Tag: Arqueologia

18 de junho de 2021

Agricultor encontra pedra dos tempos dos faraós na lavoura


pedra de 2600 anos

Agricultor egípcio encontrou a pedra de 2600 anos durante a lida em sua propriedade na cidade de Ismailia, distante 100km do Cairo

 

Um agricultor do Egito (sério?) encontrou uma pedra de 2600 anos enquanto preparava a terra para o plantio na cidade de Ismailia.

Como é de praxe nestas situações, o agricultor chamou imediatamente a “Polícia do Ministério do Turismo e Antiguidades” para a coleta do artefato.

Segundo o órgão, a pedra com inscrições é do tempo do faraó Apriés, que reinou por lá entre 589 e 570 antes de Cristo.

pedra de 2600 anos

 

A pedra tem cerca de 230 cm por 103 cm e 45 cm de espessura, contendo 15 linhas de escritos com hieroglifos com o cabeçalho contendo um disco alado. Era uma espécie de “painel de fronteira” avisando quem mandava na região.

agricultor

Foto do agricultor com o grupo de camponeses que encontrou a pedra durante a lida: 2600 anos depois, as terras do faraó são ocupadas por pequenos agricultores que lutam para ter acesso a água e infraestrutura mínima. Não mudou muito. Imagem: El Watan News.

Veja também

Agricultor turco encontra vaso de 1500 anos no meio da lavoura


16 de março de 2019

Agricultor turco encontra vaso de 1500 anos no meio da lavoura


agricultor turco

Enquanto arava a terra, o agricultor da região de Niğde esbarrou com o que pensava ser uma pedra na lavoura. Desceu do trator e encontrou a raridade

Um agricultor que não teve o nome revelado, morador da região de Niğde, na Turquia, encontrou uma relíquia arqueológica no meio da lavoura. Durante o trabalho com o arado, acabou esbarrando em um obstáculo. Ao descer do trator e conferir o objeto, tratava-se de um gigante vaso de argila.

O vaso é chamado de pithos, é da época do Império Bizantino e tem cerca de 1500 anos. Servia para o armazenamento de grãos e alimentos líquidos. Por uma ironia do destino, a agricultura do passado foi confrontada violentamente pela agricultura do presente.

As autoridades locais foram chamadas e isolaram a área. A “identidade” do objeto foi confirmada pela equipe do museu de Niğde e pelo órgão equivalente a uma secretaria da cultura da cidade.

Via Daily Sabah.



Publicidade