Tag: Inteligência Artificial

24 de maio de 2019

Motorista recebe multa por dirigir coçando o rosto na China


O sistema de inteligência artificial das câmeras chinesas perdeu a linha e multou o motorista sem dó. Mas a história é outra.

Um motorista chinês foi flagrado pelo potente (e famosíssimo) sistema de câmeras de monitoramento existente no país, na cidade de Jinan, província de Shandong.

O sistema detectou a infração e emitiu a multa, mas desta vez a inteligência artificial errou feio: a infração detectada como “dirigir falando ao celular” era na realidade uma inocente coçada no rosto.

A “infração” do motorista.
A multa!

A multa de 50 yuans (R$ 30,00) foi cancelada depois que o motorista entrou em contato pessoalmente com as autoridades de trânsito e o erro foi confirmado.

A China tem cerca de 170 milhões de câmeras de segurança espalhadas pelo país e o sistema está em expansão, devendo chegar em 400 milhões até 2020.

Com informações do site Jilu Evening Post.


30 de novembro de 2018

SomaDetect – luz que monitora a qualidade do leite em tempo real


SomaDetect

Sensor desenvolvido no Canadá para ser usado em exames médicos virou um aliado dos produtores de leite no país

 

O SomaDetect é um aparelho que, uma vez acoplado na ordenhadeira, mede a qualidade do leite em tempo real, sem partes móveis e sem o uso de reagentes ou qualquer tipo de consumível. O líquido passa no aparelho e é “lido” por um feixe de luz que incide na tubulação. Conforme o reflexo que retorna para o sensor, assinaturas são lidas e um sistema de inteligência artificial consegue medir a quantidade de células somáticas, gordura, proteína, progesterona e até antibióticos.

 

O sensor, coração do SomaDetect, foi desenvolvido em 2014 pelo pesquisador Satish Deshpande, Phd em biofísica pela Universidade de Guelph, no Canadá. Ele pretendia criar um dispositivo que fosse simples e barato para a realização de exames médicos em humanos. Sem o acesso fácil a amostras de sangue, optou por fazer testes com laticínios disponíveis no supermercado: de leite de caixinha a creme de leite, todos foram “cobaias” no experimento. Quando notou a capacidade do sensor em ler dados do leite, reformulou o projeto para a área da agropecuária pelas mãos de sua filha, Bethany Deshpande, que fundou a empresa em 2016.

Sensor instalado em ordenhadeira da DeLaval.

 

Cada sensor tem o custo estimado de US$1000,00 dólares para a instalação. A empresa recentemente foi premiada com um cheque de um milhão de dólares do  43North business plan competition, um concurso para iniciativas inovadoras na América do Norte. Neste ano, 28 propriedades leiteiras estarão testando o sistema e ajudando a calibrar os algoritmos por trás da detecção dos componentes do leite.

O sistema promete acabar com o tradicional envio de leite para o laboratório e o tempo de espera para que o produtor tenha certificada a qualidade do que é produzido na propriedade. Com o SomaDetect, tudo fica pronto na hora.

Leia mais textos sobre bovinocultura no Blog do Farmfor.

 

 


5 de setembro de 2018

Agropad: análise de solo usando um pedaço de papel e um celular


agropad

Agropad é o sistema da IBM que faz análise de solo de forma rápida e fácil, usando um aplicativo de celular e um pedaço de papel do tamanho de um cartão de visitas

 

Imaginem as possibilidades: análises de solo rápidas e realizadas quase em tempo real no local da amostra, facilitando a tomada de decisão dos agricultores. Esta é uma das propostas do Agropad, sistema em desenvolvimento da IBM que combina um chip que é capaz de analisar a composição química do solo e apontar a quantidade de cada um dos elementos presentes, modificando as cores de círculos em um cartão conforme o resultado. Tudo é interpretado usando a câmera do celular e um aplicativo de inteligência artificial capaz de “entender” o que significam as variações no papel.

 

 

A coisa toda funciona mais ou menos assim: é feita a mistura do solo com um líquido. Uma gota do composto é colocada no verso do papel (que contém um chip de análise) e a parte frontal muda a cor de pequenos círculos que são fotografados e interpretados pelo aplicativo. Tudo isso em apenas 10 segundos. Todos os dados vão para a nuvem após a coleta.

Além de solo, o Agropad também analisa água.

O sistema mede pH, dióxido de nitrogênio, alumínio, magnésio e cloro. Não há informação sobre preço final ao consumidor nem data em que estará disponível.

 

Veja também:

SCiO, o analisador de alimentos portátil da Consumer Physics

 

 

 


17 de dezembro de 2017

Chineses estão desenvolvendo GPS e reconhecimento facial para galinhas


gps para galinhas

Sistema vai rastrear com precisão a produção de frangos orgânicos

De acordo com as estatísticas, os chineses comem 5 bilhões de frangos por ano (sim, bilhões). Só para comparação, o Brasil abateu 5,86 bilhões de cabeças em 2016.

E é da China que vem uma das novidades no mundo da avicultura: o rastreamento de frangos usando tecnologias como GPS, reconhecimento facial e blockchain.

 

GPS para galinhas

A startup chinesa ZhongAn está acompanhando uma pequena parcela (100 mil) dos frangos produzidos no país, com uma precisão incrível: em tempo real, os dados da movimentação individual das aves são coletados através de pequenos receptores de GPS. Nos próximos 3 anos, o sistema batizado de GoGo Chicken deverá evoluir para o monitoramento de 23 milhões de aves.

 

gps para galinhas

Sistema de GPS em frango, em uso experimental nos EUA. Via spokesman.com

É bom lembrar que o frango orgânico é produzido em até 6 meses, gerando muito mais dados quando comparado com um abate de 45 dias do sistema convencional.

Benefícios sociais, para os chineses

O GoGo Chicken só funcionará em regiões chinesas sem poluição e os contratos de “integração” destes frangos orgânicos serão realizados com agricultores experientes no negócio, com atuação paralela na produção de hortifruti. E vai além, exigindo até mesmo que os produtores tenham uma rotina saudável, que inclua a prática de exercícios.

Junto com as empresas de logística, frigoríficos e canais de venda, estas iniciativas deverão garantir um produto de qualidade, sem falsificações ou contaminações, com rápida resolução de problemas encontrados em toda a cadeia produtiva da avicultura.

É bom ficar de olho: se a produção free-range é vista como algo inovador e alternativa para alguns produtores, é bom saber que a “fila andou” e outras formas de produção e tecnologias digitais são a tendência do momento.

 

Olho nos chineses!

Acesse o site da ZhongAn.



Publicidade