Tag: Argentina

23 de junho de 2020

Os gafanhotos da Argentina estão chegando


gafanhotos

Nuvem de gafanhotos vinda do Paraguai atravessou a Argentina e já está próxima da fronteira do Brasil

Um pesadelo para os agricultores argentinos com proporções bíblicas está passando perto do Brasil: uma nuvem de gafanhotos vinda do Paraguai está sendo monitorada dia a dia pelas autoridades.

Nas últimas horas foram registrados avistamentos em Perugorria (Corrientes), distante 150 km em linha reta da cidade de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul.

Nuvem de gafanhotos na região de El Sombrerito – Santa Fé, no dia 18 de junho:

gafanhotos
gafanhotos
gafanhotos
gafanhotos

Havia uma expectativa das autoridades argentinas sobre a possibilidade da nuvem de gafanhotos atravessar (ou não) o Rio Paraná. Os insetos finalmente atravessaram o rio entre os dias 18 e 19, rumo ao sul e tocados pelo vento.

Boletim da Senasa, órgão argentino que monitora a situação da praga no país. Os pontos e regiões em vermelho são as com maior potencial de dano.

É bom ficar de olho: a tendência do deslocamento da nuvem é sentido norte – sul, descendo cada vez mais ao território argentino, mas mudanças nas condições do tempo (especialmente vento) e na dinâmica das nuvens podem desviar uma parcela para o Brasil.

Como acompanhar o deslocamento

O Twitter é uma ótima ferramenta para acompanhar postagens rápidas sobre a nuvem de gafanhotos. Se você não possui o aplicativo no celular, não deixe de instalar e criar uma conta. Dentro da rede, procure monitorar a hashtag #langostas – o que pode ser feito também pelo browser, sem a necessidade de instalação, basta clicar neste link. Prestem atenção também na conta de Hector Emilio Medina, agrônomo e chefe de um programa nacional sobre as pragas.

A Langosta

O gafanhoto em questão, conhecido por lá como langosta sudamericana é o Schistocerca cancellata. Os insetos, apesar do grande potencial de dano divulgado pela mídia, está em sua fase adulta, quanto não atacam com tanta voracidade as vegetações.

O maior problema vem depois: quando toda esta nuvem assentar e reproduzir, deixando seus ovos como herança para uma próxima geração que acordará (aí sim) com muita fome. Um problema que, sem um primeiro momento, será principalmente da Argentina.

Veja também

Biblical locust plague hits Argentina as millions of bugs fill the skies.

Hace 73 años no ingresaba una manga de langostas a Corrientes.

Langostas: “Preocupa la dimensión que tienen”, dijo Daniela Vitti.

MANGA DE LANGOSTAS ATRAVIESAN ARGENTINA Y PONEN EN ALERTA A URUGUAY Y BRASIL.


27 de dezembro de 2019

Agricultores argentinos protestam contra medidas do novo governo


agricultores argentinos

Agricultores argentinos colocam tratores nas ruas e destroem lavouras de soja em protesto contra o aumento de impostos do novo governo socialista

O novo governo do socialista Alberto Fernandez começou com o pé esquerdo (sem trocadilho) com os agricultores argentinos. As medidas econômicas aprovadas pelo Senado acabaram levando os produtores com seus tratores para as ruas nesta sexta, dias depois de imagens com lavouras de soja destruídas tomaram conta da internet.

https://twitter.com/BlueValerie_/status/1210736748470259712

Entre as novas políticas econômicas do país estão a taxação de 30% para a compra de dólares americanos e aumento de impostos para exportações agroindustriais.

Os impostos para exportação de soja e derivados poderá ficar em 33%. Milho, trigo, sorgo, girassol e cevada em 15%. Carnes, produtos lácteos hortaliças, madeira e manufaturados de algodão, 9%.

Entidades que representam produtores já estão em ampla negociação com o governo para rever as políticas. Leia em El Gobierno analiza cambios en el esquema de retenciones, do site Cadena 3.

O projeto LEY DE SOLIDARIDAD SOCIAL Y REACTIVACIÓN PRODUCTIVA EN EL MARCO DE LA EMERGENCIA PÚBLICA pode ser baixado inteiro (em espanhol) neste link.


28 de junho de 2019

Você sabia? Existe um Fiat Toro modelo New Holland


Fiat Toro

Versão da camionete é fabricada no Brasil e vendida na Argentina, já na segunda edição

A New Holland faz parte da CNH Global que, por sua vez, pertence ao Grupo Fiat. A família resolveu brincar um pouco com esta combinação através de uma camionete Fiat Toro, “edição” New Holland, que já está na segunda edição, a Fiat Toro New Holland II.

A camionete é vendida na Argentina, importada do Brasil e fabricada à partir da versão Toro Freedom 2.0 AT9 4×4. De New Holland, adesivos na lataria e descontos na compra conjunta da Toro com modelos de colheitadeiras da New Holland.

O modelo tem motor 2.0 turbodiesel de 170 cv, câmbio automático de 9 velocidades e tração nas 4 rodas. Será vendida por 1.129.000 de pesos, cerca de R$ 102 mil no câmbio de hoje.

