Tag: União Européia

14 de maio de 2022

Belarus denuncia a hipocrisia da União Européia quando se fala em Amazônia


belarus denuncia

Embaixada de Belarus Denuncia o duplo padrão moral de quem condena o Brasil enquanto tem problemas em casa

 

A Embaixada de Belarus postou nas redes sociais uma dura crítica aos países da União Européia que fazem denúncias sobre o desmatamento no Brasil e não falam sobre a própria devastação ambiental nos países membros. Foi destacada a questão da Floresta Białowieża, na fronteira de Belarus com a Polônia:

 

belarus amazonia

 

A postagem da Embaixada de Belarus no Facebook:

Exemplo dos duplos padrões ocidentais.

É interessante observar que quando se trata da situação na Amazônia, a #UE 🇪🇺 fala de crimes contra a humanidade devido ao desmatamento, a proteção da flora amazônica é necessária para combater a mudança climática.
No entanto, quando se trata da morte de animais na floresta #Białowieża, a destruição do único ecossistema florestal relíquia na Europa devido à construção de uma cerca na fronteira com #Belarus 🇧🇾 , os valores ambientais da UE se tornam menos valiosos…

A postagem ainda marca as seguintes contas e hashtags no Facebook:

МИД Беларуси Ministério das Relações Exteriores Unesco Brasil #nobarriers #savebiodiversity #WildlifeProtection IUCN UN Environment Programme WWF-Brasil #AgirÉurgente #PuszczaBiałowieska.

PS. Ocidental o Brasil também é, mas entendemos a postagem.


9 de abril de 2022

Agricultores europeus vão receber bilhões de euros em ajuda


agricultores europeus

Dinheiro na conta, redução de impostos, desconto no diesel e na conta de luz estão no pacote de ajuda para os agricultores europeus, da UE e dos próprios governos

agricultores europeus

 

Que a Guerra na Ucrânia afetou os agricultores no mundo inteiro já é uma realidade conhecida. Agora, os governos da Europa começaram a criar pacotes de ajuda financeira e políticas de garantia de insumos para os produtores. Estes são alguns valores e práticas que conseguimos apurar até agora:

Só a Comissão Européia vai destinar 500 milhões de euros para os países afetados, e cada um deles vai complentar de alguma forma o pacotão.

Para os produtores da Espanha, a fatia da União Européia será de 64,5 milhões, mais 450 milhões do próprio governo espanhol, além da redução de impostos em até 20% e um abatimento na conta de água para irrigação.

Para os agricultores franceses, o governo destinará 400 milhões de euros e desconto especial no diesel de 15 centavos por litro. Há também uma política para garantia de fornecimento de fertilizantes – eles chamam de “plano de soberania em nitrogênio -, basicamente um incentivo para a produção de adubos com esterco e outras fontes alternativas e descontos em conta de energia elétrica.

Na Alemanha – vejam só – cerca de um milhão de hectares em terras que estavam protegidas por questões ambientais serão liberadas para o plantio, dependendo apenas de algumas aprovações legais. Da União Européia os agricultores da Alemanha vão levar 60 milhões, com outros 120 do próprio governo.

O listão completo do pacotão da UE

Confira abaixo quanto cada país membro receberá (em euros) para ajudar os agricultores no âmbito da crise causada pela guerra na Ucrânia:

 

Bélgica 6 268 410

Bulgária 10 611 143

República Tcheca 11 249 937

Dinamarca 10 389 359

Alemanha 60 059 869

Estônia 2 571 111

Irlanda 15 754 693

Grécia 26 298 105

Espanha 64 490 253

França 89 330 157

Croácia 5 354 710

Itália 48 116 688

Chipre 632 153

Letônia 4 235 161

Lituânia 7 682 787

Luxemburgo 443 570

Hungria 16 939 316

Malta 69 059

Holanda 8 097 139

Áustria 8 998 887

Polônia 44 844 365

Portugal 9 105 131

Romênia 25 490 649

Eslovênia 1 746 390

Eslováquia 5 239 169

Finlândia 6 872 674

Suécia 9 109 115

 

Saiba mais (em inglês)

COMMUNICATION FROM THE COMMISSION TO THE EUROPEAN PARLIAMENT, THE EUROPEAN COUNCIL, THE COUNCIL, THE EUROPEAN ECONOMIC AND SOCIAL COMMITTEE AND THE COMMITTEE OF THE
REGIONS – Safeguarding food security and reinforcing the resilience of food systems.

 

 

 


29 de dezembro de 2020

Mancozebe é cancelado em Portugal, seguindo regulamentação da UE


Mancozebe




Mancozebe

Para desespero de diversos agricultores em Portugal – especialmente para os produtores de batata – o mancozebe será banido do país e sua venda será proibida à partir do dia 4 de janeiro, seguindo regulamentação da União Européia. A aplicação poderá ser feita até janeiro de 2022.

