Mel sintético é feito com o uso de uma bactéria. A técnica ganhou medalha de ouro em competição científica americana.

Um grupo de 12 estudantes do Instituto Israelita de Tecnologia (Technion) consegui desenvolver um mel sintético, sem abelhas. A técnica consiste em usar a bactéria Bacillus subtilis, reprogramada em laboratório para “aprender” a fazer mel.

O estudo ganhou uma medalha de ouro em uma competição do iGEM – International Genetically Engineered Machine – entre 300 instituições de ensino.

O mel no laboratório.

Tudo funciona da seguinte maneira: a bactéria modificada geneticamente processa uma solução similar ao néctar, com secreção de enzimas que imitam o que acontece no estômago da abelha.

O grupo alega que o produto, que ganhou o nome de Beefree (livre de abelhas) é uma alternativa sustentável para a produção de mel.

Mel Sintético

Confira os dados técnicos do projeto neste link em inglês.

Leia também: Orvalho de Deus, inspiração de Israel nos planos de Bolsonaro.

Facebook Comments