Tag: Conflitos Agrários

5 de dezembro de 2019

Índia vira rapper para cantar que o Agro mata. Quem está por trás?


Agro mata

Artistas ativistas indígenas foram destaque em reportagem do UOL, mostrando suas músicas e formando um novo público, longe da aldeia

O site UOL publicou uma reportagem de título “Rap indígena sai da aldeia e protesta: “Agro não é tech nem pop. Ele mata” no último dia 3. No texto, os destaques são para a índia Kaê Guajajara, do Maranhão e Wera MC, habitante de uma terra indígena praticamente dentro da cidade de São Paulo.

No caso de Wera, provavelmente o seu contato mais próximo com o agro seja a CEAGESP da Vila Leopoldina, distante 10 km da sua aldeia urbana.

Já a artista Kaê Guajajara veio do Maranhão, segundo ela, por conta de conflito com madeireiros. O UOL incorpora um vídeo em sua reportagem da índia cantando juntamente com uma DJ. No notebook da acompanhante, adesivos com simbologia de esquerda, incluindo um adesivo “Marielle Vive”.

A música em execução chama-se “Mãos vermelhas”, onde parte da letra diz que “O agro não é tech, não é pop e também mata”. O canal que hospeda o vídeo no Youtube é do Sofar, uma espécie de festival de música / comunidade de músicos fundada em Londres por Raffe Offer – um empreendedor digital que já foi executivo da Disney e da Coca Cola – que tem representações em diversos países.

A média de visualizações para cada vídeo no Sofar Latin America fica entre 700 e 1000 para postagens de 3 meses. O vídeo de Kaê conta com 13594 no momento da escrita deste texto, muito provavelmente pela divulgação dada pelo UOL.

Em 2018, o Wera MC com outros artistas indígenas foi para a Alemanha, através do Museu Weltkulturen, levar sua música e narrativas sobre o conflito com o homem branco. Foram reportagem na DW.

Assim começa mais uma corrente cultural contra o Agro. Como já aconteceu com o carnaval, programas de humor da Rede Globo e outras obras (até mesmo o próprio jornalismo), nossa atividade recebe mais este ataque deste combo de música indígena com MacBook, Spotify e as redes sociais para. Um esforço que ao invés de levar o conforto das novas tecnologias para dentro da aldeia, aliou-se com a esquerda para ser mais uma ferramenta na a guerra cultural.

Todos protestam mas, aparentemente, continuam comendo e dizendo Agro Mata!


4 de dezembro de 2019

Agricultor blinda trator para se proteger de invasões no MS


agricultor blinda trator

agricultor blinda trator

Agricultor de Dourados, no Mato Grosso do Sul, precisa trabalhar com trator blindado por conta de ataques de índios que não poupam nem a polícia

Segundo a Rádio 94 FM Dourados, lá do Mato Grosso do Sul, um agricultor da região precisou criar uma cabine blindada com chapas de aço para o seu trator por conta da violência praticada por indígenas. Um vídeo foi publicado no Facebook.

 

 

 

 

O grupo de invasores atua em grande número, ocultando o rosto com camisetas e portando arco e flecha, facões, foices e até bombas caseiras.

Quando a polícia foi acionada para atender uma das invasões, foi recebida com violência pelo grupo. Ninguém foi identificado ou preso.

Veja também

As cabines blindadas da Key Dollar Cab.


3 de julho de 2017

Ditador africano do Zimbábue está expulsando brancos de suas terras e torturando negros no processo


Ditador africano

Proprietários de terras e funcionários das fazendas são expulsos de suas casas em uma violenta reforma agrária.

O Zimbábue é um país localizado no sul da África e é comandado desde 1980 pelo ditador Robert Gabriel Mugabe. São quase 40 anos de um governo que transformou o país em um dos mais miseráveis do mundo. Seu plano de reforma agrária tira terras de agricultores e entrega para membros do próprio partido, sem qualquer conhecimento agrícola. Resultado: fome e produção mínima.
A última “eleição” ocorreu em 2013, com vitória esmagadora do ditador Mugabe. Na anterior, em 2008, seu concorrente Morgan Tsvangirai desistiu após ter apoiadores assassinados. O Brasil foi um parceirão do regime ditatorial do Zimbábue, com empréstimos de quase 100 milhões de dólares através do BNDES.

Um exemplo recente, a propriedade de Robert Smart

No mês de junho, a fazenda do “colono branco” Robert Smart foi expropriada pelo governo. O próprio Mugabe aqueceu a militância com um discurso incentivando a invasão de propriedades pela “juventude que ainda não tem terra”, dias antes da ação de desapropriação.

Zimbábue
As forças do governo entraram na propriedade, produtora de milho e tabaco, expulsando moradores e funcionários. 150 pessoas – nativas da região – tiveram a maioria dos seus bens pilhados e distribuídos entre os soldados, obrigadas a fugir para as matas da região e deixando para trás até mesmo medicamentos de uso contínuo. Entre as vítimas, infectados com o vírus HIV que ficarão sem tratamento.

Para saber mais

Brasil libera crédito a ditador do Zimbábue – Folha de São Paulo, 2013.

“Homens armados ocuparam minha fazenda” (em inglês) – News 24, 2017.

7 ditaduras financiadas pelo governo brasileiro nos últimos anos – Spotniks, 2016.

Governo brasileiro libera quase US$100 milhões para Mugabe. Gazeta do Povo, 2013.



Publicidade