O Ofício Circular 25/2020 da DGAV do dia 21 de dezembro foi publicado com a seguinte informação:

Assunto: Publicação do Regulamento de execução (UE) 2020/2087 da Comissão de 14 de dezembro de 2020 relativo à não renovação da aprovação da substância ativa mancozebe, em conformidade com o regulamento (CE) 1107/2009 do Parlamento Europeu e do Conselho relativo a colocação dos produtos fitofarmacêuticos no mercado, e que altera o anexo do Regulamento de Execução (UE) 540/2011 da Comissão.

A DGAV informa que foi publicado o Regulamento (UE) 2020/2087 da Comissão de 14 de Dezembro de 2020 relativo à não renovação da aprovação da substância ativa mancozebe.

Na base da decisão comunitária foram identificados vários motivos de preocupação específicos. Em particular, o mancozebe encontra-se com uma classificação harmonizada como tóxico para a reprodução da categoria 1B e não foi possível determinar se o mancozebe preenche os novos critérios para identificação das propriedades desreguladoras do sistema endócrino no que se refere aos seres humanos e, muito provavelmente, aos organismos não visados. Além disso, as estimativas de exposição dos operadores, trabalhadores e pessoas estranhas aos tratamentos excedem os valores de referência para as utilizações representativas avaliadas não podendo ser excluída a exposição ao mancozebe no decurso da aplicação de produtos fitofarmacêuticos contendo a substância ativa.

O Regulamento agora publicado entra em vigor no dia 04 de janeiro de 2021, sendo que o DGAV irá proceder ao cancelamento das autorizações de venda de produtos fitofarmacêuticos contendo mancozebe, não podendo os mesmos serem usados após 04 de janeiro de 2022.

Lisboa, 21 de dezembro de 2020.

Assina o Ofício a Subdiretora Geral Ana Paula de Almeida Cruz de Carvalho.

Medida gera protestos

porbatata

Na página do Facebook da Porbatata, a Associação da Batata de Portugal, alguns produtores reagiram contra o ofício, colocando em dúvida se o produto será proibido também nos países que exportam para Portugal, como o Marrocos e outros fora da União Européia. Em grupos diversos que unem agricultores, o relato é de tristeza, ameaças de fim da agricultura e igualmente preocupação com a entrada de produtos concorrentes sem as mesmas exigências sanitárias. Um membro do grupo “Agricultura em Portugal” resume a situação: Como dizia o meu avô, não morres da doença, mas vais morrer da cura.

Sobre o Mancozebe (via Adama).

O mancozebe pertence ao grupo dos ditiocarbamatos e, mais especificamente, à classe dos compostos conhecidos como etilenobisditiocarbamatos.

O Mancozebe, complexo com sal de zinco, é um fungicida de atividade multissítio que impacta em muitos sítios vitais do metabolismo celular dos fungos, nele estão contidos 20% de manganês e 2,55% de Zinco.

Cada partícula do Mancozebe é composta por uma camada externa rica em zinco, envolvendo um núcleo central de EBDC polimericamente estruturado. Essa é uma estrutura extremamente estável e a baixa solubilidade da camada externa de zinco significa que o EBDC pode passar através dessa camada e ser depositada na superfície foliar em uma taxa controlada.

Esse período de proteção das folhas passa por uma liberação controlada que auxilia na regulação da duração na eficiência do fungicida e aumenta o período de proteção. Logicamente, para resultar em melhor controle, uma camada contínua, ou barreira de mancozebe, deve estar presente na superfície foliar.

Tenacidade, é a capacidade de um fungicida (i.a) permanecer aderido à superfície da planta. Pode ser definida como a capacidade do fungicida a resistir a fotólise, hidrólise, remoção ou lixívia pela chuva, sublimação e volatização.

Além de ser fungicida, matador de fungos, alguns compostos podem apresentar alguns efeitos na fisiologia das plantas, outros ainda mostram um efeito nutricional adicional ou estimulante, e ainda de redução do crescimento da planta tratada.

No entanto, o mancozebe também apresenta esse efeito benéfico ao fornecer às plantas os micronutrientes Mn e Zn, desses apenas o Mn é aplicado em quantidade suficiente para satisfazer à demanda das plantas evidenciando no maior crescimento vegetativo.

Trabalho feito na Embrapa Trigo (Reis e Floss, 1980), demonstrou que o manebe e o mancozebe, pulverizados na folhagem, fornecem elementos minerais que promovem um maior desenvolvimento das plântulas de trigo.

Em relação à toxicologia, o mancozebe tem sido alvo de inúmeras pesquisas exaustivas envolvendo sua toxicologia desde 1970, em extensivas revisões regulatórias em muitos países, e em vários locais concluiu-se que, quando aplicado de acordo com as recomendações da bula, é aceitável para o uso na agricultura moderna.

Os dados completos podem ser acessados no site da Adama Brasil.

