Categoria: Agronegocio

14 de outubro de 2021

Aprosoja sofre ataque terrorista em Brasília


aprosoja

Via Campesina assumiu abertamente a autoria do ataque que depredou a sede da entidade em Brasília

aprosoja

A Via Campesina coordenou um ataque terrorista na sede da Aprosoja – Associação Brasileira dos Produtores de Soja – na tarde desta quinta, 14 de Outubro. A entidade foi atacada como representante do agronegócio, eterno inimigo destas siglas ligadas a movimentos de esquerda no país.

Ainda que muitos veículos coloquem em destaque o acontecido apenas como “vandalismo”, o melhor seria dar nome aos bois e colocar o ato como ele é: terrorismo.

Segundo o Dicionário Oxford, terrorismo é definido como A) modo de impor a vontade pelo uso sistemático do terror. B) emprego sistemático da violência para fins políticos, esp. a prática de atentados e destruições por grupos cujo objetivo é a desorganização da sociedade existente e a tomada do poder. C) ameaça do uso da violência a fim de intimidar uma população ou governo, ger. motivada por razões ideológicas ou políticas e D) regime de violência instituído por um governo. 

 

A nota da Aprosoja

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) repudia de forma veemente a invasão e a depredação de sua sede na manhã desta quinta-feira (14.10), em Brasília.

A entidade já está tomando as providências cabíveis junto às autoridades policiais para que os responsáveis sejam identificados e responsabilizados por cada um dos crimes cometidos.

Esta invasão covarde é uma afronta ao Estado Democrático de Direito e coloca em risco a integridade física de seus colaboradores e associados.

No momento da invasão, uma funcionária da associação que estava no recinto precisou se esconder dentro do banheiro com medo de ser agredida pelas mais de 60 pessoas que participaram do crime.

Apesar do episódio, a entidade seguirá representando milhares de produtores rurais de todos os tamanhos e de todos os estados brasileiros que produzem soja e milho, grãos esses que são essenciais para garantir a alimentação da população brasileira e de diversos países.

Sem soja e milho não seria possível produzir carnes, leites, ovos e derivados, nem gerar e manter milhões de empregos no campo e, principalmente, nas cidades, com toda uma cadeia complexa de comércio, serviços e de logística induzida pela produção no campo.

Manifestações como esta não constroem nada de bom e são o oposto do que a sociedade brasileira precisa neste momento, que é de união, serenidade e equilíbrio para superar os efeitos da pandemia e da crise econômica que se seguiu, gerar empregos e combater a fome e cuidar dos mais vulneráveis. E é com este espírito que nos revestiremos para seguir trabalhando.

Ascom Aprosoja Brasil

O que diz o MST

VIA CAMPESINA OCUPA APROSOJA, EM BRASÍLIA!

Na manhã desta quinta (14), a Via Campesina ocupou a sede da Aprosoja, em Brasília (DF), com cerca de 200 pessoas escrachando o agronegócio e denunciando a fome, como parte da Jornada Nacional pela Soberania Alimentar!
O agronegócio tem estimativa de lucro na faixa do 1 trilhão de reais ainda em 2021. A soja ocupa 4% do território brasileiro, equivalente a 36 milhões de hectares. Tudo isso em meio a uma pandemia de já matou mais de 600 mil pessoas. E em um Brasil que sofre com 20 milhões de trabalhadoras e trabalhadores famintos.
Bolsonaro vetou o Projeto de Lei 823/2021 (PL Assis Carvalho), uma iniciativa organizada pelos movimentos populares do campo para garantir a Soberania Alimentar no país através de subsídios e investimentos na agricultura familiar e camponesa. Isso demonstra que o governo Bolsonaro é culpado pela miséria e pela fome dos brasileiros e brasileiras.
Bolsonaro se Alimenta da nossa Fome!
BolsoAgro é Fome, é Tóxico, é Fogo, é Morte!

