Tag: Aquecimento Global

11 de abril de 2022

Grupo está esvaziando pneus para lutar contra aquecimento global


Esvaziando pneus

Ativistas americanos procuram camionetes e SUVs parados nas ruas, esvaziam os pneus e deixam panfleto de protesto

 

Como dizem por aí, “Não há o que não haja” quando o assunto é protesto de ativistas climáticos. Um conhecido grupo da área ambiental está divulgando instruções para que afiliados e simpatizantes esvaziem pneus de camionetes e SUVs, pois estes seriam grandes vilões do aquecimento global.

Os membros procuram estes veículos em bairros de classe média alta e fazem o serviço, esvaziando os pneus e deixando um bilhete para o proprietário. As instruções foram divulgadas pelo Twitter do grupo Adbusters, atuante nos Estados Unidos (tomara que desocupados brasileiros não abracem a ideia):

adbusters

 

adbusters

 

Acima: postagem no Twitter dando as instruções para a sabotagem e os panfletos da campanha.

 

Esvaziando os pneus contra o aquecimento global

 

O Adbusters foi fundado no ano de 1989 no Canadá e tem ligações com grupos dos Estados Unidos, Japão, Suécia e França. É praticamente um grupo de esquerda anti-consumo que gosta de aparecer com campanhas de impacto. O grupo assume que mira nas SUVs para atingir a indústria automobilística.

Essa onda ambiental ainda vai acabar com algum ativista intoxicado com chumbo, e não será por via oral.

 

Veja também

Ativista vegano quase morre enforcado em abatedouro de patos

 


27 de fevereiro de 2020

Naomi Seibt, a Greta Thunberg “da direita”


Conheça a adolescente alemã de 19 anos que é uma jovem voz contra o alarmismo climático e já incomoda o politicamente correto mundial

Naomi Seibt é uma jovem alemã de 19 anos que vem chamando a atenção pelo discurso político, praticamente o inverso da pirralha sueca Greta Thunberg.

A fama começou mesmo depois da participação de Naomi como palestrante em eventos do Heartland Institute, um centro de estudos libertário americano, alinhado com o presidente Donald Trump. Bastou para a mídia carimbar Naomi Seibt com a marca de “menina paga por instituto de extrema-direita aliado de Trump para negar o aquecimento global” ou “a queridinha dos negacionistas do aquecimento global“.

A ativista participou de um painel do Heartland Institute realizado durante a conferência da ONU para o Clima realizada na Espanha no último dezembro. Agora, participa do CPAC 2020, principal evento conservador da América.

 

Algumas falas de Naomi Seibt

“Mudanças climáticas causadas pelo homem” virou um tópico tão inquestionável que todos que ousam expressar um mínimo de ceticismo são imediatamente marcados como negacionistas do clima. Entre aqueles que nos classificam, estão os que tendem a nos chamar de nazistas, sem perceber que esta é uma forma de zombar da severidade do holocausto. Pessoalmente, prefiro o termo “realista do clima”.

No contexto de um tópico extremamente científico, você deveria dar ouvidos a uma menina de longos cabelos loiros dando uma palestra? Sim, exatamente! A pergunta “por que você está está ouvindo uma menina?” é a mesma que eu faço para as pessoas que saem para protestar no Fridays for Future* toda semana como os adoradores da Greta.

 

 

Naomi Seibt

Você ainda vai ouvir falar da menina da Alemanha que ousou desafiar Greta Thunberg. Dependendo do canal escolhido, com os piores adjetivos.

Veja também

The anti-Greta: A conservative think tank takes on the global phenomenon

Conservative group hires German teen Naomi Seibt to rival Greta Thunberg’s climate views

German teen Naomi Seibt, the darling of climate change deniers

Adolescente que contesta mudanças climáticas vira anti-Greta da extrema-direita

* Fridays for Future é uma iniciativa de greve escolar (por parte dos estudantes) para combater as mudanças climáticas, iniciada por Greta Thunberg na Suécia.


7 de janeiro de 2020

Aquecimento global? 183 pessoas presas na Austrália por iniciar queimadas


Aquecimento Global

Em diversas partes do país, pessoas foram presas por colocar fogo por conta própria em matagais, iniciando incêndios incontroláveis

Desde o início da temporada de incêndios na Austrália, 183 pessoas foram presas por colocar fogo de forma criminosa em matagais.

Os dados foram compilados em reportagem do The Australian e replicados por diversos sites de notícia do mundo inteiro.

Como já era de se esperar, a turma do “Aquecimento Global” vem tentando ganhar espaço no debate desde o início da crise que assola o país, tendo como certo que as mudanças climáticas são as causas dos incêndios. Agora, com as incontáveis prisões e indiciamentos de pessoas que iniciaram queimadas, caem por terra certas teorias.

Aquecimento Global não causa incêndio criminoso

O Membro do Parlamento da Austrália, Craig Kelly, “foi para o pau” com o apresentador de TV Piers Morgan em um programa ao vivo da TV Britânica ITV onde a questão ambiental era o ponto central nas causas dos incêndios australianos. O político xingou ao vivo uma meteorologista que participava no estúdio de “menina do tempo ignorante”.

Maconheiro incendiário

Um dos incêndios no mês de novembro teve uma causa peculiar: foi iniciado por um homem de 51 anos que pretendia proteger a sua plantação de maconha dos incêndios vizinhos na região de Northern Tablelands, New South Wales. A façanha destruiu 5400 hectares de matas.

Veja também

Gado queimado é sacrificado na Austrália.


18 de fevereiro de 2019

Onda de frio mata 1600 bovinos em um dia nos EUA


Onda de Frio

Tempestades de neve e ventos de até 128 km/h também causaram estragos em propriedades do estado de Washington

Pecuaristas da região de Sunnyside, no estado de Washington, nos EUA, amargaram prejuízos e a morte de mais de 1600 bovinos por conta da onda de frio inédita para a localidade.

As propriedades por lá são, na maioria, preparadas para o clima quente da região: galpões sem paredes e instalações sem proteção para eventos desta magnitude. Com o frio que chegou rapidamente, o gado se acumulou nos cantos das estruturas e muitos acabaram morrendo pelo frio intenso ou por machucados causados pelo agrupamento. Outras 28 cabeças foram sacrificadas por conta dos ferimentos.

Os prejuízos, só em animais, ficaram em 3,2 milhões de dólares, sem contar a perda na produção. Nenhum produtor ou funcionário ficou ferido no incidente, que exigiu um trabalho heroico para a tentativa de deslocamento dos animais e improviso com coberturas emergenciais, até mesmo com montes de feno, sem muito resultado.

Propriedades em regiões mais baixas ou cercadas por montanhas não foram afetadas pela onda de frio que chegou rapidamente, durou cerca de 24 horas e causou todo este prejuízo.

Após toda esta tragédia, produtores e autoridades ainda precisam lidar com toda uma logística para dar o destino correto para centenas de carcaças e ainda desbloquear estradas e permitir o acesso até as áreas atingidas.

Saiba mais no site Capital Press (em inglês).



Publicidade