Tag: Colheitadeiras Antigas

17 de janeiro de 2021

Claeys, a colheitadeira que é bisavó da New Holland


Claeys




Claeys

Foto: Leeds Lib Galleries / Leeds University. Vídeo: Claeys colhendo trigo, via Tractorspotter.

A Claeys começou a ser desenvolvida em 1906 pelo engenheiro belga Leon Claeys. Sua primeira fábrica de trilhadeiras só seria inaugurada em 1909 na cidade de Zegeldem. Em 1952, sai do chão da fábrica a primeira colheitadeira (do modo que conhecemos) da Europa.

Já com o nome Clayson, modelo M103. Foto: Wikipedia.

Série de colheitadeiras antigas em evento no Reino Unido, da West Cork Vintage Ploughing and Threshing Association. De Claeys até New Holland. Fonte: Agriland.

Chamar de bisavó da New Holland pode ser um pouco incorreto, mas a sequência é a seguinte: em 1964, depois de se tornar uma das maiores fabricantes de colheitadeiras da Europa, a Claeys foi vendida para Sperry New Holland. Em 1967, troca o nome para Clayson e em 1986 vai para as mãos da Ford. Em 1991 a Fiatagri compra a unidade da Ford e tudo vira New Holland.

É mais um exemplo da interminável sequência de aquisições e transformações na história das máquinas agrícolas ao longo das décadas.


28 de julho de 2020

Hege 125, uma colheitadeira de parcelas com motor de fusca


hege 125

A Hege 125 é um clássico no setor e este modelo tem um motor bem conhecido dos brasileiros

A colheitadeira de parcelas Hege 125 é cria do senhor Hans-Ulrich Hege, uma lenda na história da mecanização agrícola e considerado por muitos como o inventor deste tipo de máquina. O primeiro modelo foi lançado pela empresa que leva o nome do dono em 1963.

Só esta parte da história já mereceria um texto, mas para encurtar: depois da reunificação da Alemanha (resumindo muito) a marca passou para os suíços da Zürn Harvesting.

“Festa de Aniversário” do Dr. Hans-Ulrich Hege na fábrica da Zürn, em 2018. Saiba mais, aqui.

Hege nos EUA

Ainda é possível encontrar colheitadeiras de parcelas Hege 125 em propriedades dos Estados Unidos, restauradas e funcionando. Nas imagens abaixo, máquina e destaque do motor, em unidade que pertence ao centro de pesquisas agrícolas Snyder Research & Extension Farm, de Nova Jersey.

PS. Algumas unidades de 125 (modelo C) usavam motor diesel.

Hege 125
Hege 125
Hege em operação. Vídeo de Anders Borgen.

Se você está achando estranha a foto de capa deste artigo com uma lavoura e a cidade de Nova York ao fundo, saiba que não é montagem e já falamos sobre o assunto neste link aqui no blog. Outra história interessante com a participação de uma Hege.

Não existem na internet muitos dados técnicos disponíveis em detalhes sobre a Hege mas, enfim, é uma colheitadeira de parcelas e as imagens já mostram bastante coisa.


24 de abril de 2020

Colhendo trigo (e palha) no Paquistão


colhendo trigo

 

Mesmo com alternativas modernas para a mecanização da coleta de palha de trigo, algumas comunidades ainda mesclam o uso de colheitadeiras com práticas centenárias

Um operador colhendo trigo, atravessando a lavoura sem deixar para trás qualquer vestígio de palha. Esta é uma imagem comum no Paquistão e na Índia, onde a mecanização agrícola tem características bem peculiares.

New Holland CR-8080 com coletor de palha, colhendo trigo. Reprodução do canal Different Angle no Youtube.

Primeiro, a terceirização é muito comum nestas regiões. Em época de colheita, caravanas de operadores autônomos com suas colheitadeiras antigas cruzam as estradas atrás de trabalho.

Colhendo trigo

Com a falta de recursos nas micro e pequenas propriedades, aluga-se o serviço e muitas vezes o negócio é à moda antiga: lona no chão e o produto descarregado ali mesmo, enquanto dezenas de pessoas juntam a produção em sacos.

Mas falando em palha, outra situação bem comum é o uso de colheitadeiras antigas com coletores de palha. A máquina não deixa nada no chão e vai acumulando em uma pequena caçamba, descarregando quando este chega no limite da capacidade, para que o contratante faça bom uso do produto.

A palha (ou Bhoosa como eles chamam por lá) é coletada, colocada em grandes caixotes de madeira montados no solo e pisoteada até ficar compactada na “forma”. Depois, a cobertura é selada com barro. A técnica milenar para o estoque de comida para os animais é o final do processo, que iniciou na máquina.

O caixote de palha, selado com barro. Veja mais aqui.

É claro que estes países também contam com propriedades usuárias de mecanização, balers, enfardadeiras e tudo mais na colheita de trigo e outras atividades. O interessante é observar que mesmo nos dias de hoje, as técnicas de antigamente ainda fazem sucesso, por necessidade ou tradição.

 



Publicidade