Tag: Pesquisa

13 de abril de 2021

Brasil tem o primeiro laboratório público de pesquisa acreditado para análise de inoculantes


embrapa soja

embrapa soja

Embrapa Soja é destaque

O Laboratório de Biotecnologia do Solo da Embrapa Soja (PR) recebeu, em março de 2021, a acreditação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) na norma ISO 17025:2017, tornando-se o primeiro laboratório de pesquisa público brasileiro apto a realizar análises de inoculantes e identificação de microrganismos. O reconhecimento do Inmetro impacta positivamente o mercado de insumos biológicos, em franco crescimento no País, com a comercialização de mais de 70 milhões de doses de inoculantes na última safra. Abre também portas para a exportação de bioinsumos pela indústria nacional.

Foram acreditados quatro ensaios biológicos, incluindo a avaliação da concentração e de pureza de inoculantes líquidos e turfosos, de recuperação de células inoculadas nas sementes e de identidade de microrganismos inoculantes. “Essa conquista é relevante porque os relatórios de ensaios referentes às análises de inoculantes emitidos por laboratório acreditado em ISO 17025:2017 são reconhecidos internacionalmente”, afirma o gestor de qualidade da Embrapa Soja, Moisés de Aquino.

Com esse reconhecimento, a Embrapa Soja passa a compor o seleto grupo de laboratórios internacionais com acreditação para garantir a produção de bioinsumos. “Estamos muito felizes com a acreditação, que dá ainda mais destaque à Embrapa como empresa que zela pela pesquisa e conservação de microrganismos, desenvolvimento e análise de bioinsumos e ainda mantém a agricultura brasileira em patamares elevados de produtividade e de sustentabilidade”, comemora Mariangela Hungria, pesquisadora da Embrapa Soja.

Do laboratório ao mercado

A Coleção de Culturas da Embrapa Soja começou em 1991, por iniciativa da pesquisadora Mariangela Hungria. Desde então, tem sido fonte de ativos biotecnológicos para o desenvolvimento de diferentes tecnologias, a exemplo da inoculação do milho, do trigo e de pastagens com braquiárias. Em 2014, por exemplo, a Unidade lançou a tecnologia de coinoculação nas sementes de soja e do feijoeiro, que consiste em combinar a inoculação com rizóbios(bactérias fixadoras de nitrogênio) e Azospirillum (bactéria com grande capacidade de síntese de fitormônios), permitindo ampliar o potencial produtivo das plantas. “Hoje há cerca de 4.500 estirpes armazenadas na Coleção da Embrapa Soja, o que representa um enorme potencial biotecnológico a ser explorado”, comenta a especialista em conservação de microrganismos Ligia Chueire.

A distribuição de estirpes microbianas pela Embrapa Soja para as indústrias de inoculantes teve início em 2018, quando o Mapa homologou a Coleção de Culturas. Segundo Mariangela, que é a curadora da coleção, em 2020 foram enviadas 155 estirpes de bactérias para a produção de inoculantes. “Cada lote de microrganismo fornecido é certificado quanto à espécie de bactéria, identidade da estirpe e eficiência no processo de promoção do crescimento de plantas avaliadas em laboratório, casa de vegetação e a campo, garantindo material genético de qualidade para a produção de bioinsumos”, afirma a pesquisadora.

O pesquisador Marco Antonio Nogueira pontua que todo esse processo é fundamental para garantir que as indústrias tenham acesso a recursos microbianos de alta qualidade. “Somente investindo na qualidade da manufatura será possível entregar produtos comprovadamente eficientes para o agricultor”, destaca.

Via EMBRAPA SOJA 

Veja também

Embrapa investe na produção de hambúrguer vegetal


24 de julho de 2020

Marcas de tratores bem avaliadas pelos proprietários nos EUA


marcas de tratores

Pesquisa da Progressive Farmer ouviu quase 2000 agricultores de 47 estados americanos que avaliaram as máquinas

O site americano Progressive Farmer promoveu uma pesquisa com produtores americanos, para saber como eles avaliam os tratores em uso nas propriedades. O estudo Reader Insights Tractor foi elaborado em conjunto com o SOCAL Approach Marketing and Consulting Group.

Foram ouvidos 1982 produtores que forneceram informações sobre 7062 tratores. As máquinas avaliadas foram divididas em três categorias: pequenos (menos de 100 hp), médios (100 a 235 hp) e grandes (236 hp e acima).

Os resultados – marcas de tratores bem avaliadas pelos proprietários nos EUA

Pequenos

A melhor experiência quanto a propriedade no geral: John Deere e Kubota, empatados. Proprietários mais leais com a marca: John Deere. Marca de trator que apresentou menos problemas: Kubota.

Médios

A melhor experiência quanto a propriedade no geral: John Deere. Proprietários mais leais: John Deere. Marca de trator que apresentou menos problemas: New Holland.

Grandes

Deu John Deere nas três categorias.

Saiba mais

Reader Insights Tractor Study.


20 de janeiro de 2020

Aprovação de Trump entre agricultores bate recorde


aprovação de trump

Índice de aprovação é o maior desde a posse, fortalecido pela esperança de fim dos conflitos comerciais com a China

O presidente Donald Trump está bem cotado entre os agricultores americanos. Uma pesquisa do Farm Journal ouviu 1286 produtores de todo o país, sendo a maior parte de Illinois, Iwoa, Indiana e Nebraska.

