Tag: Jair Bolsonaro

28 de abril de 2022

Fenasoja 2022 terá estátua em tamanho real do presidente Bolsonaro


fenasoja

A Fenasoja receberá a visita do presidente Jair Bolsonaro no próximo dia 7 de maio e para tanto preparou uma surpresa: uma estátua em tamanho natural do presidente montado em um cavalo. Depois de Passo Fundo, chegou a vez de Santa Rosa, também no Rio Grande do Sul, realizar este tipo de homenagem, ainda que de estilos bem diferentes.

A escultura foi criada pelo artista Arsênio John, da localidade de São Martinho. Segundo publicação da página oficial da feira no Facebook, a estrutura de cimento e ferro pesa mais de 300 kg e foi instalada no parque de exposições, sendo que o artista declara ter admiração pelas atitudes do presidente – “família, honestidade, essas coisas”.

estátua do bolsonaro na fenasoja

fenasoja

A FENASOJA – Feira Nacional da Soja acontece entre os dias 28 de abril e 8 de maio na cidade gaúcha de Santa Rosa.


30 de maio de 2020

A estupidez de quem associa o Desafio do Leite ao nazismo


desafio do leite

Ação de marketing em defesa da pecuária leiteira foi atacada quando chegou na mesa do presidente Jair Bolsonaro em transmissão das redes sociais

Acreditem: veículos de esquerda estão associando a adesão do presidente Jair Bolsonaro ao Desafio do Leite como um ato que passa uma mensagem nazista.

A ação viral consiste no “desafio” entre produtores e personalidades para que gravem um vídeo tomando um copo de leite. A pessoa entra na brincadeira, desafia outros amigos durante a gravação e bebe o leite. Simples assim.

Desafio do Leite na presidência

De desafio em desafio, o convite chegou ao presidente que usou a live da última quinta, 28 de maio, para beber leite junto com outros participantes da transmissão.

https://www.facebook.com/jairmessias.bolsonaro/videos/671761803369788/?t=653

Após um funcionário servir os copos na mesa, Bolsonaro segue falando sobre pesca e assuntos diversos, até começar a explicar o motivo da novidade: “Vamos aproveitar o momento aqui, pessoal, eu não estou fazendo propaganda de marca nenhuma, tá? Desafio do Leite. Vamos brindar aqui o nosso produtor rural, o pessoal do setor leiteiro do Brasil, é uma atividade que não é fácil – eu morei em fazenda por algum tempo lá em Eldorado Paulista, na Fazenda Quirongosi – nós somos o terceiro maior produtor de leite do mundo e sempre tomei isso aqui. De vez em quando tomo uns venenos aí, tá certo, que vem aí a gente compra em lata nos bares, tá? Mas um brinde a todos os produtores de leite do Brasil e um brinde a nossa querida Tereza Cristina. Não é a melhor não né? Porque se for a melhor só podia ser ela por que não tem outra mulher. Entre todos os outros, homens, que passaram pela agricultura, com todo o respeito, a melhor… Ministério da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina. Vamos lá. Selva!

Um site de esquerda de “destaque” no meio político (que não vamos citar) fez um paralelo entre enaltecer ato de tomar leite e o uso da simbologia branca do líquido com nazismo. Logo, a estúpida constatação foi replicada por canais de menor relevância.

O vídeo acima e a transcrição do momento dedicado ao desafio do leite provam que foi um discurso sem qualquer conotação prejudicial, muito menos racista ou nazista.

É mais um capítulo da guerra cultural envolvendo grupos que atacam o agro de todas as maneiras. Desta vez, juntaram a fome com a vontade de comer ao usar como alvo o político que detestam com o o setor que abominam. Como não lembrar da turma que advoga que vacas são estupradas para manter a pecuária leiteira ativa?

Seguiremos.