O que diz a Via Campesina

Via Campesina Brasil ocupa Aprosoja em Brasília nesta quinta-feira (14)

via campesina aprosoja
Ação faz parte da Jornada Nacional da Soberania Alimentar que denuncia Agronegócio do país_
As Organizações da Via Campesina Brasil realizam, nesta quinta-feira (14), ações simbólicas nas cinco regiões do país em denúncia ao atual contexto do aumento da fome no Brasil, que faz parte da estratégia política do governo Bolsonaro. Em Brasília, no Distrito Federal, como parte da “Jornada Nacional da Soberania Alimentar: Contra o Agronegócio para o Brasil não passar fome”, ocorreu uma ocupação da Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja) pelos movimentos que compõem a Via Campesina.
A ação, que contou com a participação de cerca de 200 camponeses e camponesas, denunciou o protagonismo que o Agronegócio cumpre no crescimento da fome, da miséria e no aumento do preço dos alimentos no Brasil. Neste ano, o Agronegócio, com a produção de soja, milho e cana-de-açúcar, principalmente, está batendo recordes de exportações e lucros.

A extrema esquerda desafia Bolsonaro

A baixa quantidade de invasões de terras e atos do MST e assemelhados é peça constante do marketing presidencial. Com este ataque, fica a curiosidade quando aos procedimentos que serão adotados pelo Governo Federal e as forças de resposta a este tipo de ação, inteligência, identificação dos culpados e indenização. É preciso esclarecer se a questão terrorista vive apenas no mundo da disputa semântica ou o Estado Brasileiro vê assim dentro do nosso ordenamento jurídico.


13 de abril de 2021

Brasil tem o primeiro laboratório público de pesquisa acreditado para análise de inoculantes


embrapa soja

embrapa soja

Embrapa Soja é destaque

O Laboratório de Biotecnologia do Solo da Embrapa Soja (PR) recebeu, em março de 2021, a acreditação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) na norma ISO 17025:2017, tornando-se o primeiro laboratório de pesquisa público brasileiro apto a realizar análises de inoculantes e identificação de microrganismos. O reconhecimento do Inmetro impacta positivamente o mercado de insumos biológicos, em franco crescimento no País, com a comercialização de mais de 70 milhões de doses de inoculantes na última safra. Abre também portas para a exportação de bioinsumos pela indústria nacional.

Foram acreditados quatro ensaios biológicos, incluindo a avaliação da concentração e de pureza de inoculantes líquidos e turfosos, de recuperação de células inoculadas nas sementes e de identidade de microrganismos inoculantes. “Essa conquista é relevante porque os relatórios de ensaios referentes às análises de inoculantes emitidos por laboratório acreditado em ISO 17025:2017 são reconhecidos internacionalmente”, afirma o gestor de qualidade da Embrapa Soja, Moisés de Aquino.

Com esse reconhecimento, a Embrapa Soja passa a compor o seleto grupo de laboratórios internacionais com acreditação para garantir a produção de bioinsumos. “Estamos muito felizes com a acreditação, que dá ainda mais destaque à Embrapa como empresa que zela pela pesquisa e conservação de microrganismos, desenvolvimento e análise de bioinsumos e ainda mantém a agricultura brasileira em patamares elevados de produtividade e de sustentabilidade”, comemora Mariangela Hungria, pesquisadora da Embrapa Soja.

Do laboratório ao mercado

A Coleção de Culturas da Embrapa Soja começou em 1991, por iniciativa da pesquisadora Mariangela Hungria. Desde então, tem sido fonte de ativos biotecnológicos para o desenvolvimento de diferentes tecnologias, a exemplo da inoculação do milho, do trigo e de pastagens com braquiárias. Em 2014, por exemplo, a Unidade lançou a tecnologia de coinoculação nas sementes de soja e do feijoeiro, que consiste em combinar a inoculação com rizóbios(bactérias fixadoras de nitrogênio) e Azospirillum (bactéria com grande capacidade de síntese de fitormônios), permitindo ampliar o potencial produtivo das plantas. “Hoje há cerca de 4.500 estirpes armazenadas na Coleção da Embrapa Soja, o que representa um enorme potencial biotecnológico a ser explorado”, comenta a especialista em conservação de microrganismos Ligia Chueire.

A distribuição de estirpes microbianas pela Embrapa Soja para as indústrias de inoculantes teve início em 2018, quando o Mapa homologou a Coleção de Culturas. Segundo Mariangela, que é a curadora da coleção, em 2020 foram enviadas 155 estirpes de bactérias para a produção de inoculantes. “Cada lote de microrganismo fornecido é certificado quanto à espécie de bactéria, identidade da estirpe e eficiência no processo de promoção do crescimento de plantas avaliadas em laboratório, casa de vegetação e a campo, garantindo material genético de qualidade para a produção de bioinsumos”, afirma a pesquisadora.