A aprovação de Trump entre os agricultores é de 83%, o maior índice deste o início do mandato.

Fortalecendo este otimismo estão o acordo com a China e o fim da guerra comercial entre os dois países, bem como um novo acordo entre os EUA e o México que passou pelo Senado na semana passada. O acordo deverá substituir o NAFTA.

Aprovação de Trump – Saiba mais

Farmer Approval of Trump Hits Record, Poll Shows.

Trump Approval Strongest Yet as He Heads to Farm Bureau Convention.


3 de dezembro de 2019

As melhores e piores marcas de tratores segundo os distribuidores da Europa


Climmar

Pesquisa de avaliação da satisfação do cliente feita pelo CLIMMAR ouviu 1000 distribuidores de dez países da Europa

O CLIMMAR * (Centre de Liaison International des Marchands de Machines Agricoles et Réparateurs) foi fundado em 1953 e é uma rede de 16 associações de fabricantes de máquinas e implementos agrícolas da Europa. Sua sede fica na Holanda.

Em 2019 foi realizada a nona pesquisa de “avaliação de satisfação do cliente“, gerando dados importantes sobre a indústria. Foram avaliados 14 itens e vamos detalhar alguns aqui:

Melhores marcas de tratores

No quesito “Satisfação Geral” com a marca, a Fendt ficou em primeiro com o índice 14.4. Com o menor valor ficou a New Holland, com 11,9.

Quando perguntados sobre a imagem e impacto da marca, A Fendt ficou novamente em primeiro, com 17,4. Em último, a Massey Ferguson, com 14,2.

Em “Pós-venda e serviços de garantia, a Kubota ficou em primeiro com 15,2, seguida de perto pela John Deere com 15,1. Em último, New Holland, com 11,7.

Um curioso item foi avaliado, a proteção contra roubo. A melhor foi a Fendt, com 12,6 e a pior New Holland, com 7,2. As melhores opções para financiamento são da Kubota (12,8) contra New Holland (último lugar com 10,9).

A pesquisa completa você confere neste link, em inglês.

Veja mais

Postagens sobre Máquinas Agrícolas no Blog do Farmfor.

Lealdade às marcas de máquinas agrícolas está diminuindo.

NOTA: ESTE POST FOI PUBLICADO ANTERIORMENTE COMO SENDO OPINIÃO DE AGRICULTORES. O CORRETO É DISTRIBUIDORES.

* Fundada em 1953, a CLIMMAR é a rede internacional de distribuidores de atualmente 16 associações nacionais e suas empresas membros do setor de Máquinas e Equipamentos Agrícolas. Trocar e compartilhar é o segredo da CLIMMAR. Vemo-nos como uma espécie de “cadinho” internacional da distribuição de maquinários agrícolas, com cada um dos membros contribuindo com novas ideias que podem alimentar as nossas atividades. O que fazemos deve beneficiar a todos!


16 de novembro de 2017

O mundo tem 1,87 bilhão de hectares em lavouras


o mundo tem

Segundo o USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos) o mundo tem mais terra do que o previsto anteriormente.

O USGS revelou novos dados sobre a agricultura mundial. Através de uma coleta de dados baseada em imagens de satélite, muito big-data e uma ajudinha da NASA, o órgão do governo americano descobriu que o mundo tem 1,87 bilhão de hectares de lavouras, algo entre 15 e 20% acima do previsto anteriormente.

Brasil e seus vizinhos: em verde, as lavouras. Você pode brincar com o mapa neste link.

Foram corrigidos erros em levantamentos e a alta qualidade das imagens disponíveis hoje em dia revelaram áreas que nunca foram mapeadas. As maiores lavouras estão na Índia (179,8 milhões de hectares), EUA (167,8), China (165,2) e Rússia (155.8).

O Brasil aparece com 64,9 milhões de hectares. Um mapa interativo com a quantidade de área ocupada por lavouras e porcentagens em relação ao total mundial pode ser visto aqui.

Comunicado oficial da pesquisa, aqui.


5 de abril de 2017

Crianças da Austrália pensam que iogurte vem das plantas e meias de algodão são feitas de vacas


Crianças da Austrália

Pesquisa mostrou a desconexão entre as crianças da cidade e a realidade do campo. Uma associação rural quer mudar esta situação

 

Foi realizada uma pesquisa com crianças da sexta série em escolas da Austrália, com perguntas sobre alimentação e origem dos alimentos. Os resultados extraídos provaram a distância entre os pequenos e a realidade rural.

Entre as respostas, os aluninhos disseram que iogurte vem das plantas, meias de algodão são feitas de vacas e ovelhas, 21% pensam que o açúcar é feito pelo homem, de forma sintética e a incrível marca de 45% não sabia que pão e queijo são feitos com produtos agrícolas.

A pesquisa virou notícia nesta semana pois uma associação rural australiana, preocupada com o problema da falta de conhecimento por parte da população sobre o campo e os alimentos, preparou uma série de ações para reconectar estas crianças com a realidade e levar informações para a cidade.

O país tem uma enorme feira agrícola, organizada desde 1823, para celebrar a vida rural. A Royal Easter Show deste ano terá eventos específicos para a educação de crianças nos temas rurais. A ação foi batizada de “Country Connection” e contará com a participação de produtores rurais açougueiros, e outros profissionais envolvidos com o mercado de alimentos.

E no Brasil, será que nossas crianças sabem de onde saem os alimentos? Uma pesquisa similar cairia bem por aqui.



Publicidade