7 de fevereiro de 2020

Economia com diesel seria reinvestida na lavoura, dizem agricultores


Economia com diesel

Em um hipotético corte de impostos nos combustíveis, produtores disseram ao Farmfor que investiriam o valor de volta no plantio, em sua maioria

O debate sobre a cobrança de impostos no Brasil pegou fogo (sem trocadilho) nesta semana, quando o presidente Jair Bolsonaro lançou um desafio aos estados brasileiros: se eles cortarem os impostos estaduais, ele corta o federal.

Questões técnicas à parte (alguns estados como o Rio Grande do Sul tiram quase 20% da sua receita do altíssimo imposto sobre os combustíveis) resolvemos indagar os seguidores sobre o que fariam com o dinheiro se esta medida entrasse em vigor. Algumas estimativas apontam uma economia de aproximadamente 90 centavos por litro.

A maioria disse que reinvestiria na lavoura, mais combustível, maquinário mais moderno, adubos, correção e assistência técnica. Em resumo: reinvestir tudo de volta na lavoura e aumentar a produção.

Economia com diesel

Claro que este não é um trabalho científico, não passa de um simples bate-papo com os nossos seguidores no Farmfor (via comentários e mensagens), mas fica uma possibilidade: menos impostos nos combustíveis poderiam representar mais produção e muito mais dinheiro na mão dos agricultores.


4 de fevereiro de 2020

Decreto 10.032 entra em vigor facilitando a venda de produtos de origem animal


Decreto 10.032

Medida prevista no decreto 10.032 de outubro de 2019 permite que produtos de origem animal inspecionados por consórcios públicos municipais sejam comercializados nas cidades integrantes destes arranjos

O Decreto 10.032 de outubro de 2019 entrou em vigor no último dia 3 de outubro, facilitando a vida de quem produz (e também de quem fiscaliza) itens de origem animal.

No coração do decreto, o seguinte:

“Art. 156-A. Os produtos de origem animal inspecionados por serviço de inspeção executado por consórcios públicos de Municípios, atendidos os requisitos estabelecidos em ato do Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, poderão ser comercializados em quaisquer dos Municípios integrantes do consórcio.

§ 1º Caso o consórcio de Municípios não adira ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal no prazo de três anos, os serviços de inspeção dos Municípios consorciados terão validade apenas para o comércio realizado dentro de cada Município.

O anúncio da novidade foi feito em 3 de outubro de 2019, no site do Ministério da Agricultura:

A partir de 2020, produtos de origem animal inspecionados por consórcios públicos municipais poderão ser comercializados nos territórios das cidades integrantes do consórcio. A medida, prevista no Decreto 10.032 publicado nesta quarta-feira (2), atende uma antiga demanda dos municípios e ampliará o mercado para os produtores rurais de grande parte do país.

Os consórcios ocorrem quando os municípios se associam formalmente para determinado fim: inspeção de produtos, compra de remédios, entre outros. Atualmente, as mercadorias inspecionadas pelos serviços municipais podem ser comercializadas apenas nos locais onde são fabricadas, conforme o Decreto 5.741/2006, que trata do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), que foi alterado pelo novo decreto de hoje.

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) destacou que a medida “vai dar agilidade, facilidade para a comercialização dos produtos, principalmente dos pequenos produtores rurais”.

Veja também: Orvalho de Deus, inspiração de Israel nos planos de Bolsonaro.

A medida entra em vigor em 3 de fevereiro de 2020. Os consórcios públicos municipais terão prazo de três anos para aderir ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA). O prazo conta a partir do cadastramento do consórcio no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, tempo para o consórcio montar estrutura para obter equivalência no Sisbi-POA.

Caso isso não ocorra dentro do período de três anos, os produtos inspecionados pelo consórcio poderão ser vendidos apenas no município onde são fabricados. A adesão ao sistema será obrigatória após esse prazo. 

A Secretaria de Defesa Agropecuária divulgará orientações sobre o cadastramento e demais procedimentos nos próximos meses, antes do início da vigência do decreto.