Modelo similar , no Brasil, sai por R$ 140 mil.

Veja mais: Lanziamento: Fiat Toro New Holland II.


26 de junho de 2019

Revelado o mistério do tanque de Anguil, na Argentina


Tanque de Anguil

Vídeo com estranha onda em tanque de água viralizou na internet, mas a ciência explica o mistério

Um vídeo mostrando uma estranha onda que nunca transborda, viralizou na internet.

Um tanque de água em uma área rural da localidade de Anguil, na Argentina, foi flagrado com o estranho fenômeno no vídeo abaixo:

Os comentários nas postagens especulavam sobre diversas razões para a estranha forma de onda, mas a ciência pode explicar o fenômeno.

Trata-se da Seicha, uma onda estacionária de longo período que ocorre em corpos de água confinados, como no tanque do vídeo.

Diz a Wikipedia:

As seichas são fenómenos ondulatórios que se estabelecem em corpos de água confinados, assumindo os trens de ondas formados modos de oscilação que correspondem aos períodos naturais de ressonância do corpo de água. Por outras palavras, as seichas são um fenómeno semelhante ao que ocorre num recipiente com superfície livre contendo água, se este for sujeito a uma oscilação próxima da sua frequência natural: a água entra em oscilação, subindo e descendo com nodos e ventres distribuídos em função das dimensões do recipiente e do comprimento de onda da oscilação (sendo o comprimento um múltiplo exacto da distância entre nodos).

Na natureza o fenómeno é causado pela ressonância num corpo de água confinado que foi perturbado por uma força oscilatória, em geral o vento ou ondulação proveniente de águas confinantes. Embora menos frequentes, os sismos podem ser causa de seichas (o mecanismo de formação das seichas apresenta muitos aspectos em comum com o da formação de tsunamis).

No caso do Tanque de Anguil, as dimensões (diâmetro e profundidade) bem como a variação de temperatura entre a superfície e o fundo podem ter colaborado para a criação da onda concêntrica tão peculiar. O vento também pode ajudar.

Onda similar, criada em laboratório

Existe um incrível centro de pesquisas de energia oceânica na Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, capaz de simular diversas ondas em uma piscina circular. O tanque contém dezenas de aletas que, controladas por computador, empurram a água na direção desejada.

O sistema é capaz de gerar ondas concêntricas como as que apareceram no Tanque de Anguil, em uma frequência superior até espirrar a água no centro da formação:

Saiba mais: Oleaje en el tanque: se trataría de un «seiche», una rara forma de ondulación del agua.


11 de maio de 2019

Veja quantas toneladas de soja compram um iPhone em diversos países


compram um iphone

Pesquisamos os preços do aparelho e as cotações em diferentes locais, como indicador do poder de compra de um agricultor

A soja é uma commodity vendida nos principais mercados do mundo e como tal seu preço varia de acordo com as cotações internacionais e disponibilidade no local. Já os sonhados (por quase todo mundo) iPhones variam de preço conforme a realidade dos impostos cobrados em cada país.

Pesquisamos o preço do iPhone XS de 64GB em diversos países e fizemos a conta: quantas toneladas de soja um agricultor precisa vender para comprar um aparelho? Considere a comparação apenas informativa, não analisamos os custos de cada produtor, é apenas um indicador da capacidade de compra nos diversos locais em uma abordagem totalmente informal.

Brasil

O agricultor brasileiro precisa vender 6,6 toneladas de soja para comprar um iPhone XS 64GB. Este preço (e os demais) são baseados nas cotações médias do dia 10 de maio de 2019 e no preço do aparelho nas lojas da Apple em cada país.

Rússia

Na Rússia, 7,85 toneladas compram o iPhone.

Argentina

Sem loja oficial, os irmãos da Argentina precisam de 12,05 toneladas para adquirir o smartphone.

Ucrânia

Assim como na Argentina, a Ucrânia não tem loja oficial da Apple, nem presença via site. De forma surpreendente, saem em vantagem: são “apenas” 2,78 toneladas para a compra.

Estados Unidos

No país da Apple, um agricultor vende 3,41 toneladas de soja para a compra de um iPhone XS 64. O aparelho custa US$ 999,00. Muitos americanos preferem comprar através da operadora, pagando bem pouco por mês, cerca de US$ 50,00.

Usamos esta brincadeira para lembrar que, apesar de trabalhar com um produto mundial, os agricultores são afetados durante a vida inteira em seus países em alguns casos com alta carga tributária e restrições de compra para certos confortos, como o de um telefone de alto padrão. Imaginem o resto.


2 de janeiro de 2019

AGCO fechará fábrica de tratores e motores na Argentina


AGCO

Alto custo financeiro, impostos e queda da demanda foram apontados como causa para o fechamento

Segundo o site argentino LaNoticia1, a AGCO vai fechar duas plantas no país vizinho: uma fábrica de motores localizada na cidade de Haedo e uma unidade que fabrica tratores em General Rodríguez. As empresas empregam 70 e 120 trabalhadores, respectivamente.