O pesquisador Marco Antonio Nogueira pontua que todo esse processo é fundamental para garantir que as indústrias tenham acesso a recursos microbianos de alta qualidade. “Somente investindo na qualidade da manufatura será possível entregar produtos comprovadamente eficientes para o agricultor”, destaca.

Via EMBRAPA SOJA 

Veja também

Embrapa investe na produção de hambúrguer vegetal


19 de maio de 2020

Grama de jardim é a “lavoura” mais irrigada dos Estados Unidos


grama de jardim

Quantidade de água para irrigar grama de jardim no país ultrapassa o que é usado para o plantio de trigo ou milho nas lavouras americanas

Provalvelmente, o agronegócio já foi xingado por algum ambientalista americano morador de uma casa com um imenso gramado, sobre o uso excessivo de água. Acontece que justamente a grama de jardim é a “lavoura” que mais consome água nos Estados Unidos, segundo um estudo da NASA publicado em 2005.

O estudo analisou cerca de 163 mil km2 de gramados no país, incluindo os residenciais, comerciais, parques, campos de golfe e treinamento, o equivalente a 1,9% de toda a área continental dos Estados Unidos.

A localização dos gramados americanos no mapa.

É considerada uma necessidade de água de 25,4 mm por semana para os gramados, em média. Nos lugares mais secos, isso pode significar uma irrigação de 12,5 mm para completar a demanda. Depois de muitos cálculos, análise de diferentes técnicas de irrigação e diversidade dos terrenos, os técnicos chegaram a uma faixa de 695 a 900 litros de água por pessoa do país por dia para manter os gramados americanos.

O trabalho “A STRATEGY FOR MAPPING AND MODELING THE ECOLOGICAL EFFECTS OF US LAWNS” (Uma estratégia para mapeamento e modelagem do impacto ecológico dos gramados americanos, em uma tradução livre) não focou apenas na água, mas em todos os aspectos da planta, inclusive no potencial de sequestro de carbono.

Abordagens negativas

Com base no estudo, vários sites publicaram artigos condenando a tradição americana dos gramados. Entre eles, o ACHNews e o Grist. O último, pede simplesmente que todos os gramados sejam exterminados.

Quando alguém começar a debater sobre o uso da água na agricultura, comece perguntando se a pessoa conta com um gramado em casa ou no condomínio. De alguma forma, os números brasileiros devem ser significativos.

Da nossa parte, nada contra os gramados.

Veja também

Empresa da Noruega lança produto que recupera solos desertificados em horas.


7 de fevereiro de 2020

Economia com diesel seria reinvestida na lavoura, dizem agricultores


Economia com diesel

Em um hipotético corte de impostos nos combustíveis, produtores disseram ao Farmfor que investiriam o valor de volta no plantio, em sua maioria

O debate sobre a cobrança de impostos no Brasil pegou fogo (sem trocadilho) nesta semana, quando o presidente Jair Bolsonaro lançou um desafio aos estados brasileiros: se eles cortarem os impostos estaduais, ele corta o federal.

Questões técnicas à parte (alguns estados como o Rio Grande do Sul tiram quase 20% da sua receita do altíssimo imposto sobre os combustíveis) resolvemos indagar os seguidores sobre o que fariam com o dinheiro se esta medida entrasse em vigor. Algumas estimativas apontam uma economia de aproximadamente 90 centavos por litro.

A maioria disse que reinvestiria na lavoura, mais combustível, maquinário mais moderno, adubos, correção e assistência técnica. Em resumo: reinvestir tudo de volta na lavoura e aumentar a produção.

Economia com diesel

Claro que este não é um trabalho científico, não passa de um simples bate-papo com os nossos seguidores no Farmfor (via comentários e mensagens), mas fica uma possibilidade: menos impostos nos combustíveis poderiam representar mais produção e muito mais dinheiro na mão dos agricultores.


6 de outubro de 2019

Capitão Talkei é mais um ataque da Rede Globo ao Agro


Capitão Talkei

Setor é associado a agrotóxicos e desmatamento em desenho animado do humorístico Zorra, que satiriza o presidente Jair Bolsonaro

O programa “Zorra” – anteriormente conhecido como “Zorra Total” realizou mais um ataque contra a imagem do agronegócio neste sábado, 5 de outubro.

Da esquerda para a direita: Capitão Talquei é chamado pela união dos poderes do desmatamento, intolerância, golden shower, agrotóxicos e armamentos.

