Tag: Iowa

22 de setembro de 2021

Hackers russos invadem cooperativa americana e sistemas saem do ar


hackers russos

hackers russos

O grupo que assumiu o ataque quer US$ 5,9 milhões para liberar o acesso aos dados de transações com grãos, suínos e aves da cooperativa

O grupo russo de hackers chamado BlackMatter invadiu os sistemas da New Cooperative, uma das maiores cooperativas americanas, sediada no estado de Iowa e com postos em 39 localidades atendendo 5500 associados. Foi fundada em 1973.

Em um recente ataque similar no mês de maio, a JBS resolveu pagar US$ 11 milhões para outro grupo hacker da Rússia, o REvil, para ter seus dados liberados nos servidores.

Por conta do ataque, a equipe de TI da cooperativa desligou todos os sistemas e desenvolveu uma alternativa “paralela” para não parar de receber produtos dos associados. Um software de controle para irrigação e mapeamento de solo mantido pela empresa também foi desativado. A cooperativa literalmente voltou para o papel, assinando recibo a cada entrega.

hackers invadem cooperativa

Sistemas da New Cooperative. Foto: reprodução do Facebook.

Os hackers ameaçam divulgar dados de clientes, pesquisas e códigos de software da cooperativa caso o pagamento de US$ 5,9 milhões não seja realizado. Ao câmbio de hoje, são R$ 31 milhões.

O que é Ransomware?

Quase todo mundo que trabalha com computadores tem alguma experiência com vírus e convive com avisos frequentes do Avast ou outros softwares de proteção quando acessam um site perigoso ou colocam um pendrive na porta USB. O ransomware é como se fosse um vírus, mas ataca o computador silenciosamente e vai criptografando tudo que encontra pela frente. O programinha coloca uma senha em todos os sistemas e só o “dono do vírus” tem a chave que resgata os dados. Daí vem o pedido de dinheiro para liberar tudo. Mas é importante lembrar: nem sempre usuários são culpados pela infecção, já que sistemas sem atualização podem receber o ataque dos hackers russos via rede.

Negociando com os hackers russos

A New Cooperative estaria negociando com os hackers para não pagar o resgate, alegando ser uma empresa que faz parte da infraestrutura dos Estados Unidos. Os hackers do grupo assumem alguma “ética” e alegam não atacar sistemas críticos de usinas de energia, indústria de óleo e gás, defesa, ONGs e hospitais, mas não consideram a cooperativa de grãos uma categoria especial, conforme revelatam supostos prints da negociação publicados no Twitter e exibidos no site ArsTechnica.

Cuidado, o próximo pode ser você

Se o ramo do agro dos principais países produtores  for algo lucrativo para os hackers, mais ataques do gênero vão acontecer. É tempo dos associados brasileiros indagarem os responsáveis pelo setor de tecnologia da informação das cooperativas se está tudo bem, se existe estrutura e equipe habilitada para lidar com estes casos. Recentemente, sistemas da justiça e prefeituras sofreram ataques deste tipo no Brasil.

Nos EUA, o FBI já está na busca dos responsáveis e alerta que ataques assim poderão afetar o mercado agrícola em um futuro próximo.

Veja também

Hacker invade a John Deere e a CNH e revela vários erros de segurança


11 de agosto de 2020

Derecho – temporais destroem 4 milhões de hectares de lavouras nos EUA


derecho

Fenômeno conhecido como Derecho teve tempestades com ventos acima de 160 km/h, destruindo estruturas e plantios no país

Os americanos estão sofrendo enormes prejuízos com as tempestades nesta semana. O fenômeno conhecido como Derecho é composto por vários temporais com alta intensidade e longa duração, com ventos acima de 160 km/h.

A região central do estado de Iowa é uma das mais atingidas, além de Illinois e Indiana . De acordo com o sistema de monitoramento de tempestades do NOAA (serviço nacional de meteorologia), a região central de Iowa sofre com o fenômeno a cada dois anos.

Só na segunda, mais de 4 milhões de hectares de lavouras foram destruídos pelos ventos, especialmente milho. Um terço das plantações de Iowa.

Saiba mais

A closer look: What is a derecho?

‘We’re definitely just trying to survive out here’: Iowa farmers react to extensive crop damage.


17 de julho de 2020

Big Bud, o maior trator do mundo, vai voltar pra casa


Big Bud

O gigante Big Bud passou os últimos anos em um museu na cidade de Clarion, Iowa. Agora, vai voltar para a fazenda dos proprietários

O Big Bud, também conhecido como o “maior trator do mundo”, está de mudança. Nos últimos 8 anos, ele ficou estacionado no Heartland Museum na cidade americana de Clarion, Iowa.

