suco custa entre 4 e 10 dólares. É praticamente uma “máquina de café em cápsulas” para sucos naturais. Em janeiro deste ano, o preço da máquina baixou para US$399,00.

Se você é incapaz de comprar alimentos e fazer sucos por conta própria, esta máquina é perfeita
Para vender a ideia, a empresa lançou um vídeo com um casal extremamente incapaz de lidar com tarefas simples da vida, como ir na feira, lavar louça ou ter o mínimo de organização na rotina de uma cozinha. O vídeo é forçado demais.

Dá para usar as mãos

Logo depois do lançamento, o Juicero recebeu críticas, primeiro por ser maior que o protótipo mostrado nos desenhos. Depois, algumas pessoas começaram a notar que o bag de suco poderia ser espremido com as mãos. A pá de cal veio neste 19 de abril, com uma reportagem especial da Bloomberg, mostrando toda a história da startup e um vídeo comparando o desempenho da máquina com o de uma moça usando as próprias mãos. Deu empate (com algumas vitórias da moça). A internet caiu de pau e as piadas não param no Twitter.

Depois de toda a confusão, uma nota do CEO da empresa e muita tentativa de controle de danos, a Juicero resolveu devolver o dinheiro para quem comprou a máquina, desde o lançamento. Mas continua firme nas convicções e no conceito.


31 de outubro de 2016

O Brasil já tem o seu “Uber de Máquinas Agrícolas”, direto de Minas Gerais


Uber de Máquinas

Alluagro será o elo de ligação entre quem possui máquina agrícola ociosa e usuários, em todo o país

A possibilidade de alugar máquinas agrícolas através de um aplicativo de celular será realidade no Brasil em um futuro bem próximo. A Alluagro, uma empresa de Uberlândia, MG, está em desenvolvimento e pretende atuar em todo o território nacional. 

A ideia é realizar um cadastro de proprietários de máquinas dispostos a oferecer o equipamento nas horas vagas, para que agricultores aluguem as mesmas através do aplicativo, que buscará na região as colheitadeiras, tratores, plantadeiras ou pulverizadores disponíveis, por exemplo. O aplicativo deve ser disponibilizado em breve nas lojas para iOS e Android. 

O sistema fará ainda o cadastro de empresas especializadas e profissionais que trabalham no transporte de máquinas agrícolas. 

Nós desejamos toda a sorte para o empreendimento e que o mesmo vença a barreira cultural dos proprietários, gerando uma rede de confiança entre os mesmos e seus potenciais clientes. Máquina parada no galpão continua depreciando (e muito) dia após dia, e toda fonte de renda extra é bem vinda na propriedade. Outra boa ideia para o sistema seria o cadastro de operadores de máquinas e técnicos que forneçam o serviço, liberando o proprietário do atendimento na lavoura do cliente. 

Visite o site da Alluagro.

Página da Alluagro no Facebook.

Telefone: 34 3236 8523.


9 de maio de 2016

Watly, a máquina que fornece água potável e internet para populações rurais na África


Watly

O equipamento usa energia solar e dura quinze anos

 

Lançada na plataforma Indiegogo, a Watly é capaz de oferecer internet em um raio de 800 metros de onde está instalada, bem como filtrar com grafeno, ferver e destilar água potável, para produzir até 5000 litros por dia. Projetada para durar 15 anos, promete reduzir o gasto de 5000 barris de petróleo durante toda a sua vida útil.

 

 

A empresa já tem um protótipo em funcionamento em Gana, é apoiada por grandes empresas (ainda em segredo) e já ganhou um aporte de 1,4 milhões de euros do fundo European Union’s Horizon 2020. Em 8 anos, os responsáveis pretendem instalar 10000 máquinas no continente africano e gerar 50000 empregos.

Onde estão os “startupeiros” do nordeste brasileiro? Aí está uma ótima ideia.



Publicidade