Tag: Combustíveis

12 de março de 2022

Caminhoneiros fazem “marcha lenta” contra aumento do diesel na Europa


aumento do diesel

Caminhoneiros de vários países estão protestando contra o aumento do diesel na Europa, realizando manifestações nas estradas

Como em vários países do mundo, o preço dos combustíveis vem sofrendo grandes altas por conta da crise provocada pela guerra na Ucrânia. Quando somado a fatores econômicos locais e a situação da moeda, a situação fica ainda pior.

Caminhoneiros de diversos países da Europa estão revoltados com os aumentos do diesel. O preço médio na França hoje é de 2,20 euros o litro. Você pode acompanhar os preços por região e médio no país através do site Fuelo.

Segundo a página portuguesa Motoristas do Asfalto, especializada em transportes, neste sábado, 12 de março, caminhoneiros estão a caminho de Lille em protesto contra os autos aumentos do combustível. Na voz de um um dos transportadores que têm 70 carros o aumento vai ser de 1500 euros a mais por mês em cada caminhão. Anuncia que se isto se manter assim como está a empresa irá fechar portas nos próximos 3 meses.

Alemanha

Na região de Colônia, na Alemanha (vídeo acima) os caminhoneiros protestam nas estradas. O diesel subiu 21% em dez dias neste início de março, chegando a 2,32 euros de média no país. O barril de petróleo Brent chegou a US$ 130 no dia 9 de março, por conta do conflito na Ucrânia e as sanções impostas a Rússia, sendo o vilão de toda a crise (ou o principal).

preço do diesel na europa

Acima: card lamentando o preço do diesel na Europa ainda no início de março (o pior ainda estaria por vir) comparando o preço do barril de petróleo com gasollina e diesel em 2008 e 2022. Vale lembrar que o euro em 2008 valia cerca de US$ 1,5. Em 2022, é cotado a US$ 1,10 (10 de março). Fonte: Facebook Motoristas do Asfalto.

Com o conflito na Ucrânia sem data para acabar, ainda veremos muitos protestos por aí, de caminhoneiros até agricultores, obviamente grandes usuários de diesel e na linha de frente da crise.

 


7 de fevereiro de 2020

Economia com diesel seria reinvestida na lavoura, dizem agricultores


Economia com diesel

Em um hipotético corte de impostos nos combustíveis, produtores disseram ao Farmfor que investiriam o valor de volta no plantio, em sua maioria

O debate sobre a cobrança de impostos no Brasil pegou fogo (sem trocadilho) nesta semana, quando o presidente Jair Bolsonaro lançou um desafio aos estados brasileiros: se eles cortarem os impostos estaduais, ele corta o federal.

Questões técnicas à parte (alguns estados como o Rio Grande do Sul tiram quase 20% da sua receita do altíssimo imposto sobre os combustíveis) resolvemos indagar os seguidores sobre o que fariam com o dinheiro se esta medida entrasse em vigor. Algumas estimativas apontam uma economia de aproximadamente 90 centavos por litro.

A maioria disse que reinvestiria na lavoura, mais combustível, maquinário mais moderno, adubos, correção e assistência técnica. Em resumo: reinvestir tudo de volta na lavoura e aumentar a produção.

Economia com diesel

Claro que este não é um trabalho científico, não passa de um simples bate-papo com os nossos seguidores no Farmfor (via comentários e mensagens), mas fica uma possibilidade: menos impostos nos combustíveis poderiam representar mais produção e muito mais dinheiro na mão dos agricultores.


28 de agosto de 2017

Isenção de PIS/PASEP e COFINS no óleo diesel para agricultores está no caminho


Isenção de PIS/PASEP

Prestadores de serviço de transportes de passageiros e de cargas também serão beneficiados

 

A informação é do site do deputado federal Luiz Carlos Heinze, do PP:

A Comissão de Viação e Transportes aprovou proposta que reduz a zero as alíquotas de PIS/Pasep e da Cofins incidentes sobre a venda de óleo diesel para produtores rurais e prestadores de serviço de transportes de passageiros e de cargas.

O texto aprovado é o substitutivo da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural para o Projeto de Lei 409/15, do deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS). O substitutivo retira a isenção da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) para o óleo diesel prevista no texto original.

Relator na Comissão de Viação e Transportes, o deputado Ezequiel Fonseca (PP-MT) lembrou que a Medida Provisória 670/15 já previa a isenção, que foi incluída no texto por meio de emenda dos deputados Valdir Colatto (PMDB-SC), Alceu Moreira (PMDB-RS) e o deputado licenciado Osmar Terra (PMDB-RS). A emenda, no entanto, acabou vetada pela Presidência da República e o veto acabou mantido pelo Parlamento.

“Uma vez que a iniciativa anterior de baixar o preço do diesel não logrou êxito, a presente proposição desponta como uma nova e bem-vinda oportunidade”, disse Fonseca. “Embora o aumento do diesel interfira indiretamente em toda a cadeia produtiva, o impacto na produção rural, no transporte de pessoas e no frete é direto”, completou.

Tramitação: O texto aprovado ainda será analisado de maneira conclusiva pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Via Deputado Heinze.



Publicidade