Tag: Ovinocultura

9 de novembro de 2020

Baixo preço faz produtor queimar a lã no Reino Unido


lã

Os produtores de lã no Reino Unido estão sofrendo com o preço baixo do produto frente ao custo de produção. Para cada velo produzido, o custo é de 30 centavos, contra 24 recebido quando se encontra um comprador.

Um produtor do País de Gales que não quis se identificar, revoltado com a situação, resolveu queimar toda a lã do estoque em protesto. Foram para a fogueira mais de 800 velos e as fotos do “funeral” foram parar nas redes sociais, através de amigos que presenciaram a cena.

Só para tosquiar as ovelhas no Reino Unido, o custo por cabeça é de 2 libras.

 

O preço da lã previsto antes da pandemia (e do fechamento do mercado para exportação) era de 32 centavos o kg (um velo tem entre 2,5 e 5kg), sendo que o mercado já estava saturado com toneladas de produto não vendido. O Reino Unido produz anualmente 22 mil toneladas de lã, com um rebanho de 32 milhões de cabeças.

Visto no Daily Mail.

Veja também sobre lã, ovinos e tosquia:

Tosquia milionária: espanhóis fretam Boeing com tosquiadores do Uruguai.


5 de setembro de 2020

Sportsmans Double Diamond, o carneiro mais caro do mundo


Sportsmans Double Diamond

 

O carneiro britânico Sportsmans Double Diamond custa uma pequena fortuna e foi adquirido recentemente por três criadores na Escócia

O carneiro da raça texel com o pomposo nome Sportsmans Double Diamond foi vendido em um leilão da Texel Sheep Society por incríveis 367,5 mil libras. Em reais, o carneirinho sairia por R$ 2,5 milhões, sem impostos, frete e seguro. O animal pertencia ao criador Charlie Boden.

As fotos do carneiro mais caro do mundo e também dos criadores são da fotógrafa Catherine MacGregor. Confia a página no Facebook.

Três criadores racharam a conta e levaram pra casa o reprodutor, que terá muito trabalho pela frente para pagar o seu custo, mas vivendo uma vida bem confortável.

O carneiro é de genética originária da Holanda e descende do também caríssimo Garngour Craftsman (vendido por 65 mil libras em 2019), criado na Inglaterra e suas características são de um animal “top 1%” da raça.

Veja também

Tosquia milionária: espanhóis fretam Boeing com tosquiadores do Uruguai.


20 de maio de 2020

Cão robô pastoreia ovelhas na Nova Zelândia


cão robô

Empresa de tecnologia da Nova Zelândia vai programar cão robô para tarefas na propriedade rural, incluindo o controle de rebanhos de ovinos

Spot, o famoso cão robô da empresa americana Boston Dynamics agora também é agro. A Rocos, uma empresa da nova Zelândia, está modificando a plataforma para realizar trabalhos agrícolas nas propriedades rurais. Um dos trabalhos em desenvolvimento é o de pastoreio de ovelhas.

O Spot foi visto recentemente controlando o distanciamento social em Cingapura, nos parques da cidade.

Além de tentar ganhar a confiança e o respeito dos ovinos, o Spot também vai monitorar lavouras, auxiliando as propriedades que também sofrem com a falta de mão de obra.

O cusco eletrônico terá que sofrer um bocado para superar a inteligência do Border Collie, que faz todo o serviço da propriedade sem precisar carregar a bateria.

Veja também

TerraSentia, o robô de US$ 5000,00 que analisa a sua lavoura.


16 de maio de 2020

Tosquia milionária: espanhóis fretam Boeing com tosquiadores do Uruguai


Tosquia Milionária

A época de tosquia começou na Espanha sem os profissionais do corte, impossibilitados de voar até o país. A solução foi fretar um avião.

Dez empresas espanholas do ramo têxtil entraram em pânico durante a pandemia: o calor da primavera chegando e com ele o perigo das doenças características do atraso na tosquia.

