Tag: Software

3 de fevereiro de 2018

A briga entre agricultores e a John Deere virou documentário


john deere repair motherboard

Os agricultores que lutam contra a John Deere pelo direito de reparar os próprios tratores e colheitadeiras ganharam a atenção do Motherboard.

 

Em março de 2017, nós falamos aqui no Blog do Farmfor sobre a briga entre agricultores e a John Deere, que limita o acesso aos sistemas digitais das máquinas por questões de direitos autorais.

Agora o assunto ganhou um mini-documentário pelas mãos do site Motherboard, especializado em tecnologia e com grande audiência na área. A série de documentários State of Repair dedicou um episódio com o título Tractor Hacking: The Farmers Breaking Big Tech’s Repair Monopoly (hackeando tratores: agricultores quebrando o monopólio da manutenção, em uma tradução livre) para a questão.

A equipe do site foi até o estado de Nebraska, nos EUA, para mostrar o dia a dia dos agricultores que usam um software criado na Ucrânia, para quebrar o acesso aos computadores que controlam os motores e outros sistemas dos tratores e colheitadeiras. A prática é ilegal por lá e pode dar processo por quebra de direitos autorais.

O documentário é em inglês e mostra a realidade em uma propriedade, lembra que os tratores de antigamente eram apenas mecânica pura e desde os anos 90, começaram a depender cada vez mais de peças eletrônicas. Mais tarde, entraram os complexos sistemas de computação embarcada e sensores que tornaram a manutenção praticamente impossível para os proprietários (distantes muitas vezes centenas de quilômetros da oficina mais próxima).

No final, mostra como está a luta na esfera legal, com políticos ao lado dos agricultores tentando liberar a manutenção através do Fair Repair Act, uma espécie de Projeto de Lei capitaneado pela senadora pelo estado de Nebraska, Lydia Brasch. Outros 12 estados americanos vão seguir o mesmo caminho e trabalhar com projetos similares.

Para a Motherboard, o executivo da John Deere Ken Golden (Diretor Global de Relações Públicas) declarou que esta é uma situação complicada e que afeta todas as marcas com tecnologia embarcada. E que clientes, revendas e fabricantes deveriam encontrar uma solução conjunta para o problema, sem depender do governo e suas regulações, que traria ainda mais custos, sem agregar valor.

Vale a pena assistir, mesmo para quem não domina o idioma. Precisamos lembrar que apesar do documentário focar na John Deere, outros fabricantes possuem sistemas similares que impedem a manutenção e diagnóstico de máquinas agrícolas, caminhões e até mesmo automóveis.

Mais sobre a série de documentários State of Repair, no site da Motherboard.

 

 


24 de março de 2017

Agricultores americanos estão brigando com a John Deere, pelo direito de dar manutenção nos próprios equipamentos


Hackers da Ucrânia estão vendendo sistema que desbloqueia o trator e permite a troca de peças sem passar pela autorizada.

 

Antigamente, pouca coisa em um trator era elétrica ou eletrônica e a máquina era o reino absoluto da mecânica, bastando a experiência e algumas peças disponíveis para a resolução de problemas simples. Algumas vezes, no meio de uma propriedade distante vários km de uma assistência autorizada. Os tempos mudaram. Os computadores invadiram o mundo da mecânica e, com eles, os softwares. O trator passou a ser controlado nos mínimos detalhes pelos sistemas.

Como os tempos mudaram mas as distâncias entre propriedades e autorizadas ainda é muito grande, muitos agricultores americanos estão brigando com a John Deere e outras marcas, pelo direito de fazer a manutenção no próprio trator, sem precisar do desbloqueio via programação. Em alguns cenários, para a troca de uma transmissão, por exemplo, a John Deere cobra US$ 230,00 + US$ 130,00 a hora do técnico, só para ir até o trator, conectar o notebook e desbloquear a peça trocada no sistema.

Como resultado, já tem agricultor andando com trator “pirateado”, com um sistema desenvolvido na Ucrânia, que libera qualquer manutenção sem a necessidade de autorização da empresa. A prática de buscar estes programas no mercado negro é crime e pode dar cadeia nos Estados Unidos. É violação de direito autoral.

Na prática, quem compra um trator já não é mais dono. Licenciou grande parte do equipamento e vive abaixo de regras contratuais, limites para a garantia e riscos legais se alterar qualquer coisa.

 

No Brasil, um sistema muito parecido é usado para desbloquear os sensores dos motores diesel e enganar o sistema na falta do ARLA.

Não são muitas as alternativas para os agricultores no futuro quando a questão é software dentro das máquinas. Cabe ao usuário ficar com o velho trator, aceitar as condições dos novos modelos ou, quem sabe, adotar marcas que são flexíveis ou abrem a possibilidade de alteração em seus sistemas. Vale lembrar que existe um mundo novo chamado “open hardware”, que explora soluções abertas para vários mercados e o agro pode ser um deles, no futuro.

 



Publicidade