Tag: Racismo

6 de maio de 2021

Agricultor branco processa o governo Biden por racismo


agricultor branco

agricultor branco

Agricultor branco teve um perdão de empréstimo negado em um programa governamental de suporte financeiro durante a pandemia, por conta da cor da sua pele

Adam Faust, um agricultor da cidade de Calumet, no estado de Wisconsin, está processando a administração Biden, juntamente com outros 4 produtores, por racismo. Tudo por conta de um programa governamental para auxílio financeiro onde só pode aplicar quem for negro.

O programa fornece perdão para empréstimo tomado por agricultores. No processo, os autores revelam indignação com a perda de seus direitos constitucionais e declaram que com o perdão da dívida teriam a oportunidade de realizar novos investimentos, comprar equipamentos e dar suporte às famílias e para a comunidade.

Adam

Adam Faust na propriedade. Foto: Facebook da Faust Farms.

O programa federal em questão é chamado de American Rescue Plan e direcionará 4 bilhões de dólares para perdoar dívidas de agricultores com desvantagens sociais, mas só para negros, nativos americanos, hispânicos, nativos do Alaska, asiáticos ou habitantes das ilhas do Pacífico.

Os agricultores que processaram o governo são dos estados de Wisconsin, Minnesota, DAkota do Sul e Ohio. Segundo os principais sites de notícias dos EUA, o governo ainda não se pronunciou oficialmente.

 

Veja também

 

Calumet County farmer sues over racial requirements in loan forgiveness program 

Disabled white farmer sues Biden admin over ‘racist’ COVID relief plan


11 de abril de 2016

Minecraft, Farming Simulator, Redneck Rampage e Farmer Dan: Videogames e agricultura


Minecraft

O mundo dos videogames dedicou vários títulos para a agricultura. Veja aqui alguns deles (além do Minecraft)

 

O mundo rural quase sempre foi bem representado no mundo dos jogos. Desde os tempos do Atari, títulos como “Farmer Dan” mostravam em poucas cores e efeitos sonoros limitadíssimos, um agricultor defendendo sua plantação de uma marmota infernal. Para a capacidade da época, era garantia de tardes inteiras de diversão.

Nos anos 90, com a explosão dos jogos para PCs, até mesmo um FPS (jogo em primeira pessoa) de tiro foi lançado. O Redneck Rampage tinha dois caipiras que atiravam em tudo e em todos para recuperar seu porco raptado por aliens. O lançamento ficou durante muito tempo no centro de uma polêmica sobre racismo nos EUA (o termo redneck e as expressões usadas no jogo eram altamente pejorativas).

 

Em meados dos anos 2000, com a proliferação dos jogos sociais dentro do finado Orkut e do Facebook, dois jogos fizeram muito sucesso entre os usuários: Colheita Feliz no primeiro e Farmville no segundo. Ambos eram viciantes e faziam as pessoas cuidarem de cultivos e criações de animais virtuais na tela do computador, durante horas. A coisa ficou um pouco esquisita quando o Colheita Feliz deu para o usuário a opção de “produzir” pequenos potes de chocolate Bis.

 

MST Colheita Feliz

 

Na área da simulação, o líder indiscutível é o Farming Simulator. Praticamente todas as máquinas existentes no mercado agrícola encontram representantes no simulador, onde é possível executar as tarefas do dia a dia em um cenário bem realista, em grandes culturas e também na área florestal. Existem empresas como a Saitek que fabricam controles (botoneiras, pedais e volantes) especialmente para o jogo, tornando a simulação ainda mais próxima da realidade. O jogo serve até como material de apoio para aulas de mecanização agrícola.

Por último, o Minecraft. A premissa é simples: construir qualquer coisa à partir de blocos em um cenário virtual. Com alguns mods, é possível incrementar alternativas agrícolas para o joguinho, com o uso de tratores e implementos. Tudo muito rudimentar. Mesmo assim, o jogo é um dos maiores sucessos da história do videogame e foi recentemente comprado pela Microsoft, tornando seu desenvolvedor um milionário. Experimentem digitar “Minecraft” no Youtube, o conteúdo dedicado ao tema é imenso (mas não se enganem com as miniaturas dos vídeos pois são versões realistas dos cubinhos repetitivos presentes na brincadeira).

 



Publicidade