Tag: Carne Vegetal

2 de fevereiro de 2020

Embrapa investe na produção de hambúrguer vegetal


Hambúrguer Vegetal

A tradicional empresa de pesquisa agropecuária brasileira também investe recursos em alternativas para a carne, como o hambúrguer vegetal

Não é de hoje que a EMBRAPA desenvolve pesquisas com produtos alternativos. Um deles, o New Burger, foi desenvolvido em parceria com a empresa Sottile Alimentos e há registros de testes desde 2017 no site.

Agora, o hambúrguer vegetal volta para a mídia. Segundo a Agência Brasil em post do dia 2/2/2020, o produto já está à venda em uma rede de supermercados do Rio de janeiro.

Diz ainda que:

O “Novo Burguer”, no comércio há dois meses, é feito com fibra de caju, proteína de soja, cebola, tomate, pimentão, corante natural e temperos, e tem características sensoriais assemelhadas ao hambúrguer de carne.

O produto foi criado para pessoas batizadas como “flexitarianos” – aqueles indivíduos que apesar de gostarem de carne querem balancear a dieta e buscam reduzir o consumo de carne. “São diferentes de vegetarianos ou veganos que não gostam do sabor da carne e não querem alimentos que simulem a carne”, explica a engenheira de alimentos Janice Ribeiro Lima.

Ela é pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa, na unidade da estatal responsável por desenvolver agroindústria de alimentos, e que fica no Rio de Janeiro. Ela começou a criar alternativas para carne em pesquisas iniciadas em 2007, quando ainda trabalhava na Embrapa do Ceará.

Janice Lima e as equipes de pesquisadores já desenvolveram outros produtos como o hambúrguer de fibra de caju e de feijão de corda para vegetarianos e também substitutos para rechear coxinha de galinha e bolinho de siri.

A pesquisadora explica que o objetivo do seu trabalho “não é que as pessoas parem de comer carne, mas dar mais uma opção”. Segundo ela, a produção de produtos com proteína vegetal pode ser menos onerosa que a proteína animal. Especialmente no caso do Novo Burguer que utiliza o bagaço do caju, geralmente eliminado pela indústria de suco ou revendido para alimentação de animais.

Hambúrguer Vegetal é polêmico

Como já tratamos aqui no Blog do Farmfor, o desenvolvimento de carnes vegetais não é bem visto pelos produtores e com razão: muitos produtos são carregados de narrativas negativas sobre o setor da pecuária, com um marketing que mostra estas “alternativas” como salvadoras do meio ambiente face à “pecuária destruidora”.

Veja também

Impossible Pork: empresa cria “carne” de porco feita de plantas.

Rede americana de fast-food faz vegetal de carne para tirar sarro da concorrência.


29 de junho de 2019

Rede americana de fast-food faz vegetal de carne para tirar sarro da concorrência


Vvegetal de Carne

A Arby’s lançou uma campanha de marketing para trollar as empresas que estão desenvolvendo alternativas para a carne de verdade

A Arby’s, dede de fast-food americana especializada em sanduíches de carne e presunto, lançou uma campanha publicitária para tirar um sarro das empresas que estão lançando alternativas no ramo da alimentação, entre elas, a carne sintética de algumas startups.

O víde ensina a fazer uma “cenoura de carne” chamada marrot , primeira de uma série de itens que foi batizada de megetables.

https://vimeo.com/344324877

Na carona, a marca tira o maior sarro de vegetarianos e veganos, obviamente. Já a cenoura, não será vendida nas lojas e viverá apenas no mundo do marketing.

Várias empresas nos EUA estão tentando emplacar substitutos para a carne, desenvolvendo produtos em laboratório ou derivados de alternativas, muito além da carne de soja de outros tempos.

A Impossible Foods e a Beyond Meat são dois exemplos de empresas com a missão de acabar com o consumo de carne como conhecemos, com muito dinheiro no bolso, via investimentos, para militar contra o agronegócio.

A Arby´s já esteve no Brasil

A rede tinha lojas franqueadas no Brasil. Operou entre 1993 e 1999, com os famosos sanduíches de rosbife e batatas fritas diferenciadas, as curly fries. Mantinham unidades da Arby’s os estados de São Paulo e Fortaleza, além de Brasília. A forte concorrência do McDonalds, público ainda não acostumado com alternativas de fast-food e falta de apoio da matriz nos EUA foram apontados como motivo para o fracasso em terras brasileiras.



Publicidade