Desde os anos 2000 o tratorzão andou por diversos museus e feiras dos Estados Unidos, sendo exibido como o recordista mundial em tamanho. Antes de virar peça de museu, trabalhou em propriedades do seu estado natal Montana e também na Califórnia e na Flórida.

Para lembrar: o Big Bud tem motor Detroit Diesel (originalmente de 760 hp, depois reformado até atingir 960 hp), tanque de combustível de 3785 litros, 4,3 metros de altura, 8,2 metros de comprimento, 4 metros de largura e um peso de 50 toneladas com o tanque cheio. O câmbio tem 6 marchas + ré.

Big Bud trocando os pneus. Foto: KIOW.

Como os pneus do tratorzão já estavam velhos demais, foram trocados por novos da Titan Tire (Goodyear).

A data da mudança está marcada para meados de setembro, quando os irmãos Williams, proprietários do trator desde 1997, deverão levar trator de volta pra casa.

O Big Bud foi “aposentado” das lidas na lavoura quando a propriedade onde ele era usado passou a adotar o plantio direto.

Saiba mais

World’s largest tractor leaves Iowa.


15 de janeiro de 2020

Colfax Tractor Parts, um super ferro-velho cheio de tratores nos EUA


Colfax Tractor

O Colfax tem 25 hectares de pura diversão para quem quer encontrar uma peça rara ou só observar os clássicos do passado

O Colfax Tractor Parts é um super ferro-velho localizado na cidade de Colfax, Iwoa, lpa nos Estados Unidos. Os seus 25 hectares ao ar livre estão repletos de pedaços de colheitadeiras, tratores e todo o tipo de máquina agrícola que você imaginar.

Entrada do Colfax Tractor Parts. Veja no Google Maps neste link.

Maquinários usados Inteiros em funcionamento e também alguns veículos estão disponíveis.

Na ativa desde 1988, a empresa familiar declara no site que vende peças para o mundo todo. Neste link está disponível a lista com o estoque (melhor usar um computador para acessar).

Os 25 hectares do Colfax, vistos de cima.

Veja também

Colfax Tractor Parts carries antique, late-model equipment and parts.

Conheça o Maior Cemitério de Colheitadeiras do Mundo.


29 de abril de 2018

John Deere vai abrir centro de pesquisas em pulverização


Parque da ISU receberá investimento da John Deere.

A John Deere vai abrir um centro de pesquisas no ISU Research Park, uma área da Iowa State University dedicada a receber unidades de empresas de diversos setores de tecnologia em prédios compartilhados ou cedendo lotes de terra, para que os associados construam as próprias estruturas. A lista de empresas que já estão no parque você confere neste link.
A John Deere pretende construir um espaço de 3000 metros quadrados, dedicado ao desenvolvimento e testes de novas tecnologias para pulverização. É a segunda vez que a empresa investe na ISU. Em 2017, foi criado um núcleo de pesquisa em inovação no mesmo local. Com a conclusão do novo centro prevista para 2019, os funcionários serão realocados para a estrutura.

Acesse o setor de pulverizadores no site da John Deere.

Acesse o site da Iowa State University.


1 de novembro de 2017

Vídeo de neto levando o avô para a colheita faz sucesso na internet


vídeo de neto

O americano encontrou uma forma inusitada para levar o avô – de 93 anos – até a cabine da colheitadeira.

 

Taylor Johnson é um jovem agricultor da cidade de Le Grand, no estado de Iowa. Sua família está na atividade desde os anos 20, sendo ele a quarta geração dedicada ao cultivo na pequena propriedade com cerca de 48 hectares.

O avô de Taylor, o patriarca Norman Johnson, hoje tem 93 anos e sofre com diversos problemas de saúde, incluindo a famigerada demência. Com dificuldades de locomoção, o Sr. Norman recebeu a ajuda criativa do neto para subir na colheitadeira e curtir as últimas voltas da colheita deste ano: uma empilhadeira com uma pequena plataforma fez o serviço.

 

 

Taylor postou o vídeo da “gambiarra” em seu facebook pessoal, fechado para os amigos. Com o pedido de um parente para abrir a publicação para compartilhamentos, a cena foi curtida e compartilhada por milhares de pessoas, ganhando páginas de destaque nos jornais locais.

Até o momento desta postagem, o post no facebook conta com 3200 curtidas e 2714 compartilhamentos. Deixe a sua também, acessando o post completo (do vídeo acompanhado de foto) através deste link.

 

 



Publicidade