Tag: Organização Mundial da Saúde

10 de setembro de 2021

Virus Nipah provoca medo de novo surto na Índia


nipah

Transmitido por morcegos, suínos e por contato entre humanos, a mortalidade do vírus Nipah fica entre 40 e 75%, de acordo com a Organização Mundial da Saúde

Um menino de 12 anos da região de Kozhikode, no estado de Kerala (Índia)  faleceu no último domingo, 5 de setembro, vítima do vírus Nipah. Não existe vacina para o vírus que causa febre alta, vômitos e convulsões. O período de incubação é de 4 a 14 dias, com sintomas durando até 14. A infecção é associada com encefalite e pode levar ao coma.

As autoridades de saúde do país entraram em alerta e isolaram a área, com extensa busca e testagem de todas as pessoas que tiveram contato direto ou indireto com a vítima – 188 ao todo, que já estão em quarentena.

morcego nipah

Desta vez, o suspeito na transmissão é o morcego. Ele morde os frutos das árvores que são ingeridas pelos habitantes, causando a infecção. 

O estado de Kerala já sofre atualmente com o Coronavírus, sendo o campeão de casos diários no país. Na última segunda, 6, dos 31222 novos casos de COVID-19 da Índia, 20000 eram de Kerala (o estado tem 39 mil quilômetros quadrados de território e uma população de 33 milhões segundo o censo de 2011. Menor que o estado do Rio de Janeiro, com quase o dobro da população).

Em 2018, um surto do Nipah matou 17 pessoas também em Kerala. O vírus foi detectado pela primeira vez em 1998, na Malásia, onde porcos foram identificados como vetores da contaminação.

Bom conteúdo sobre o vírus Nipah – Capacitação para lidar com epidemias ajuda a conter surto do vírus Nipah, mantido pelo governo americano. Acesse neste link.

O problema do Toddy

Não se trata do achocolatado bem famoso no Brasil e rival número 1 do Nescau, mas uma bebida tradicional da Índia. Também conhecido como vinho de palma, é feito com a fermentação da seiva de palmeiras. O Toddy está na mira das autoridades, já que pode ser um potencial transmissor do vírus, infectado por morcegos que vivem nas árvores.

Rambutão também é suspeito

rambutão

O rambutã (Nephelium lappaceum), é o fruto da rambuteira, uma árvore tropical de tamanho médio, da família das Sapindaceae, que se julga ser nativa do arquipélago malaio. É uma das plantas mais decorativas que existem. Produz deliciosos frutos exóticos que podem ser utilizados em múltiplas receitas e é fácil de cultivar em casa. Fonte: Planta Sonya.

Na região onde faleceu o menino, amostras de rambutão (ou rambutã), uma fruta muito consumida por lá, foram coletadas para verificar a presença do vírus.

Veja também

Colheitadeira movida a trator: uma tradição na Índia


5 de janeiro de 2021

Ivermectina, de droga lucrativa a esperança contra a COVID-19


ivermectina

ivermectina




 

A ivermectina ganhou destaque no mundo inteiro com a pandemia do coronavírus. Há quem defenda o uso como tratamento precoce no combate ao vírus e sua distribuição (ou não) chegou a pautar as campanhas eleitorais de 2020 no Brasil. Segundo a Gazeta do Povo, jornal do Paraná, prefeitos que distribuíram Ivermectina como forma de prevenção à Covid-19 foram reeleitos.

Quem é do agro conhece a ivermectina desde muito tempo. O antiparasitário usado no gado, equinos, suínos e em algumas raças de cães foi descoberto por japoneses (retirada de uma bactéria que vive no solo nos anos 70 e foi considerado uma droga revolucionária nos anos 80, sendo o Ivomec injetável o medicamento veterinário mais lucrativo do mundo na época.

Enquanto lucrava muito no mundo veterinário, a Merck (detentora da patente até 1996) também reconheceu o uso para humanos e fez doações significativas do medicamento para países da África combaterem a Oncocerose (Cegueira do Rio), em parceria com ONGs e a Organização Mundial da Saúde. Toda essa filantropia foi financiada com os lucros do Ivomec. A WHO chegou a publicar um boletim em 2004 chamando o tratamento em massa com ivermectina “uma estratégia de saúde pública pouco utilizada”. Um estudo realizado no Brasil é citado no documento.

O uso em humanos do Mectizan (nome comercial nos EUA) para o combate da cegueira do rio foi anunciado em 1987, sete anos depois de testes clínicos realizados no Senegal. Em 2001, o programa de doações da Merck estava ativo em 33 países da África subsaariana, América Latina, Yemen e Oriente Médio, tratando 25 milhões de pessoas anualmente e com meio bilhão de comprimidos administrados.

A ivermectina é apontada como uma das medicações mais importantes do mundo, ao lado da penicilina e da aspirina, de inegável sucesso para salvar ou melhorar a vida de milhões de pessoas atacadas por diversos tipos de parasitas. Se entrará para história como importante combatente na pandemia do COVID-19, só o tempo poderá dizer. Seria ótimo.

Curiosidade: a descoberta e a longa jornada de uma amostra de solo japonês

A história de como a ivermectina foi descoberta é incrível. No final dos anos 1960, Satoshi Ōmura, um microbiologista do Instituto Kitasako de Tóquio, estava procurando novos compostos antibacterianos e começou a coletar milhares de amostras de solo de todo o Japão. Ele cultivou bactérias das amostras, examinou as culturas quanto ao potencial medicinal e as enviou a 10.000 km de distância para o Merck Research Labs em Nova Jersey, onde seu colega, William Campbell, testou seu efeito contra vermes parasitas que afetam rebanhos e outros animais. Uma cultura, derivada de uma amostra de solo coletada perto de um campo de golfe a sudoeste de Tóquio, foi notavelmente eficaz contra vermes. A bactéria da cultura era uma espécie nova e foi batizada de Streptomyces avermictilis. O componente ativo, denominado avermectina, foi modificado quimicamente para aumentar sua atividade e segurança. O novo composto, chamado ivermectina, foi comercializado como um produto para a saúde animal em 1981 e logo se tornou um medicamento veterinário mais vendido no mundo. Surpreendentemente, apesar de décadas de pesquisas, S. avermictilis continua sendo a única fonte de avermectina já encontrada.

Extraído de Ivermectin: From Soil to Worms, and Beyond, do Barcelona Institute for Global Health.

Para saber mais

Ivermectin, ‘Wonder drug’ from Japan: the human use perspective.

Ivermectina (Wikipedia)

Discovery of Ivermectin.

 



Publicidade