Moo Too – o movimento feminista contra a pecuária leiteira

Publicado por farmfor em

Moo Too

Ativistas dos direitos dos animais consideram que tirar leite de vaca é equivalente a abuso e organiza protestos em diversas partes dos EUA

Mais um para a lista dos inimigos do agro: ativistas que consideram a produção leiteira um abuso sexual e organizam protestos contra a atividade, com encenações em locais com grande fluxo de pessoas ou cobertura da mídia.

O nome Moo Too é um trocadilho que faz alusão ao movimento feminista Me Too, este sim dedicato ao abuso sexual sofrido por mulheres iniciado em 2017 e com participação de personalidades do cinema, notadamente denunciando grandes casos dentro da própria indústria, como as acusações de assédio do produtor de cinema Harvey Weinstein.

Voltando ao mundo animal, estes ativistas insistem na ideia que vacas são violentadas para a produção de leite, que seus bezerros são afastados logo nos primeiros minutos após o nascimento e que em geral há muito sofrimento nas propriedades.

O discurso não é novo, mas o foco e a adoção do nome Moo Too é mais um passo na escalada contra o agronegócio e que logo deverá chegar ao Brasil por imitação.

Ideias endossadas até por acadêmicos

O Departamento de Estudos de Gênero da Universidade de Nova Iorque publicou um estudo dizendo que ordenhar vacas é equivalente a abuso sexual, provoca trauma relacionado a gravidez e que as vacas recebem tratamentos hormonais sem consentimento. Além destas máximas absurdas, uma série de comparações com as mulheres é feita pelo documento.

O estudo pode ser acessado aqui: Readying the Rape Rack: Feminism and the Exploitation of Non-Human Reproductive Systems.

Veja também: Produtor de leite desafia o “Coringa”: venha conhecer a vida na fazenda.

Alguns ativistas não são pacíficos

No dia 16 de fevereiro, um discurso do candidato democrata a presidência dos Estados Unidos, Bernie Sanders, foi invadido por ativistas segurando placas com a singela mensagem #LetDairyDie – deixe a indústria de laticínios morrer, em uma tradução livre – com direito a retirada forçada do microfone enquanto o político discursava e algumas integrantes fazendo topless.

Veja também (com restrições, o texto é favorável ao movimento)

Op-Ed: The abuse of dairy cows is a feminist issue. Yes, the ‘Moo Too’ movement is here.