Tag: Javalis

6 de março de 2021

Alemanha adota queimadas para conter javalis em reserva ambiental


alemanha adota queimadas

alemanha adota queimadas

Alemanha adota queimadas

Apesar dos discursos e políticas ambientais que alteram a vida dos próprios agricultores e interferem nos interesses internacionais, parece que a Alemanha adota práticas que em outros locais considera ruins.

Só para lembrar: em setembro de 2020, Alemanha, Reino Unido, França, Itália, Dinamarca, Noruega, Países Baixos e Bélgica enviaram carta de protesto para o vice-presidente Hamilton Mourão, sobre as queimadas na Amazônia. Na época, o evento tinha outra escala, obviamente.

A autoridade ambiental do distrito de Oder-Spree mandou queimar (em parceria com alguns órgãos ambientais) quatro hectares de juncos na área protegida conhecida como Neuzeller Niederung, para conter o avanço de javalis, É quase como o IBAMA, em pareceria com a Secretaria do Meio Ambiente do Rio Grande do Sul mandar queimar (de forma controlada) um pedaço do Taim. Ou o Pantanal, com as autoridades de lá.

cerca para javali

Cercas usadas na região para conter o avanço dos javalis.

Os javalis costumam se esconder nas áreas de junco, dificultando as caçadas para extermínio em um momento de preocupação das autoridades com a Peste Suína Africana. Na região, existem cercas construídas para impedir a passagem dos animais entre a Alemanha e a Polônia.

Alemanha adota queimadas

Entre os argumentos para a manutenção da prática estão o baixo custo (queimar é mais barato que cortar) e a afirmação de que os juncos rebrotam facilmente – até mais densos – depois da queimada. Há também o destaque para o fato de que a Alemanha adota queimadas em cooperação com entidades ambientais, executadas por empresas especializadas e com todo o apuro técnico exigido, até o uso de drones.

Nem todo mundo de acordo

A Associação Alemã de Caça lembrou que a adoção de queimadas não é ambientalmente aceitável, por conta das emissões e pede que no futuro seja usado o corte, mesmo sendo mais caro.

 

Veja também

Juncos nas terras baixas de Neuzeller são queimados de maneira controlada (em alemão)


7 de agosto de 2020

Javalis roubam notebook e são perseguidos por peladão na Alemanha


javalis roubam

Os javalis passaram de todos os limites. Além das lavouras destruídas, agora formam quadrilhas e roubam equipamentos de informática

Muito além da atuação nas lavouras por este mundo afora, agora os javalis roubam eletrônicos em plena luz do dia. Desta vez, não tiveram sucesso.

Um homem teve uma sacola com o seu notebook “roubada” por uma javali e seus filhotes em Teufelssee, uma área de lazer com lago frequentada por nudistas em Berlim, na Alemanha.

Sem deixar barato e completamente nú, o frequentador do local saiu correndo para recuperar dos meliantes o seu computador, obtendo sucesso e mostrando coragem ao reagir durante um assalto.

Tudo foi testemunhado e fotografado pela também frequentadora Adele Landauer, que recebeu permissão para postar nas redes sociais as fotos do crime.

https://www.facebook.com/alandauer/posts/10207757967503350?__xts__[0]=68.ARBlDClZDqEubjVnTgU6qaWF4ze2-Kb8HkGFMvAshUS6VTdmF5PF-ZsJixFIo4-CrulIJ-ntLetxzuReuxLnEXHcVrmju1sQbmB-wmNKnnryzhZph19pOoN6ETgcGrOrNCIdMYBk30WjRygFq6jJEZgES2UcIxPEx5la0p-Gd5gGTUAxHXRMVKnmCJiieTy9C0I7nqOTJimHr2Uw8xWknSl-GdtTs7vn6WKgAP1Br-BhB8RET-BlRwMrCFgUFMg-bbvdbmG18Gsmp5p89wvuKzTRqVcWwZffyEY&__tn__=-R

Apesar do susto e das brincadeiras geradas por jornais do mundo todo, ninguém se feriu.