Em tempos normais, os melhores tosquiadores do mundo viajam até a Espanha para realizar o trabalho, que pode render para cada um até 250 euros por dia. Com as empresas aéreas paradas, a solução encontrada pelos espanhóis foi ousada e muito cara: fretar um Boeing 787 por módicos 533 mil euros (R$ 3,4 milhões) e trazer 251 tosquiadores do Uruguai, conhecidos por estarem entre os melhores do mundo na atividade.

Os números são impressionantes. Segundo o site El Español, os dez empresários possuem parceria com 9106 fazendas de ovinos na Espanha que juntas tocam um rebanho de 15,5 milhões de ovelhas.

Tosquia milionária: profissionais no aeroporto, rumo ao campo. Foto: El Español / Divulgação.

A concorrência no mercado de tosquiadores parece tranquila para os uruguaios. Ainda segundo o site, os profissionais da própria Espanha nesta época vão para a França, onde ganham mais. Os marroquinhos só trabalham com tesouras e os poloneses e eslovacos escolheram a Itália.

Veja também: Criador pega 6 meses de cadeia, suspensão e multa por não tratar bem das ovelhas.

O esforço logístico para organizar esta tosquia milionária envolveu os governos dos dois países, agências de viagem e até o rei da Espanha, procurado pelos empresários e fazendeiros para dar aquela força durante a crise, especialmente na abertura das embaixadas para o processamento do visto de entrada.

A ação de salvamento das ovelhas ainda ajudou alguns espanhóis que estavam no Uruguai, sem voos de retorno para casa. Pagando o preço de passagens normais, conseguiram embarcar junto aos tosquiadores.


3 de abril de 2020

Voluntários vão ajudar agricultores doentes na Islândia


Voluntários

Associação de agricultores atraiu uma centena de voluntários para trabalhar nas propriedades atingidas pelo coronavírus no pequeno país

A Islândia é um pequeno país insular no Atlântico Norte, com uma população de 350 mil habitantes em uma área de 103 mil quilômetros quadrados. É um pouco maior que o estado de Pernambuco.

E é deste pequeno e frio país que vem um bom exemplo. Com a chegada do coronavírus na ilha, alguns agricultores foram infectados e desenvolveram a doença. Impossibilitados de trabalhar, vão ganhar a ajuda de mais de uma centena de voluntários cadastrados na Associação local.

Produtores de ovinos na Islândia. Foto da Associação de ovinocultores – Iceland Lamb.

Alguns voluntários possuem conhecimento na área, enquanto outros trabalhavam no setor de turismo (muito ligado ao meio rural no país) e se ofereceram para ajudar.

A ovinocultura é forte por lá, em uma ilha com mais ovelha do que gente. São 450 mil cabeças no rebanho nacional (contra 350 mil habitantes). A segurança alimentar também será garantida com esta ação voluntária, assunto sério em uma região isolada e com poucas propriedades, em um momento particular do mundo com tantos problemas de logística.

O coronavírus na Islândia

Até o momento, a Islândia registrou 1364 casos de infecção por coronavírus, com 336 pacientes recuperados e 4 mortes. O índice de infecção é de 1 para cada 357 habitantes, um dos mais altos no mundo e o fenômeno apontado pelos especialistas é causado pelo altíssimo número de testes realizados.

A forma como o país lidou com a pandemia está servindo de exemplo para o mundo, colaborando com mais dados sobre o comportamento da infecção. Entre as informações disponíveis, está a constatação do importante papel dos infectados assintomáticos no contágio da população.

O país não implementou lockdown, apenas quarentena voluntária, fechamento de escolas e proibição do acúmulo de mais de 20 pessoas em eventos públicos.

Voluntários vão ajudar agricultores doentes na Islândia. Veja também:

Iceland lab’s testing suggests 50% of coronavirus cases have no symptoms

Presidente da Bielorrússia quer “tratorterapia” para o coronavírus


19 de março de 2020

Coronavírus provoca descarte de leite em Portugal


coronavírus provoca

Impossibilitado de escoar a produção, agricultor de Portugal joga fora milhares de litros de leite de ovelha e lamenta em vídeo nas redes sociais

Um agricultor da região de Cabeço de Vide, cerca de 200 km de Lisboa, amargou um enorme prejuízo com a sua produção de leite de ovelha por culpa do coronavírus. Seu comprador, um laticínio produtor de queijo, parou a fabricação e simplesmente não recebe mais o insumo.