Ainda segundo o site, a informação teria sido confirmada pelo Sindicato de Mecánicos y Afines del Transporte Automotor (Smata).

Recentemente, a AGCO declarou que não fecharia a fábrica de General Rodríguez, deixando no ar a possibilidade do encerramento das atividades em Haedo.


1 de novembro de 2018

Colheitadeira argentina Angélica La Petiza


Colheitadeira Argentina

A colheitadeira argentina La Petiza é da marca Angelica, antiga fabricante de máquinas agrícolas do país vizinho, fundada em 1939

 

A Argentina também tem grandes clássicos no ramo de máquinas agrícolas. A Angelica foi fundada por Luis Boschetto, juntamente com seus irmãos Miguel e Antônio, em maio de 1939. O nome feminino vem da cidade onde foi criada a empresa: Angélica, no departamento de Castellanos, província de Santa Fé.

Antigo panfleto que divulgava os dados da colheitadeira.

 

A La Petiza foi fabricada entre 1960 e 1978, era equipada com motor Otto de quatro tempos refrigerado a água (foi fabricada também em uma versão diesel com motor Perkins.

 

Com dados do blog Pesados ArgentinosTractor & Construction Plant Wiki.

 

Leia textos sobre colheitadeiras no Blog do Farmfor.


15 de setembro de 2018

Argentina perdeu 420 propriedades leiteiras em um ano


Argentina perdeu

Dados são do Registro Nacional Sanitário de Produtores elaborado pela SENASA (Servicio Nacional de Sanidad y Calidad Agroalimentaria)

A Argentina perdeu (mais uma vez) propriedades leiteiras no último ano. Os dados são compilados pela SENASA e revelados no mês de setembro. No período 2017-2018, “sumiram do mapa” 420 tambos em nosso país vizinho. Nos últimos 17 meses, foram 595 unidades. Nos últimos 10 anos, a taxa média anual de perda foi de 0,7%. Nos últimos 30, o número chega em 3,4%. Ainda segundo a SENASA, a média mundial é de 4%.

Entre os culpados (desde 2014) estão a conhecida crise financeira da Argentina, duas inundações e um grave período de seca e a situação do mercado mundial de leite entre 2015 e 2016.

Veja também

Saiba mais:

SENASA (Servicio Nacional de Sanidad y Calidad Agroalimentaria).

Mundo Rural.

Bovinocultura no Blog do Farmfor.

 

 


26 de março de 2018

Argentino cria robô que distribui chimarrão


chimarrão

Dispositivo ainda dá bronca em quem demora para devolver a cuia.

 

A roda de chimarrão nunca mais será a mesma.

Ignacio Delarmelina, um engenheiro da cidade de San Lorenzo, na Argentina, criou um robô capaz de entregar o mate na roda de chimarrão. O robôzinho ainda dá bronca em quem demora demais para devolver a cuia, emitindo um sinal sonoro.

 

O robô foi desenvolvido nas horas vagas, em tom de brincadeira, cerca de quatro anos atrás. O criador não descarta levar o negócio a sério e desenvolver uma versão comercial.

Visto no El Ciudadano.


10 de março de 2018

John Deere negocia a compra da espanhola King Agro


A empresa fabrica as barras de fibra de carbono usadas pela marca.

King Agro é uma empresa espanhola, fabricante de barras de fibra de carbono com mais de 30 anos de experiência no mercado. Também é nossa “vizinha”, pois mantém uma unidade fabril na Argentina. Seus produtos são conhecidos no mercado por equiparem os pulverizadores da John Deere, mas a empresa também vende peças para outras marcas.

No início deste mês, a John Deere iniciou o processo de compra da King Agro. Uma empresa familiar que cresceu muito, e agora será absorvida pela “gigante verde”. Para os consumidores, pode significar a adição de peças em fibra de carbono em outras linhas da empresa, além das tradicionais barras nos pulverizadores.

Resta saber como ficarão as empresas que compravam estes produtos da King Agro. A movimentação pode gerar oportunidades para outras indústrias do ramo – até mesmo as pequenas – para a entrada neste mercado altamente técnico e ao mesmo tempo quase artesanal: a produção de artefatos em fibra de carbono.


7 de março de 2018

Tristeza na Argentina: lavouras de soja sofrem com a seca


Seca na Argentina: agricultores usam as redes sociais para divulgar a situação das plantações pelo país.

A seca na Argentina já é sentida pelos produtores nas colheitas. Usuários com acesso a internet estão postando depoimentos nas redes sociais, mostrando o resultado pífio das lavouras.

O produtor Ale Weitzel (@alexisgweitzel) usou o Twitter para mostrar a situação na região de La Paz, Entre Ríos. O rendimento está próximo de 7 sacos por hectare.

https://twitter.com/AlexisGWeitzel/status/971086827313614850

 

A hashtag #Sequia18 tem uma coletânea de imagens e relatos sobre a situação no país.

A previsão atual da Bolsa de Cereais de Buenos Aires para a safra de soja 2017/2018 é de 44 milhões de toneladas, 13 milhões abaixo do resultado no ano passado.

 



Publicidade