Categoria: Logística

11 de junho de 2019

Saiba como funciona o transporte de animais monitorado por computador


transporte de animais

Muito além do GPS, o sistema desta empresa canadense permite acompanhar em tempo real temperatura, comportamento do motorista e o bem estar animal

A startup canadense Transport Genie Ltd fornece um interessante serviço para os produtores do país. Por meio de uma rede de sensores instalada nos caminhões que transportam bovinos, suínos e pintos de um dia, entrega diversas informações para os clientes e também para os próprios motoristas.

Os sensores registram se houve variação extrema de temperatura capaz de prejudicar o bem estar animal (condições de micro-clima) e também o comportamento do motorista: acelerômetros captam freiadas bruscas e aumentos na velocidade. Os dados usam blockchain, sendo impossível a adulteração futura. Produtor e cliente recebem os registros sobre a viagem e executam as ações necessárias no caso de um evento negativo.

Através da rede de dados das operadoras (3G/4G), todas as leituras e as coordenadas do GPS são enviadas para a base.

A empresa atua no Canadá e recentemente fechou um contrato com a suíça Prodavi, para monitorar caminhões que transportam aves.

Com o aumento do interesse das empresas no monitoramento de todos os processos envolvendo o recebimento de mercadorias, a adoção de soluções como esta serão comuns no médio prazo, para produtores de todos os tamanhos.


1 de dezembro de 2018

Peak Pegasus, o navio que navegou em círculos um mês inteiro carregado de soja


Peak Pegasus

O navio com 70 mil toneladas de soja chegou no destino bem no início da vigência das novas tarifas resultantes da guerra comercial entre Estados Unidos e China e ficou girando no oceano até os responsáveis decidirem o destino

 

As novas políticas comerciais entre Estados Unidos e China pegaram alguns negociadores “no meio do caminho” entre os dois países. O Peak Pegasus, navio com bandeira da Libéria de propriedade do JP Morgan Asset Management e carregado com 70 toneladas da Louis Dreyfus, precisou navegar em círculos por várias semanas até conseguir atracar no porto de Dalian, na China. A carga saiu de Seattle, nos EUA, em 8 de junho.

Rastreio do Peak Pegasus durante a indefinição de rota: navegação em círculo durante várias semanas.

Cada dia a mais de navegação inesperada custou US$ 12500,00 para a empresa. No total, a “espera” em círculos deixou o frete quase meio milhão de dólares mais caro.

O caso foi destaque na TV Chinesa.

A indefinição era alimentada por diversas variáveis: um navio com uma carga de soja avaliada em US$ 20 milhões prestes a descarregar, tomar outro destino ou atracar pagando uma sobretaxa de US$ 6 milhões para entrar no país, por conta da guerra comercial. No final, o destino foi irônico: em 13 de agosto, a empresa compradora da carga, a estatal chinesa Sinograin assumiu o pagamento da sobretaxa ou seja, o governo chinês sobretaxou a si mesmo.

 

 

 

 

 


14 de junho de 2018

O fantástico trem do fosfato na Arábia Saudita


fosfato

Composição tem 150 vagões e atravessa o país com 15 mil toneladas do produto, da mina ao porto.

 

Nem só de petróleo vive a Arábia Saudita: a mineração também vem ganhando importância no país. Inaugurada em 2011, a linha férrea desenvolvida especialmente para o transporte de fosfato da mina Al-Jalamid, localizada no norte, até a usina de processamento no Golfo da Arábia, tem cerca de 1500 km e desloca 5 milhões de toneladas por ano do produto.

https://youtu.be/-LSC3zEgjmQ

 

O trem que transporta o fosfato tem 150 vagões, puxados por 3 locomotivas a diesel, com 4300 hp cada uma. Os vagões são dotados de um sistema especial de carga e descarga automática, sem interação humana e capazes de descarregar 100 toneladas em menos de um minuto. A tecnologia é chinesa, da empresa CSR. Toda a estrutura ainda tem sistemas de filtragem de ar e limpeza do acúmulo de areia do deserto nos trilhos.

 

 

Saiba mais

Veja esta apresentação (em inglês) que mostra diversos dados da ferrovia, fotos interessantes e curiosidades. Acesse aqui.

Site da Ma’adem – Saudi Arabian Mining Company.



Publicidade