Categoria: Guerra na Ucrânia

25 de março de 2022

Ucranianos dizem que sistema da DJI está repassando dados de drones para os russos


AeroScope

Um oficial do governo ucraniano reclamou que o sistema Aeroscope, da DJI, está sendo usado para rastrear pilotos de drones domésticos, causando a morte de civis

AeroScope

O sistema AeroScope da DJI consiste na transmissão de um sinal criptografado diretamente dos drones, captado por receptores especiais que a empresa chinesa vende apenas para agências de governo. O sistema é útil para identificar a posição dos equipamentos (e de quem está pilotando) em caso de sobrevoo em áreas proibidas como aeroportos, por exemplo.

Acontece que o governo da Ucrânia está colocando em dúvida o sistema, insinuando que a a DJI (empresa chinesa fabricante dos drones) teria aguma cumplicidade com a Rússia no repasse dessas informações. Um receptor do AeroScope pode detectar um drone, em certas condições, em distâncias de até 50 km.

Acima: o post publicado no Twitter pelo oficial do governo ucraniano Mykhailo Fedorov: “Em 21 dias de guerra, tropas russas já mataram 100 crianças ucranianas. Eles estão usando produtos da DJI para orientar seus mísseis. @DJIGlobal, você tem certeza que quer ser cúmplice nestes assassinatos? Bloqueie seus produtos que estão ajudando a Rússia a matar os ucranianos!”

aeroscope

AeroScope, a mala dedo-duro da DJI que é vendida apenas para governos: é só abrir e descobrir a posição de todos os drones da vizinhança (e seus pilotos)…

aeroscope aeroporto

… e a sua versão mais “parruda”, para grandes áreas de interesse como aeroportos. O funcionamento é o mesmo, só muda o alcance.

A DJI respondeu sobre o AeroScope

Também pelo Twitter, a fabricante de drones mais popular do mundo disse que os drones são para uso civil e não militar e que o AeroScope presente nestes sistemas são mais um motivo para que não sejam usados em aplicações militares e que a funcionalidade não pode ser desligada. A nota (em inglês) completa pode ser lida aqui.

Uma boa reportagem sobre o caso está no site The Verge, em DJI DRONES, UKRAINE, AND RUSSIA — WHAT WE KNOW ABOUT AEROSCOPE Why DJI’s drones are a hot-button issue in the Ukraine-Russia war, de Sean Hollister.

Veja também

Exército americano manda retirar todos os drones da DJI de suas operações oficiais (Farmfor, 2017).


2 de março de 2022

No embalo da guerra na Ucrânia, Irã vai trocar milho por fertilizante com o Brasil


guerra na ucrânia

Com as complicações do agro no cenário mundial, países buscam alternativas para o comércio de produtos

guerra na ucrânia

Segundo informações da imprensa do Irã, o país procura por alternativas no comércio de grãos, já que importa (ou importava) 60% do milho para consumo da Ucrânia. Se o conflito continuar, essa importação poderá ser realizada na totalidade do Brasil.

Segundo a iraniana Press TV, na próxima semana um navio carregado de ureia saírá do Irã com destino ao Brasil, para a troca (barter) por milho. Quem afirma é o presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Agricultura Irã-Brasil, Fakhreddin Amerian.

Vale lembrar que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, esteve recentemente no Irã para tratar deste tipo de comércio, entre outras questões.

O Irã exporta 400 mil toneladas de ureia por ano para o Brasil e pretente chegar em 2 milhões, segundo o ministro da agricultura Javad Sadatinejad.

exportações brasileiras para o irã

Exportações brasileiras para o Irã em 2021: o milho já era top, agora pode aumentar. Fonte: Comex-vis

Problemas no passado

Em 2019, um navio do Irã ficou parado por semanas no porto de Paranaguá, no Paraná, por conta da Petrobras. A estatal brasileira não queria abastecer as embarcações por conta de sanções do governo americano impostas ao Irã. O caso foi parar até no STF, que deu a ordem para que o abastecimento fosse realizado.

Veja também

Fertilizantes: Bielorrússia solta o verbo contra a Lituânia e diz que o país prejudica o Brasil



Publicidade