Tag: Mineração

4 de junho de 2021

Minerar Chia – SSDs para instalar, plotar e esquecer


Como minerar Chia

A seguir, dicas de dois modelos de SSDs “de servidor” que não vão morrer, deixando você minerar Chia em paz sem se preocupar com a plotagem

Um dos grandes problemas na mineração de Chia é a necessidade de um SSD rápido para a criação dos plots, que posteriormente serão armazenados – desta vez — em HDs comuns, internos, externos ou nos mais diversos sistemas de armazenamento RAID.

Um m.2 de boa marca, de 500GB, pode ter um TWB (o total de dados que o sistema pode gravar na unidade sem começar a falhar, muito resumidamente) de 300TB. Como um único plot de tamanho padrão faz 1,6 TB de escritas, a unidade pode “morrer” com 187 plots criados. Com uma máquina rápida e uma estratégia de criação de 20 plots por dia, é a morte em dez dias.

minerar chiaÉ aí que entram em cena os SSDs enterprise, ou “de servidor” no popular. Do outro lado da fronteira, lá no Paraguay, estão disponíveis hoje dois modelos de SSDs desta categoria, de duas marcas: Samsung e Crucial. O modelo PM1643  de 3,8 TB (US$ 1.490,00 mais impostos e taxas) e o Crucial (na realidade, Microm) 9300 Pro também de 3,8 TB (US$ 1.040,00 mais impostos e taxas).

minerar chia

O modelo da Crucial sofreu um grande aumento de preço em abril de 2021. Antes, era vendido por cerca de US$ 850,00.

O Samsung PM1643 tem velocidades de 2000 MB/s para escrita e 2100 MB/s para leitura. O dado mais importante, o TWB, é de um drive por dia, por 5 anos. na capacidade de 3,8 TB do modelo, significa uma vida útil de 4334 plots. Confira o datasheet do modelo, neste link.

O Micron é mais rápido (3500 na leitura e 3100 na escrita) e tem um TBW de 8400 (vida útil de 5250 plots). Baixe o datasheet neste link.

Uma curiosidade:  em “preços de Paraguai”, cada plot custaria US$ 0,34, no Crucial (Micron) US$ 0,19 e, para efeitos de comparação, o custo por plot em um m.2 WD Black SN850 de 2TB (US$ 480,00) é de US$ 0,64.

Minerar Chia – outros links publicados aqui (leia)

Mineração de Chia Coin – Total Network Space ultrapassa os 10 Exbibytes

Chia Coin – dá para guardar seus plots na Digital Ocean?

Como minerar Chia – riscos e vantagens – em linguagem básica

 

 

 

 


25 de maio de 2021

Mineração de Chia Coin – Total Network Space ultrapassa os 10 Exbibytes


Como minerar Chia

O espaço total dedicado para a mineração da Chia Coin bateu uma marca simbólica nesta terça, 25 de maio

O espaço total ocupado em HDs por este mundo afora para minerar Chia Coin ultrapassou a barreira dos 10  Exbibytes. Na manhão de 25 de maio, mais precisamente às 10h28, o Total Network Space informado pelo sistema é de 10.181 EiB.

Exbibytes

É o somatório do espaço de todos os discos usados para minerar Chia, do HD que sobra em milhões de computadores pelo mundo, passando pelo HD externo comprado na esperança de ganhar alguns trocados com a moeda até os mega “plotters” chineses com enormes CPDs dedicados para a atividade. No dia 29 de abril, o espaço alocado na rede passou a marca simbólica de 1 Exbibyte.

 

chia total network space

Chia Total Network Space – gráfico do crescimento. Via Chia Explorer.

Vale lembrar que (segundo a Wikipedia):

O Exbibyte (contracção do inglês exa binary byte) é uma unidade do Sistema Internacional para designar 260 bytes de informação ou de armazenamento computacional. A sua abreviatura é EiB.