Veja também

Resolução do Parlamento Europeu, de 18 de dezembro de 2019, sobre o projeto de regulamento de execução da Comissão que altera o Regulamento de Execução (UE) n.º 540/2011 no que se refere à prorrogação dos períodos de aprovação das substâncias ativas benfluralina, dimoxistrobina, fluaziname, flutolanil, mancozebe, mecoprope-P, metirame, oxamil e piraclostrobina (D064213/02 – 2019/2925(RSP)).

 


31 de dezembro de 2019

O lamento de um produtor espanhol ao destruir um pomar


produtor espanhol

Produtor espanhol gravou vídeo para justificar a derrubada de seu pomar de caqui na região de Valência, sem condições para continuar na atividade

A página espanhola “Pimientero” publicou, recentemente, um triste vídeo onde um produtor de caqui explica os problemas para quem está na atividade na Espanha enquanto ao fundo alguém corta rente os pés de caqui no pomar.

O que ele descreve, é uma tempestade perfeita: custo de produção muito acima do preço de mercado (18 centavos de euro contra 10), concorrência com produtos africanos e a falta de defensivos aprovados que combatam as pragas na produção.

https://www.facebook.com/1632395910381813/videos/593854634759433/

Hoje, são capazes de ir a marte, gastar milhões, mas são incapazes de combater um simples bichinho insignificante que aqui chamamos de cotonet. Não podem terminar com ele pois com os produtos disponíveis aqui na Europa é impossível combater.

O cotonet mencionado no vídeo é o Pseudococcus viburni, uma espécie de cochonilha, uma praga que também ataca a produção de vinho na Nova Zelândia e na Califórnia.

Quando publicamos na página sobre os rumos da produção agrícola na Europa, logo nossos seguidores comentam que “falta pouco para o agricultor não conseguir mais trabalhar com tanta proibição”. Parece que agora não falta mais, os exemplos estão aí.

O pomar derrubado.

O vídeo encerra com uma defesa das cooperativas, uma reclamação sobre os políticos que não ouvem os agricultores do país e o reforço sobre os agroquímicos ineficientes disponíveis no país.

Até o momento desta publicação, o vídeo conta com 1200 reações, 4,6 mil compartilhamentos e 178 mil visualizações.

Leia também

Espanha quer acabar com os subsídios para os “Agricultores de Sofá”.


30 de junho de 2019

Entidades do agro europeu estão furiosas com o acordo UE-Mercosul


Acordo UE-Mercosul

Cooperativas, sindicatos e associações estão reclamando de práticas injustas e exigências desiguais para agricultores da Europa, face aos colegas do Mercosul

Poucas horas depois da revelação do acordo UE-Mercosul, várias entidades que representam os interesses dos agricultores europeus começaram a reclamar muito na imprensa e nas redes sociais.

Placas de “Game Over” (o jogo acabou) e outras artes inundaram as redes sociais de sindicados como o COPA-COGECA, uma união entre sindicato de agricultures e cooperativas agrícolas e o francês FNSEA.

Secretário geral do COPA-COGECA, reclamando no Twitter uma semana antes do anúncio sobre o acordo. Diz ele (no tweet): “O acordo com o Mercosul promove um duplo padrão, colocando os agricultores europeus em risco. Nós não podemos permitir que o final de jogo para as negociações do acordo EU-Mercosul signifiquem o fim do jogo para o modelo agrícola europeu!”

Políticos também estão repercutindo negativamente o acordo, como o Ministro da Agricultura da Irlanda, Michael Creed, extremamente “desapontado” com a decisão.

Muita água ainda vai rolar nas semanas seguintes. Uma leitura completa do texto do acordo ainda é necessária, destacando os pontos de vantagem e perigo para os agricultores brasileiros, direta e indiretamente. Por hora, estas reclamações dos europeus focam muito nas supostas questões ambientais e de sanidade em nossa agricultura.

Leita também: Frigorífico da Bélgica vendia carne de 12 anos para o Kosovo.

A foto de capa deste post é do Ministério de Relações Exteriores.


13 de março de 2018

Frigorífico da Bélgica vendia carne de 12 anos para o Kosovo


Carne vencida em 2004 era vendida como nova em 2016, segundo denúncia de jornal belga.

 

O site belga Het Laatste Nieuws denunciou que frigoríficos do país estavam fornecendo carne vencida desde 2004 para clientes do Kosovo. O golpe foi revelado através de documentos judiciais só agora divulgados pelas autoridades.

 

 

Um caminhão frigorífico procedente da região de Bastogne, na Bélgica, foi apreendido no Kosovo com a maioria da carga sem identificação, mas os golpistas “esqueceram” algumas peças com etiquetas de 2004. Foi apurado também que a carne era de outras regiões do país e que a empresa Veviba era um centro para troca de embalagens e falsificação de marcas.

Ainda segundo o HLN, as autoridades belgas descobriram a fraude da “máfia da carne” em 2016, mas só informaram o Kosovo em fevereiro deste ano.

Os produtos adulterados eram da região de Izegem e Harelbeke. Não há informações sobre prisões dos responsáveis.

Relembre: Carne de cavalo, podre ou contaminada. Relembre o escândalo europeu de 2013.



Publicidade