Tag: México

3 de agosto de 2021

Huitlacoche é o fungo do milho que faz sucesso na cozinha mexicana


Huitlacoche

Huitlacoche

O huitlacoche é um fungo que nasce no milho em condições especiais de calor e umidade, tradicional na cozinha do México

O huitlacoche tem o apelido de “Caviar dos Astecas” e é consumido no México desde antes da chegada dos espanhóis no continente. Com as cores branca e cinza, depois de cozido fica escuro. Na língua nativa dos astecas, huitlacoche significa sujeira do corvo.

O nome científico do fungo parasita é Ustilago maydis, causador da conhecida doença carvão-do-milho. Segundo a Circular técnica 222, da Embrapa, os relatos sobre ocorrência de carvão em milho aumentaram nos últimos anos, principalmente na região Sul do País. Considerada no Brasil como doença de importância secundária, em razão da sua baixa incidência até hoje, o carvão é diferente de todas as demais doenças do milho, pois as espigas infectadas não produzem grãos e são perdidas, pelo menos aqui onde não são utilizadas como alimento, como acontece em outros países, como no México, onde é uma iguaria. No lugar dos grãos podem ser vistas as estruturas do fungo Ustilago maydis (DC.) Cda., que formam uma massa negra pulverulenta, por isso o nome carvão.

Quando a doença é oportunidade

Ainda hoje no México o fungo é muito consumido, sendo destaque na culinária nacional. Nos Estados Unidos também é chamado de “trufa mexicana” e até o site de culinária Food Republic já dedicou um artigo para o ingrediente.

 

Além de saboroso, o fungo é altamente nutritivo, contando com a presença de diversos aminoácidos como lisina e triptofano.

Veja também

Biotecnologia do século 21 Potencial alimentar e nutracêutico dos recursos indígenas 


9 de novembro de 2020

Tesla Tequila, ou “Teslaquila”, é lançada oficialmente nos Estados Unidos


Tesla Tequila

Elon Musk está envolvido com o lançamento de mais um produto, bem diferente dos carros e caminhões elétricos, provedores de internet por satélite ou foguetes espaciais. Trata-se da Tesla Tequila, a bebida que apareceu em uma piada de “Primeiro de Abril” feita em 2018 no Twitter pelo empresário e que agora ganhou vida.

teslaquila

Cada garrafa custa US$ 250,00 no site, mas a bebida já esgotou no estoque logo na saída.

Quem fabrica a Tesla Tequila

Carga de agave (matéria-prima da tequila) na fábrica da Nosotros.

A novidade até pode ser da Tesla, mas a bebida vem de outro fabricante, a Nosotros Tequila. Sediada na Califórnia, fabrica tequilas desde 2017 através de suas unidades no México, com matéria-prima da região de Jalisco.

Segundo a Nosotros:

A obtenção de agave de Nosotros é incomum no mundo da tequila. Nós fornecemos de forma sustentável metade de nossos agaves das terras altas de Jalisco e a outra metade das terras baixas. Historicamente, as marcas se concentraram em uma altitude e ecologia. Decidimos misturar climas para criar algo diferente.
Os agaves das montanhas estão expostos a mais sol e menos água. O estresse disso os torna doces e frutados e eles trazem essas propriedades para a tequila. Os agaves das terras baixas, onde a água e a sombra são mais abundantes, são naturais e terrosos.

Misturar terras baixas com terras altas resulta em uma combinação de sabores que são igualmente deliciosos e únicos. Em relação à sustentabilidade, o abastecimento de várias regiões em vez de apenas uma nos permite praticar mais facilmente a rotação de culturas, bem como garantir que cada agave que colhemos esteja totalmente maduro.

Veja também

Caminhão elétrico da Tesla Motors é lançado.


6 de fevereiro de 2020

Nada de ETs ou Rio Quaraí: saiba a verdade sobre vídeo de círculos em rio


Rio Quaraí

Vídeo que circula nas redes socias aponta o Rio Quaraí, na fronteira entre o Brasil e o Uruguai como local de possíveis círculos feitos por extraterrestres

Um vídeo que mostra um helicóptero sobrevoando uma área com um rio em época de seca e estranhos círculos em seu leito ganhou versões inusitadas nas redes sociais.