Um desenho animado que faz uma paródia do infantil “Capitão Planeta”, sucesso nos ano 90, mostra um Bolsonaro na figura do “herói” Capitão Talkei, com uma laranja no peito e sendo acionado pelos poderes armamentos, agrotóxicos, desmatamento, intolerância e golden shower (com um personagem que lembra o Deputado Federal do DEM-SP, Kim Kataguiri).

A cada interação, o Capitão Talkei dá um conselho para melhorar o desempenho de alguém. Para quem derruba uma árvore com um machado, ele oferece uma “serra elétrica” para fazer o serviço mais rápido.

Para uma família sendo assaltada, várias armas são oferecidas e “que se virem”.

O vídeo pode ser visto neste endereço, diretamente no site da Rede Globo.

O episódio é mais um dos frequentes ataques da emissora ao Agro, setor que responde por grande parte do faturamento da empresa como já destacamos aqui no blog.

No início de agosto de 2019, uma paródia do Sítio do Picapau Amarelo também colocou o agronegócio como vilão do meio ambiente. Relembre aqui.

A emissora não esconde sua agenda, espalhada pelo jornalismo, novelas e programas de humor, atrações quase sempre recheadas com blocos comerciais que vendem produtos alimentícios, camionetes para “o homem do campo” e volta e meia um quadro chamado “Agro é POP”, com louvores ao setor. Uma hipocrisia sem limites.

Tá na hora de acordar.


25 de junho de 2018

Kuhn do Brasil e Agral doam equipamentos para o IFRS Campus Sertão


O Núcleo de Estudos de Solos e Máquinas Agrícolas (NESMA) do Ifrs Campus Sertão realizou este ano grandes parcerias, uma com a empresa Kuhn do Brasil, e outra com Agral equipamentos eletrônicos. O fruto desta parceria originou a doação de uma semeadora de culturas de verão, de 7 linhas, realizada pela empresa Kuhn, e a parceria com a Agral gerou a instrumentação eletrônica da semeadora SHM 15/17, o qual agora conta com monitor de semeadura AG8000.
A semeadora com tecnologia Kuhn será utilizada na semeadura das culturas de verão do IFRS Campus Sertão, e, também nas aulas de mecanização dos cursos do campus, bem como, será objeto de estudo pelo NESMA. Esta semeadora na sequencia será equipada com monitor de plantio da Agral, e com a tecnologia de distribuição elétrica da Agromac, ficando assim “100% eletronica”. 


A semeadora SHM fruto da parceria do IFRS com a Semeato conta agora com monitor controlador de semente, que irá monitorar a distribuição de semente.
Os alunos do campus ganham com essas parcerias conhecimentos, o NESMA consegue por em prática seus conhecimentos, disponibilizando a seus bolsistas participação em pesquisa aplicadas, com interface entre escola-comunidade, e o Ifrs Campus Sertão realiza parte da sua função social.

As informações e imagens são do professor David da Rosa, via Facebook.


4 de março de 2018

Globo Rural mostra a colheita de soja no Mato Grosso


colheita de soja

Programa foi para propriedade em Ipiranga do Norte, MT, para mostrar a lida na colheita.

O Globo Rural deste domingo, 4/3/2018, exibiu uma reportagem especial sobre a colheita no Mato Grosso, visitando uma propriedade na cidade de Ipiranga do Norte. O trabalho, o desafio da chuva e as atribuições de diversas pessoas envolvidas no trabalho ilustraram a matéria, do operador de colheitadeira até os caminhoneiros, passando pelo operador de fornalha, na secagem dos grãos.

Acesse a reportagem no Link do G1.


8 de junho de 2016

Quem quer dinheiro? Banco está procurando interessados em contrair empréstimos para projetos na área rural


Quem quer dinheiro

O BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) tem milhões de dólares para emprestar, mas você precisa estar qualificado

Uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, O Ministério da Agricultura, a Embaixada Britânica e o Banco do Brasil, quer financiar e dar suporte técnico para projetos agrícolas sustentáveis.

São o foco do programa, projetos de Integração-lavoura-pecuária-floresta, Recuperação de áreas degradadas, Plantio Florestal Comercial e Manejo Sustentável de Florestas Nativas.

Agricultores das seguintes cidades podem concorrer:

Mato Grosso

Alta Floresta, Brasnorte, Cotriguaçu, Juara, Juína, Marcelândia, Nova Canaã do Norte, Querência, Sinop, Terra Nova do Norte. 