1 exbibyte = 2^60 bytes = 1 152 921 504 606 846 976 bytes = 1 024 pebibytes

O exbibyte está muito relacionado com o exabyte, que pode ser um sinónimo — embora incorrecto — para exbibyte, ou uma referência para 1018 bytes = 1 000 000 000 000 000 000 bytes, dependendo do contexto.

Antes do múltiplo exa, vem o peta e o tera, que você conhece bem por conta dos tamanhos mais comuns em discos rígidos e SSDs no mercado, atualmente.


8 de maio de 2021

Chia Coin – dá para guardar seus plots na Digital Ocean?


Como minerar Chia

Chia CoinCom a provável corrida para a compra de HDs e SSDs para a mineração de Chia Coin, muitos potenciais “fazendeiros” da nova moeda pensam em usar serviços da nuvem para guardar os plots. Será que compensa?

A Amazon da China já anunciou algo sobre prestar este serviço, mas sem informações detalhadas. Uma outra empresa de destaque no mercado e concorrente da Amazon é a Digital Ocean. Seu serviço de armazenamento é chamado de “Spaces”.

Compensa alugar espaço na Digital Ocean?

O plano básico do spaces custa US$ 5,00 mensais para um armazenamento de 250 GB com até 1 TB de transferência de dados e upload para o spaces de graça. Cada gigabyte de espaço usado além da cota de 250GB custa US$ 0,02.

Chia Coin na nuvem

Sendo assim, arredondando (muito):

Um plot de 100 GB custaria US$ 2,00 por mês para guardar.

36 plots (o que seria mais ou menos equivalente a um HD de 4TB) custaria US$ 72,00 (R$ 408,00 hoje) enquanto um bom HD de 4TB nas lojas em geral custa R$ 900,00. Pouco mais de 2 meses de aluguel de espaço na Digital Ocean pagam o preço de um HD. Se o usuário apenas criasse 36 plots sem mais nenhuma atividade, ao final do ano gastaria o equivalente a 5 HDs de 4TB. Apenas financeiramente falando, não vale a pena.

Claro que existem pontos positivos, como não precisar pagar a luz e manter no-break, gerenciar uma máquina que pode dar problemas, os HDs podem estragar na sua máquina e na nuvem estão seguros.

De ponto negativo: você ainda precisaria criar os plots em casa e mandar para a Digital Ocean. Um arquivo de 100 GB leva mais de duas horas para “subir” em uma boa conexão de 100 gbps, mas internacionalmente falando, a internet nunca chegaria nesta velocidade para o upload. Fica impraticável.

Resumindo: por enquanto, fique em casa.

Não deixe de conferir o nosso basicão sobre como minerar chia e as razões para a existência deste texto.


21 de julho de 2020

Trator Melroe M870, um monstro de 8 rodas


Melroe M870

Projetado para trabalhos pesados em mineração, o Melroe M870 também seria lançado como máquina agrícola, mas fracassou totalmente

O Melroe M870 foi um trator escavadeira projetado no final dos anos 70, com diversos “diferenciais” inéditos para a época. Entre eles, 8 rodas e dois motores de 335 hp (um para cada lado) para tocar a máquina. Dois aceleradores faziam a função de direcionamento do trator que pesava 63 toneladas .

Segundo a revista Farm Show em sua edição número 3 de 1979, o fabricante Melrose Multi-Wheel Co. tinha planos para vender o Melroe M870 também para clientes da área agrícola. Suas características encontrariam um uso no campo com grandes produtores, diziam.

O trator em operação.

A cabine do trator mais parecia uma torre de controle de aeroporto, pelo tamanho, formato e posição no topo da máquina.

Miniatura do Melroe. Foto: Photos TP.
M880: uma versão com motor mais potente.

O tratorzão de oito rodas teve vida curta, com apenas 7 unidades (algumas fontes falam em 10) fabricadas, do seu lançamento em 1978 até o término oficial da produção em 1982.



Publicidade