Uma das principais histórias contadas diz que se trata do Rio Quaraí, na fronteira entre o Brasil e o Uruguai e chega a insinuar que os círculos são coisa de outro mundo, obra de ETs.

O vídeo que gerou o boato sobre o Rio Quaraí, espalhado nas redes sociais.

A realidade é bem mais terrena. Primeiramente, a localização: o vídeo não foi feito no Brasil, no Rio Quaraí e sim no México, na Ilha del Carmen (estado de Campeche).

Veja também: A NASA não tem uma máquina de fazer chuva. É boato!

Os círculos foram construídos pelo homem em um projeto ambiental para a recuperação de manguezais, como já desvendou o site Boatos.Org.

É possível ver parte das estruturas no Google Earth

Usando o Google Earth e a opção “histórico”, é possível encontrar fotos de satélite da área em épocas de seca, condição que revela as estruturas que normalmente ficam submersas.

Os círculos vistos por satélite: destaque do Google Earth.

Rio Quaraí – para não perder a viagem

O rio gaúcho é realmente um pouco parecido com as águas da região que originou o vídeo, fortalecendo o boato. De acordo com dados da SEMA – Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul, a Bacia Hidrográfica do Rio Quaraí situa-se a oeste-sudoeste do Estado do Rio Grande do Sul, entre as coordenadas geográficas 29°40′ a 30°30′ de latitude Sul e 56°30′ a 57°40′ de longitude Oeste. Abrange a província geomorfológica Planalto Meridional. Possui área de 6.471,77 km² e população estimada em 29.885 habitantes, abrangendo municípios como Barra do Quarai, Quaraí, Santana do Livramento e Uruguaiana. Os principais cursos de água são os arroios Moirões, Sarandi, Quaraí-mirim, Garupa, Capivari e o Rio Quaraí. O uso de água nesta bacia tem como destino principal a irrigação. Os maiores problemas estão relacionados à insuficiência hídrica nos meses de menor disponibilidade, principalmente no verão e as grandes demandas para irrigação de arroz.

Saiba mais

Confunden rescate de mangle con mensaje extraterrestre.

Van por rescate de manglares en marismas nacionales.


25 de outubro de 2019

John Deere demite em massa nos EUA e no México


John Deere Demite

Número de demitidos pode chegar a quase 200 nos Estados Unidos e 300 no México. A empresa alega baixa demanda por equipamentos.

A John Deere demite nos Estados Unidos e no México, segundo dados do Supply Chain Dive (EUA) e do Noticias del Sol de La Laguna (México).

A unidade fabril afetada no México fica na cidade de Saltillo e é responsável pela fabricação de eixos, tratores e eletrônicos. Nos EUA, serão demitidos funcionários das plantas de Davenport, Iowa (fábrica de equipamentos da linha florestal) e de East Moline, Illinois (linha agrícola). Um mapa em pdf com todas as unidades da John Deere no mundo você pode acessar neste link.

John Deere Demite

Baixa demanda por equipamentos por parte do mercado americano e as guerras comerciais com a China estão entre os motivos para as demissões. Os trabalhadores mexicanos já estão em processo de alocação em outras empresas, especialmente na Lear Corporation, fabricantes de itens para o mercado automobilístico.

John Deere demite – acompanhe no TheLayoff.com

O site The Layoff mantém uma série de notícias sobre demissões nos EUA. Confira a página que monitora a John Deere, aqui.


19 de junho de 2017

Agricultor mexicano briga com porco e morre após perder o pênis e três dedos


agricultor mexicano

A briga doméstica teve um desfecho fatal para o homem de 60 anos

 

Miguel Anaya Pablo, um agricultor da cidade de Tuxtepec, no Mexico, mantinha na casa de sua propriedade um porco. Isso mesmo, não era “animal de criação”, mas uma espécie de pet.

Resgatado por vizinhos, foi encontrado em uma poça de sangue na casa. No hospital, as feridas evoluíram para uma forte infecção que tirou a vida do agricultor.

As informações são do Mirror.



Publicidade