Tag: Commodities

2 de março de 2022

No embalo da guerra na Ucrânia, Irã vai trocar milho por fertilizante com o Brasil


guerra na ucrânia

Com as complicações do agro no cenário mundial, países buscam alternativas para o comércio de produtos

guerra na ucrânia

Segundo informações da imprensa do Irã, o país procura por alternativas no comércio de grãos, já que importa (ou importava) 60% do milho para consumo da Ucrânia. Se o conflito continuar, essa importação poderá ser realizada na totalidade do Brasil.

Segundo a iraniana Press TV, na próxima semana um navio carregado de ureia saírá do Irã com destino ao Brasil, para a troca (barter) por milho. Quem afirma é o presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Agricultura Irã-Brasil, Fakhreddin Amerian.

Vale lembrar que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, esteve recentemente no Irã para tratar deste tipo de comércio, entre outras questões.

O Irã exporta 400 mil toneladas de ureia por ano para o Brasil e pretente chegar em 2 milhões, segundo o ministro da agricultura Javad Sadatinejad.

exportações brasileiras para o irã

Exportações brasileiras para o Irã em 2021: o milho já era top, agora pode aumentar. Fonte: Comex-vis

Problemas no passado

Em 2019, um navio do Irã ficou parado por semanas no porto de Paranaguá, no Paraná, por conta da Petrobras. A estatal brasileira não queria abastecer as embarcações por conta de sanções do governo americano impostas ao Irã. O caso foi parar até no STF, que deu a ordem para que o abastecimento fosse realizado.

Veja também

Fertilizantes: Bielorrússia solta o verbo contra a Lituânia e diz que o país prejudica o Brasil


19 de dezembro de 2020

Europeus querem diminuir importação de soja brasileira e usar batatas locais


batatas




Batatas!

batatasCom o objetivo de diminuir a importação de soja da América do Sul, especialmente a soja brasileira (pelos mais variados motivos, nem sempre justos), uma empresa da Dinamarca quer aumentar o uso da proteína de batata nas rações dos suínos. O desejo virou reportagem do site dinamarquês Landbrugs Avisen.

A proteína da batata é um subproduto da produção de amido e não é muito utilizada no país. A Dinamarca está investindo pesado em pesquisas para desenvolver novas alternativas em proteínas e diminuir a dependência da soja da América do Sul.

Segundo os técnicos da KMC, grande processadora da Dinamarca, até 8% de proteína de batatas pode ser adicionado em rações para suínos. A mistura é limitada pela quantidade de solanina, substância tóxica presente no produto, que varia conforme a cultivar e a qualidade do plantio.

Batatas versus soja – para saber mais:

A cultura da batata (EMBRAPA)

Toxinas em alimentos de origem vegetal.

Batatas da Jutlândia podem substituir a soja sul-americana.

Starch Europe.

KMC.

Comparação entre proteína da batata e soja na ração de bovinos Belgian Blue.

Danish Protein Innovation.

Proteins For The Future.


1 de janeiro de 2016

Blog do Farmfor


Blog do Farmfor

Curiosidades sobre o mundo agrícola: máquinas, notícias, humor e muito mais.



Publicidade