Veja também: Coronavírus: agricultores estão ajudando a desinfetar ruas na Espanha.

Outros laticínios da região vão no mesmo caminho. Sem alternativas, só restou ao produtor jogar fora tudo o que estava armazenado nos resfriadores.

https://www.facebook.com/100003299659321/videos/3039710109482281/
O lamento, em vídeo.

Portugal já está em estado de emergência e tem (em 19/3/2020) 785 casos de infecção e três mortes.

Saiba mais

Covid-19. A situação ao minuto em Portugal e no mundo.


20 de junho de 2017

Ator Rodrigo Hilbert vai depor na polícia por abater cordeiro na TV


Rodrigo Hilbert

Tudo por conta de uma ONG que prestou queixa contra o apresentador

 

Para quem não lembra do caso, Rodrigo Hilbert é ator e apresentador de um programa de culinária no canal por assinatura GNT. Falamos aqui do caso em março deste ano, quanto o Rodrigo sofreu ataque de ativistas na internet por mostrar o abate de um cordeiro em seu programa.

Pois a coisa não pariu por aí. Uma ONG prestou queixa em uma delegacia de São Joaquim, em Santa Catarina, supostamente por violência contra os animais.

Como mora no Rio de Janeiro, o ator prestará o seu depoimento na 14ª DP, no Leblon. A informação foi dada por Ancelmo Gois, no O Globo. É o fim do mundo e vamos acompanhar o caso.


1 de junho de 2017

Emissora de rádio posta fotos de carcaça de ovino e sofre ataque de ativistas


fotos de carcaça

A simples divulgação de uma aula do curso de veterinária da Universidade de Passo Fundo virou alvo de ataques no Facebook

 

Parece que virou moda. Já publicamos aqui o caso ocorrido com o Rodrigo Hilbert, atacado na internet e na TV por mostrar em seu programa de culinária o abate de uma ovelha. Eventos parecidos ocorreram com o chef Henrique Fogaça e com a cantora Thalia. Para certos grupos, a ordem é atacar e calar quem mostre qualquer abate, em todos os níveis de exposição em vídeos ou fotos.

Na quarta, 31 de maio, a Rádio Planalto, uma emissora de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, divulgou uma aula especial do curso de veterinária da UPF – Universidade de Passo Fundo, postando no site e no facebook, fotos do evento onde o professor mostrou uma carcaça, técnicas de abate e, com todos os cortes realizados, realizaram um churrasco nas instalações do curso. As imagens não são diferentes de muitas usadas até mesmo em folhetos promocionais de supermercados, como podemos observar:

 

Logo após a publicação, o facebook da emissora começou a receber diversos ataques de grupos de defesa dos animais, com os mais diversos argumentos, com acusações de “falta de ética” e de que (pasmem) “médicos não comem pacientes”.

Parece que muitos defensores dos animais pensam que veterinários trabalham apenas em pet shops. A profissão vai muito além e é do próprio curso de veterinária da UPF que retiramos a lembrança de que o médico-veterinário egresso da UPF “tem formação generalista, com forte atuação nas áreas de produção animal, sanidade animal, saúde pública, higiene, inspeção e tecnologia de produtos de origem animal, clínica e cirurgia de pequenos animais e extensão rural nas pequenas, médias e grandes propriedades”.

Vivemos em um mundo livre e democrático. Se pessoas não comem carne, tudo bem. Mas certos ativistas consideram qualquer um que o faça um assassino e um elemento nocivo para a sociedade. Os agricultores e toda a cadeia produtiva não podem baixar a cabeça para esta linha de pensamento. A agropecuária sustenta este país e é o modo de vida de milhões de pessoas. Desejamos também que os meios de comunicação não sucumbam perante estes movimentos, com alguns integrantes peritos em ódio e difamação.

Reforçamos aqui todo o apoio ao curso de veterinária da UPF, para a emissora e toda a comunidade do agro brasileiro.



Publicidade