Tag: Seca

19 de abril de 2020

A seca na América do Sul em 2019 e 2020, segundo satélite da NASA


Dupla de satélites GRACE-FO faz o monitoramento constante da gravidade do planeta e monitora a movimentação da água no solo, fazendo uma radiografia da seca

A dupla de satélites GRACE-FO (Gravity Recovery and Climate Experiment Follow-On) faz um interessante trabalho para monitorar a umidade do planeta.

Em órbita e distantes 220 km um do outro, a sacada é monitorar com altíssima precisão a distância exata entre os dois, mapeando as alterações causadas pelo campo gravitacional da terra. Milhões de cálculos depois, o sistema tira uma “radiografia” da umidade em todos os continentes.

A dupla GRACE-FO, em representação artística.

Como todos já sabem, a seca que atingiu o Brasil nos últimos meses afetou em muito a agricultura. Muita gente lembra como estava a situação das lavouras no mesmo período do ano anterior, mas ver isso através do monitoramento de um satélite, deixa tudo muito pior no geral.

Veja também: O mundo tem 1,87 bilhão de hectares em lavouras.

Nós pesquisamos nos arquivos do site do Projeto GRACE imagens da América do Sul em 2019 e 2020. A diferença é evidente. Abaixo, a situação em 15 de abril de 2019, 13 de abril de 2020 e abril de 2012, na sequência. Você pode entrar no site e verificar várias datas, desde 2003. Recomendamos conferir os dados em um computador.

Abril de 2019
a seca
Abril de 2020.
a seca
Abril de 2012 (após outra terrível seca).

Nas imagens, as cores representam a umidade do solo em relação aos valores medidos por outros sistemas no período de 1948 até 2012. Quanto mais azul, mais próximo da média. Ainda segundo a NASA, a América do Sul teve o segundo período dezembro – fevereiro mais quente dos últimos 110 anos.

A seca de 2019/2020 provocou, só no Rio Grande do Sul, prejuízos da ordem de R$ 430 milhões, segundo estimativas de defesa civil (na realidade, o prejuízo vai muito além). Depois de tudo, ainda chegou o coronavírus e a pandemia do Covid-19.

Que 2020/2021 seja bem melhor. Oremos.


27 de março de 2020

Coronavírus está no centro das atenções, mas a seca continua e chegou antes


coronavírus está

O coronavírus está causando prejuízos e temores sobre perdas de vidas no país, em um momento que já era ruim para os agricultores e suas famílias

Não se fala em outra coisa nos noticiários de TV: o coronavírus ganha destaque com cobertura especial nos telejornais e até programas especiais dedicados ao problema. É uma crise que já tem mais de 30 dias e levou o país inteiro para quarentena nas últimas semanas. Já para quem é do campo, os problemas são dobrados.

Muitas famílias estão sofrendo com a seca desde muito tempo, com perdas na produção. Lavouras secando, atividade leiteira parada, hortaliças com dificuldade. Enfim, não há setor agrícola sem problemas. A seca causa medo do futuro, preocupação com contas para pagar e temores sobre a saúde, especialmente dos mais idosos. A doença que parou o mundo é mais um problema, com os mesmos efeitos.

A seca: foto de Mauricio Belé Fachi, de Arvorezinha, RS.

O usuário Mauricio Belé Fachi, de Arvorezinha, no RS, postou esta imagem em seu perfil no facebook, com a frase ” O engraçado que o corona chegou e a seca acabou para os outros . Mas para nós agricultores está assim “. A imagem também foi replicada pela página Fumicultores do Brasil.

Todos estão com razão. O foco agora é na fiscalização das entidades, prefeituras e todos os órgãos que de alguma forma fazem o meio de campo entre o agricultor e os recursos financeiros ou auxílios de prefeituras (muitas recebem verbas para este tipo de imprevisto e possuem maquinário para ajudar). E se as políticas de reparo dos problemas causado pelo coronavírus chegarem até os produtores, o problema pré-existente não deve ser esquecido: é tempo de dizer para os burocratas que no campo a crise chegou antes e o prejuízo é dobrado.

Veja também

RS: colheita chega a 39% e perdas por seca vão ficando maiores, diz Emater.

Seca na Suíça faz governo transportar água em helicópteros para as vacas nos alpes.


8 de agosto de 2018

Seca na Suíça faz governo transportar água em helicópteros para as vacas nos alpes


Seca na Suíça

Presas nos topos dos alpes nesta época do ano, as vacas estão sem acesso a água e a pastagem já é escassa.

 

A Suíça está sofrendo com a seca neste verão e o fenômeno já é considerado pelos especialistas como o mais severo dos últimos 100 anos. De 1864 para cá (início da manutenção de registros do clima na Suíça), apenas em 3 ocasiões o índice de chuvas registrou valores abaixo dos percebidos nesta estação.

Seca na Suíça é outro nível

Diante do problema, as autoridades resolveram ajudar os produtores de leite da região do Cantão de Vaud de uma maneira nada comum: helicópteros do Exército estão levando água para o topo dos Alpes e garantindo a sobrevida dos animais. Cerca de 100 litros por cada cabeça de gado são erguidos durante os voos, diariamente.

Além da ajuda imediata pelos ares, o governo tratou de cortar tarifas de importação para produtos e insumos da bovinocultura. Tudo rápido e fácil, para proteger o produtor.

 

Saiba mais sobre bovinocultura aqui no Blog do Farmfor.

 

Via Xinhuanet.

 

 

 

 


7 de março de 2018

Tristeza na Argentina: lavouras de soja sofrem com a seca


Seca na Argentina: agricultores usam as redes sociais para divulgar a situação das plantações pelo país.

A seca na Argentina já é sentida pelos produtores nas colheitas. Usuários com acesso a internet estão postando depoimentos nas redes sociais, mostrando o resultado pífio das lavouras.

O produtor Ale Weitzel (@alexisgweitzel) usou o Twitter para mostrar a situação na região de La Paz, Entre Ríos. O rendimento está próximo de 7 sacos por hectare.

https://twitter.com/AlexisGWeitzel/status/971086827313614850

 

A hashtag #Sequia18 tem uma coletânea de imagens e relatos sobre a situação no país.

A previsão atual da Bolsa de Cereais de Buenos Aires para a safra de soja 2017/2018 é de 44 milhões de toneladas, 13 milhões abaixo do resultado no ano passado.

 


30 de abril de 2017

Homem ensina na internet como fazer o próprio poço artesiano


como fazer poço

Da Bahia, Robson ensina para o Brasil inteiro a técnica de cavar o próprio poço na propriedade

Esta é mais uma daquelas histórias que são postadas no Facebook com a frase “o brasileiro precisa ser estudado pela NASA”. Na realidade, força de vontade e determinação, aliadas ao espírito comunicativo são sempre dignos de nota.

Robson Brasileiro dos Santos mora na Bahia e desenvolveu uma técnica para a perfuração de poços artesianos usando ferramentas caseiras e canos de ferro. Brocas, válvulas e procedimentos são explicados com detalhes em uma série de vídeos postados no Youtube. Se você sofre com a seca na propriedade e deseja arriscar com as dicas do Robson, nós recomendamos a assinatura do canal, aqui.

Série sobre poço em Ibirapuã, na Bahia
Abaixo, os vídeos postados mostrando o passo a passo da perfuração.

O Robson manda bem também na restauração de nascentes na região

Parabéns pela iniciativa!



Publicidade