Pará

Dom Eliseu, Ipixuna, Marabá, Medicilândia, Paragominas, Rondon do Pará, Santana do Araguaia, Tailândia, Tomé-Açu, Tucumã.

Rondônia

Alta Floresta d’Oeste, Ariquemes, Buritis, Cerejeiras, Gov. Jorge Teixeira, Machadinho d’Oeste, Parecis, Rolim de Moura, Santa Luzia d’Oeste, Theobroma.

Bahia

Ibirapitanga, Igrapiúna, Ituberá, Nilo Peçanha, Piraí do Norte, Camamú, Maraú, Presidente Tancredo Neves, Taperoá e Valença.

Minas Gerais

Setubinha, Malacacheta, Franciscópolis, Poté, Araçuaí, Padre Paraíso, Teófilo Otoni, Itambacuri, Novo Oriente de Minas, Capelinha.

Paraná

Bandeirantes, Primeiro de Maio, Paranavaí, Nova Londrina, Dois Vizinhos, Itapejara D’Oeste, Renascença, Realeza, Francisco Beltrão, Verê.

Rio Grande do Sul

Passo Fundo, Erechim, Ciríaco, Lagoa Vermelha, Frederico Westphalen, Boa Vista das Missões, Vacaria, Machadinho, Barros Cassal, Agudo.

No SITE DO PROJETO todas as informações sobre contratações, perfil dos candidatos e tipos de iniciativas financiáveis. Não percam tempo!