De acordo com a secretaria, a norma atende demandas apresentadas por representantes de consórcios públicos de municípios e irá contribuir para a melhoria da qualidade dos produtos oferecidos ao consumidor, o desenvolvimento da região abrangida e incentivará a organização dos serviços de inspeção municipal para alcançar a equivalência com a inspeção federal.

Equivalência de serviços de inspeção

O Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal, que faz parte do Sistema Unificado de Atenção a Sanidade Agropecuária, padroniza e harmoniza os procedimentos de inspeção de produtos de origem animal para garantir a inocuidade e segurança alimentar.

Os estados, o Distrito Federal e os municípios podem solicitar a equivalência dos seus serviços de inspeção com o Serviço Coordenador do Sisbi. Para obter a equivalência, os serviços precisam comprovar que têm condições de avaliar a qualidade e a inocuidade dos produtos de origem animal com a mesma eficiência do Ministério da Agricultura.

Decreto 10.032 – Nova forma de atuação poderá baratear os alimentos para o consumidor

Imagem: Ministério da Agricultura.

Com a possibilidade da venda de produtos em cidades vizinhas, carentes de uma estrutura de fiscalização, mais oportunidades surgem para quem produz, turbinando as economias locais e barateando até mesmo a logística. Ponto para o governo.


6 de outubro de 2019

Capitão Talkei é mais um ataque da Rede Globo ao Agro


Capitão Talkei

Setor é associado a agrotóxicos e desmatamento em desenho animado do humorístico Zorra, que satiriza o presidente Jair Bolsonaro

O programa “Zorra” – anteriormente conhecido como “Zorra Total” realizou mais um ataque contra a imagem do agronegócio neste sábado, 5 de outubro.

Da esquerda para a direita: Capitão Talquei é chamado pela união dos poderes do desmatamento, intolerância, golden shower, agrotóxicos e armamentos.

Um desenho animado que faz uma paródia do infantil “Capitão Planeta”, sucesso nos ano 90, mostra um Bolsonaro na figura do “herói” Capitão Talkei, com uma laranja no peito e sendo acionado pelos poderes armamentos, agrotóxicos, desmatamento, intolerância e golden shower (com um personagem que lembra o Deputado Federal do DEM-SP, Kim Kataguiri).

A cada interação, o Capitão Talkei dá um conselho para melhorar o desempenho de alguém. Para quem derruba uma árvore com um machado, ele oferece uma “serra elétrica” para fazer o serviço mais rápido.

Para uma família sendo assaltada, várias armas são oferecidas e “que se virem”.

O vídeo pode ser visto neste endereço, diretamente no site da Rede Globo.

O episódio é mais um dos frequentes ataques da emissora ao Agro, setor que responde por grande parte do faturamento da empresa como já destacamos aqui no blog.

No início de agosto de 2019, uma paródia do Sítio do Picapau Amarelo também colocou o agronegócio como vilão do meio ambiente. Relembre aqui.

A emissora não esconde sua agenda, espalhada pelo jornalismo, novelas e programas de humor, atrações quase sempre recheadas com blocos comerciais que vendem produtos alimentícios, camionetes para “o homem do campo” e volta e meia um quadro chamado “Agro é POP”, com louvores ao setor. Uma hipocrisia sem limites.

Tá na hora de acordar.


14 de janeiro de 2019

Gisele Bundchen tinha sete lareiras em casa e militava contra o uso de fogão a lenha


Gisele Bundchen

A Uber Model Gisele Bundchen é conhecida pelo ativismo ambiental e foi lembrada negativamente pela Ministra da Agricultura Tereza Cristina

Durante uma entrevista para a rádio Jovem Pan, no programa Jornal da Manhã, nesta segunda-feira, 14/1, a ministra da Agricultura Tereza Cristina fez críticas quase irônicas para as declarações negativas da modelo Gisele Bundchen sobre o agronegócio brasileiro. O programa também contou com a presença do especialista José Luiz Tejon.