Veja também

You swine! German nudist chases wild boar that stole laptop


31 de janeiro de 2019

A Dinamarca está construindo uma cerca para bloquear a entrada de javalis


Dinamarca

O bloqueio fica na fronteira da Dinamarca com a Alemanha e pretende impedir a entrada de doenças trazidas pelos javalis

A fronteira entre a Dinamarca e a Alemanha tem cerca de 68 km de extensão e o governo do país tem planos para construir uma mega cerca em todo o trajeto, para evitar a entrada de javalis oriundos da Alemanha e, junto com eles, a possibilidade do contágio do rebanho suíno local. O alvo da preocupação é a febre suína africana.

Fronteira entre a Dinamarca e a Alemanha.

A cerca tem em média 1,5 metro e é feita de metal, com previsão de instalação completa em até um ano, ao custo de 4,6 milhões de dólares. São trocados perto da indústria da suinocultura dinamarquesa que vale quase 5 bilhões e emprega mais de 30 mil pessoas.

Não existe caso registrado de infecção na Alemanha, mas Luxemburgo já enfrentou problemas com a doença no último ano.

Veja também

África do Sul enfrenta surto de Peste Suína Africana.

Via Washington Post.


20 de janeiro de 2018

Javalis? Que nada! A Índia enfrenta uma crise com elefantes invasores


Javalis

No confronto mortal contra os gigantes, uma arma secreta: abelhas

 

Ninguém dorme tranquilo na localidade de Mayilattumpara, no estado indiano de Kerala, no sul do país. Manadas de elefantes invadem lavouras, derrubam árvores, casas e tudo o que estiver pela frente. Só no estado, 22 pessoas morreram em 2017 nos confrontos com estes animais.

O pessoal por lá tentou de tudo: cercas reforçadas, trincheiras no perímetro da propriedade, cerca elétrica e até bater tambor (sim, é sério) para afugentar os elefantes. Nada funcionou.

 

 

A salvação da lavoura – literalmente – veio através de um projeto governamental, com tecnologia vinda da África. Os locais descobriram que os elefantes detestam abelhas e basta o zumbido das mesmas para que os gigantes não cheguem perto de colmeias.

Descoberto o ponto fraco, equipes de trabalho passaram a instalar centenas de caixas de abelhas em cercas de arame das divisas das propriedades. Quando um elefante toca o arame, acorda as abelhas e o serviço de proteção começa a trabalhar.

 

 

Deu tão certo que hoje os elefantes que passam perto do vilarejo já aprenderam que ali é um lugar infestado de abelhas e vão direto para as cidades vizinhas. Mayilattumpara hoje tem 2,5 km de cercas com abelhas.

Outro efeito colateral da medida de segurança é a produção de mel. Cerca de 30 kg são produzidos pelas cercas, garantindo uma renda de US$1000,00 para cada agricultor.

Em terra de abelha, elefante anda de costas.


11 de setembro de 2017

Japonês inventa lobo mecânico para espantar javalis


Lobo mecânico

O “lobo robô” acende os olhos vermelhos e emite sons que espantam os animais

 

Geralmente, no Japão, quando um monstro aparece, logo outro cai matando. Os dois brigam por um tempo, ficam gigantes para brigar novamente e o herói sempre vence.

Em escala reduzida, uma empresa japonesa chamada Ohta Seiki, sediada na região de Hokkaido, construiu um robô para espantar os inimigos das lavouras locais, especialmente os javalis. Capaz de emitir sons, detectar animais com infra-vermelho, mexer a cabeça e “ligar” olhos vermelhos feitos de led, o equipamento espanta os javalis e pequenos roedores.

 

O robô está passando por testes em uma cooperativa e os usuários juram que os animais invasores sumiram do local. Quando entrar em produção, o lobo mecânico custara cerca de US$1800,00.

 

 

Em se tratando de Japão, este robô feio deverá virar uma réplica perfeita de um lobo furioso em menos de 20 anos. Não duvidem.

 



Publicidade