2 de junho de 2011

Lista dos frigoríficos banidos pelo embargo da Rússia


SIF Company City State Meat

12 FRIGORIFICO MABELLA LTDA Frederico Westphalen Rio Grande Do Sul Pork
42 JBS S/A Barra Do Garças Mato Grosso Beef
60 SADIA S/A Três Passos Rio Grande Do Sul Pork
102 BRF BRASIL FOODS S. A. Marau Rio Grande Do Sul Pork
103 BRF BRASIL FOODS S. A. Serafina Corrêa Rio Grande Do Sul Chicken
119 KAEFER AGRO INDUSTRIAL LTDA Laranjeiras Do Sul Paraná Pork
167 COOPERATIVA DOS SUINOCULTORES DE ENCANTADOE LnTcDanAtado Rio Grande Do Sul Pork
237 PENASUL ALIMENTOS LTDA Roca Sales Rio Grande Do Sul Chicken
424 BRF BRASIL FOODS S. A. Carambeí Paraná Chicken / Pork
437 FRIGORIFICO MABELLA LTDA. Caxias Do Sul Rio Grande Do Sul Chicken
544 PENASUL ALIMENTOS LTDA Caxias Do Sul Rio Grande Do Sul Chicken
585 MATADOURO FRIGORÍFICO PANTANAL LTDA Várzea Grande Mato Grosso Beef
592 MARGEN S/A Paranavaí Paraná Beef
730 COOPERATIVA LANGUIRU LTDA Westfalia Rio Grande Do Sul Chicken
760 COOP.REGIONAL CASTILHENSE DE CARNES E DERIVADJúOlioS De Castilhos Rio Grande Do Sul Pork
797 COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL – COPAGRIL Marechal Cândido Rondon Paraná Chicken
876 DOUX FRANGOSUL S/A AGRO AVÍCOLA INDUSTRIAL Caxias Do Sul Rio Grande Do Sul Pork
915 ALIBEM COMERCIAL DE ALIMENTOS LTDA Santo Ângelo Rio Grande Do Sul Pork
922 DOUX FRANGOSUL S/A AGRO AVÍCOLA INDUSTRIAL Passo Fundo Rio Grande Do Sul Chicken
959 COMPANHIA MINUANO DE ALIMENTOS Passo Fundo Rio Grande Do Sul Chicken
981 FRINAL S/A – FRIGORÍFICO E INTEGRACÃO AVÍCOLA Garibaldi Rio Grande Do Sul Chicken
1163 FRIGORÍFICO BIG BOI LTDA Paiçandu Paraná Beef
1184 COTRIJUÍ – COOPERATIVA AGROPECUARIA & INDUSTRSIAãLo Luiz Gonzaga Rio Grande Do Sul Pork
1215 AGRÍCOLA JANDELLE S. A. Rolândia Paraná Chicken
1449 BRF BRASIL FOODS S. A. Lajeado Rio Grande Do Sul Chicken
1651 MARFRIG ALIMENTOS S/A Capão Do Leão Rio Grande Do Sul Beef
1661 COMPANHIA MINUANO DE ALIMENTOS Lajeado Rio Grande Do Sul Chicken
1672 KAEFER AGRO INDUSTRIAL LTDA Cascavel Paraná Chicken
1733 FRIGORIFICO SILVA INDUSTRIA E COMERCIO LTDA Santa Maria Rio Grande Do Sul Beef
1751 MARFRIG ALIMENTOS S/A Tangará Da Serra Mato Grosso Beef
1778 JBS S/A Maringá Paraná Beef
1880 GONÇALVES & TORTOLA S/A Paranavaí Paraná Chicken
1886 FRIGORÍFICO MATABOI S/A Rondonópolis Mato Grosso Beef
1926 MFB MARFRIG FRIGORÍFICOS BRASIL S. A. Capão Do Leão Rio Grande Do Sul Beef
1985 SADIA S/A Dois Vizinhos Paraná Chicken
2007 MFB MARFRIG FRIGORIFICOS BRASIL S. A. Alegrete Rio Grande Do Sul Beef
2015 SADIA S/A Várzea Grande Mato Grosso Beef
2019 JBS S/A Pedra Preta Mato Grosso Beef
2032 DOUX FRANGOSUL S/A AGRO AVÍCOLA INDUSTRIAL Montenegro Rio Grande Do Sul Chicken
2146 ALIBEM COMERCIAL DE ALIMENTOS LTDA Santa Rosa Rio Grande Do Sul Pork
2227 SEARA ALIMENTOS S/A Jacarezinho Paraná Chicken
2345 IFC INTERNATIONAL FOOD COMPANY INDÚSTRIA DE ALNIoMvEa NXTavOaSn tSin.a A. Mato Grosso Beef
2500 MARFRIG ALIMENTOS S/A Paranatinga Mato Grosso Beef
2518 SADIA S/A Francisco Beltrão Paraná Chicken
2911 BRF BRASIL FOODS S. A. Mirassol D’Oeste Mato Grosso Beef
2913 JAGUAFRANGOS INDUSTRIA E COMERCIO DE ALIMENTJOagSu LaTpiDtãA Paraná Chicken
2979 JBS S/A Araputanga Mato Grosso Beef
3031 JBS S/A São José Dos Quatro Marcos Mato Grosso Beef
3169 FRIGORIFICO NICOLINI LTDA Garibaldi Rio Grande Do Sul Chicken
3300 C. VALE – COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL Palotina Paraná Chicken
3348 VALE GRANDE INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ALIMENTOSS iSno/Ap Mato Grosso Beef
3371 SADIA S/A Várzea Grande Mato Grosso Chicken
3551 INTERCOOP INTEGRACAO DOS SUINOCULTORES DO MNÉoDvaIO M NutOumRTE MATOGROSSENSMEa tLoT GDrAosso Pork
3704 FRIGORIFICO LARISSA LTDA Iporã Paraná Pork
3767 ANHAMBI ALIMENTOS NORTE LTDA Tangará Da Serra Mato Grosso Chicken
3847 COOPERATIVA CENTRAL OESTE CATARINENSE Sarandi Rio Grande Do Sul Pork
3941 AGRA AGROINDUSTRIAL DE ALIMENTOS S/A Rondonópolis Mato Grosso Pork
3962 FRIGORÍFICO VALE DO GUAPORE S/A Pontes E Lacerda Mato Grosso Beef
3975 AVIPAL S/A – ALIMENTOS Lajeado Rio Grande Do Sul Pork
4017 AGROSUL AGROAVICOLA INDÚSTRIAL S/A São Sebastião Do Caí Rio Grande Do Sul Chicken
4041 AGROSUL AGROAVICOLA INDUSTRIAL S/A Caxias Do Sul Rio Grande Do Sul Chicken
4268 GUAPORÉ CARNE S/A Colíder Mato Grosso Beef
4365 MFB MARFRIG FRIGORÍFICOS BRASIL S. A. Nova Londrina Paraná Beef
4393 QUATRO MARCOS LTDA Vila Rica Mato Grosso Beef
4444 COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL LAR Matelândia Paraná Chicken
4466 SUPERFRIGO INDUSTRIA E COMERCIO AS Rondonópolis Mato Grosso Beef

Fonte: BRMEAT



Publicidade