O que rolou na entrevista, você pode conferir no site da Jovem Pan ou no vídeo abaixo.

Não é de hoje que Gisele Bundchen atua no ativismo ambiental e fala coisas estranhas sobre o campo e o agronegócio em geral. Seja dando apoio para questões da ONU ou meditando com a então futura candidata a vice-presidente pelo PSOL nas eleições de 2018, a índia Sônia Guajajara, ela sempre aproveita para dar pitacos.

Amigona da vice do PSOL, a modelo também já apoiou Marina Silva.

Mas em 2012, a coisa foi longe demais: quando ainda era Embaixadora da Boa Vontade do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), a modelo fez um vídeo contra o uso de fogão a lenha. Do alto de sua hipocrisia ambiental, na época Gisele estava construindo uma mansão em Los Angeles que tinha nada mais nada menos do que sete lareiras. Posteriormente, a casa foi vendida para o rapper Dr. Dre.

Uma das sete lareiras da mansão de Gisele Bundchen em Los Angeles, EUA.

A hipocrisia das celebridades: frases prontas, desconhecimento de causa e proibições “unilaterais”. Típico.


8 de janeiro de 2019

Bolsonaro quer perdoar dívidas do Funrural, segundo ministra


Funrural

Declaração favorável a anistia foi dada em entrevista de rádio para emissora gaúcha

A ministra da agricultura Tereza Cristina deu entrevista para o programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha de Porto Alegre, RS, declarando que o governo Jair Bolsonaro está estudando o perdão das dívidas dos agricultores com o Funrural. Este perdão implicaria em um impacto de 17 bilhões de reais nas contas públicas.

Quando indagada sobre o Funrural, a ministra respondeu:

Estávamos falando sobre a urgência que estava para ser aprovada no Congresso, e foi, e depois se trabalhou na prorrogação dos prazos, que terminaram em 31 de dezembro. O governo anterior não fez (a prorrogação), teve impedimentos legais para isso, porque entrava no mandato do novo presidente e não pode ser prorrogado até 30 de março, o que era pedido. Hoje, o Bolsonaro tem se posicionado a favor de fazer o perdão da dívida. Existe um grupo estudando porque tem que estar no orçamento. Tem que ter alguma coisa no orçamento para que o Funrural possa fazer essa redução.

Sobre a expansão para outros setores, complementou:

Com certeza. Isso aí a AGU deve estar estudando para passar para o presidente. Inicialmente se faria uma nova prorrogação para que desse tempo deste estudo. Não é uma decisão do Executivo sozinho, porque isso é orçamento. Precisa saber como deve ser feito, se vai ser uma medida provisória e encaminhar ao Congresso. Aí é o Congresso que precisa entender que é uma pauta importante do agronegócio brasileiro e votar a favor. E o presidente com certeza não vetará. Se ele mandar a medida provisória é porque ele tem certeza que não esbarrará na Lei de Responsabilidade Fiscal. A gente ainda precisa saber detalhes, estamos acompanhando.

A entrevista completa está disponível no site Gaúcha ZH.


27 de novembro de 2018

Bolsonaro concorre ao prêmio Pessoa do Ano da revista Time. Saiba como votar


bolsonaro pessoa do ano

O presidente eleito do Brasil Jair Bolsonaro concorre no prêmio Person of the Year da revista americana e você pode votar na enquete oficial

 

O prêmio Pessoa do Ano (Person of the Year) da Revista Time é um dos mais famosos do mundo e escolhe a pessoa que mais se destacou no ano da premiação. A escolha é realizada pelos editores, mas a empresa libera uma enquete para os leitores e todos podem votar. Claro que não tem valor direto na eleição, mas é algo simbólico.

