Vazamento de informações e outros problemas de segurança estão entre as irregularidades alegadas. A fabricante nega.


O exército americano proibiu o uso de drones da DJI em suas operações, através de um memorando distribuído para as suas unidades no último dia 2 de agosto. As ordens são para imediatamente encaixotar os equipamentos, desconectar baterias e desinstalar aplicações, até segunda ordem.

Vulnerabilidades (leia-se medo que que os drones enviem mensagens para a fabricante chinesa, incluindo vídeos e fotos pela internet) provocaram o banimento. A DJI alega que não faz nada que viole a privacidade dos clientes, mas no seu termo de uso consta que poderá, abaixo de uma intimação judicial, copiar dados dos clientes.

Para a agricultura, não existe tanto perigo. É muito mais fácil "espionar" o rendimento de nossas lavouras através da compra de imagens de satélite.

Resta saber se a empresa resistirá a este golpe na reputação e se outros usuários poderão abandonar o barco, junto com o exército.

Saiba mais (em inglês), aqui.