Como votar

 

 

Acesse o site da revista através do computador ou do celular NESTE ENDEREÇO. Role a página até aparecer um quadro com as palavras Vote Now, então clique ou toque no lado direito, no símbolo “>” até aparecer a imagem e o nome de Bolsonaro. Clique ou toque em YES. Imediatamente, aparece a porcentagem de votos do candidato.

Acompanhe o resultado neste link.

 


13 de outubro de 2018

Ministro da Agricultura de Bolsonaro será indicação do próprio setor


Ministro da Agricultura

Não é de hoje que o candidato diz que ministro da agricultura será indicado pelas entidades do setor, mas uma coletiva reforçou a mensagem na última quinta, 11 de outubro

Faz muito tempo que o candidato Jair Bolsonaro fala duas coisas sobre a pasta da agricultura em um eventual governo: que vai fundir Agricultura com Meio Ambiente e que a indicação para o titular do ministério virá das próprias entidades representativas do setor. O reforço para estas afirmações veio em uma coletiva de imprensa com candidatos eleitos no primeiro turno pelo PSL.

 

https://youtu.be/ayQ34KvOJqw?t=3262

No vídeo acima, fala do candidato sobre o Ministério da Agricultura (o vídeo está no ponto).

 

Em um país com tantas entidades e interesses (mesmo dentro do universo da agricultura) será curioso ver a indicação final e o martelo batido sobre o nome que cuidará do ministério da agricultura (três nomes estão em avaliação no momento). Vale lembrar que desde muito cedo da candidatura Bolsonaro mantém contato com a FPA (Frente Parlamentar da Agropecuária), apoiadora de primeira hora.

 

 

 

 

 

 

 


2 de outubro de 2018

Frente Parlamentar da Agropecuária fecha com Bolsonaro e Mourão


Frente Parlamentar da Agropecuária

A FPA – Frente Parlamentar da Agropecuária emitiu nota de apoio ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro

A nota da Frente Parlamentar da Agropecuária, na íntegra:

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que reúne 261 deputados federais e senadores, anuncia apoio oficial ao candidato do PSL Jair Messias Bolsonaro, atendendo ao clamor do setor produtivo nacional, de empreendedores individuais aos pequenos agricultores e representantes dos grandes negócios.

Como signatária do apoio irrestrito às ações do Judiciário e do Congresso Nacional durante o processo de impeachment, a FPA reafirma seu compromisso com o desenvolvimento sustentável da nossa agricultura e do Brasil.

Entendemos que a geração de empregos e renda é a melhor forma de garantir estabilidade econômica e social, alcançando toda a população.

Alavancar nosso desenvolvimento econômico é a grande oportunidade de resgate da dignidade do povo brasileiro, a partir da construção de um Estado que proporcione educação, saúde e segurança pública de qualidade.

As recentes pesquisas eleitorais trazem o retrato da polarização na disputa nacional, o que causa grande preocupação com o futuro do Brasil.

Portanto, certos de nosso compromisso com os próximos anos de uma governabilidade responsável e transparente, uniremos esforços para evitar que candidatos ligados à esquemas de corrupção e ao aprofundamento da crise econômica brasileira retornem ao comando do nosso País.

 

TEREZA CRISTINA
Presidente da FPA

 

 


26 de outubro de 2017

Voto em Bolsonaro, otimismo, armamento e insegurança: os agricultores em 2018


Bolsonaro e fuzil

Lançamos um questionário sobre o cenário político e econômico de 2018 para os seguidores do Farmfor. Aqui está o resultado.

 

Durante os meses de agosto e setembro, disponibilizamos um questionário via Google Forms para os seguidores do Farmfor no Facebook e no grupo do WhatsApp, com questões sobre política, economia, cenários para 2018 e perfil social.

Compilamos aqui o resultado das indagações, com dados oriundos de 108 respostas. Não existe rigor científico nestes índices, não há controle geográfico das interações, usem apenas como curiosidade.

Perfil profissional

São agricultores residentes na propriedade 51,9% dos entrevistados, seguidos por agricultores que moram na cidade com 25,9%, funcionário de propriedade rural, cooperativa ou empresa do ramo com 14,8%, Nenhuma das opções 4,6% e funcionário público na área rural com 2,8%.

Sobre a economia brasileira em 2018

São otimistas 55,6% dos que responderam a enquete, contra 44,4% de pessimistas. Mais da metade, 51,9% acham que vão empatar receita e despesa em 2018, 33,3% estimam resultado positivo e 14,8% estão prevendo prejuízo.

Tamanho da propriedade

O maior grupo está em propriedades entre 11 e 50 hectares (32,4%). Seguem os que estão entre 101 e 500 hectares (18,5%), empatam na terceira posição os agricultores com 51 a 100 hectares e os “sem propriedade” com 13,9% cada, acima de 500 hectares são 12% e até 10 hectares são 9,3%.

Quem você acredita que vencerá as eleições para presidente, caso seja candidato(a), em 2018?

Não perguntamos a intenção de voto, mas quem os agricultores pensam que vencerá o pleito de 2018, entre uma lista de 15 nomes e a opção “outro”. Jair Bolsonaro lidera com 66,7%, seguido por João Doria com 9,3%, Lula com 8,3%, “outro” tem 4,6%, Álvaro Dias 3,7%, Ciro Gomes e Ronaldo Caiado 1,9% cada, Joaquim Barbosa, José Serra, Marina Silva e Cristovam Buarque possuem 0,9% cada um e os demais não receberam votos.

Os nomes colocados nas opções, em ordem alfabética, foram Álvaro Dias, Beto Albuquerque, Chico Alencar, Ciro Gomes, Cristovam Buarque, Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles, Jair Bolsonaro, João Dionisio Almoedo, João Doria, Joaquim Barbosa, José Serra, Lula, Marina Silva e Ronaldo Caiado.

Sobre a vitória do candidato na pergunta anterior

87% pensam que será uma boa para o país, 8,3% acham que não vai mudar nada e 4,6% que será ruim para o Brasil.

Ideologia política

Declaram ser de direita, 53,7% dos agricultores, contra 38,9% que não acreditam nesta divisão, 3,7% de esquerda e outros 3,7% que não sabem responder. Outra curiosidade: 87% afirmam que os pais ou os filhos pensam da mesma forma em casa sobre política.

Sobre posse de armas para o agricultor

São favoráveis à posse sem restrição de calibre 79,6%. Com restrição são 16,7% e contra a posse de armas ficam em 3,7%.

Sobre a distância do posto policial mais próximo até a propriedade

Que os agricultores estão longe do aparato do Estado nas zonas rurais, todo mundo já sabe. Olhando os números, fica bem pior: 36,1% das propriedades estão em ponto distante mais de 20 km do posto policial mais próximo. Entre 11 e 20 km são 26,9%, de 6 a 10km 17,6%, 2 a 5km 7,4% e uma parcelinha de 1,9% “com sorte” tem a polícia bem perto, até 1km de distância.

Faixa de idade dos participantes

O maior grupo (28,7%) tem entre 25 e 34 anos, seguido por “18 a 24 anos” com 24,1%, “35 a 45 anos” com 22,2%, “46 a 55 anos” com 12%, “até 17 anos” com 8,3% e “56 a 64 anos” com 4,6%.

Sucessão rural

Dos participantes, 39,8% afirmam que os filhos vão continuar na propriedade, 38,9% ainda não sabem como será a sucessão, 13% não tem propriedade, 4,6% não quer falar do assunto agora e 3,7% afirmam que não vão continuar, que a propriedade será vendida.

Nosso blog não permite a reprodução total ou parcial do conteúdo aqui publicado. Para dúvidas, entrem em contato diretamente por mensagem em nossa página no Facebook.



Publicidade