11 de outubro de 2016

Zetor, by Pininfarina. Uma super máquina!


Zetor

O trator-conceito da Zetor, fabricante da República Tcheca, é parente das Ferraris italianas

 

Pininfarina é um escritório de design, famoso pelo desenvolvimento de diversos modelos para a Ferrari. O que começou como uma pequena fábrica de carrocerias nos anos 30, evoluiu para uma marca mundial de design que foi muito além do setor de veículos, com trabalhos também em arquitetura, embalagens e marcas para empresas.

Zetor é uma fabricante máquinas agrícolas da República Tcheca. Por ocasião da passagem de seu 70º aniversário, a marca chamou o Pininfarina para desenvolver o projeto de um trator-conceito. O resultado, nas imagens.

 

 

 

 

A modelo nas fotos apresentou o trator durante a AgriTechnica 2015, na Alemanha. Vale lembrar que é um conceito apenas de design, sem especificações mecânicas detalhadas.


10 de outubro de 2016

Operadora dos EUA vai usar drones para aumentar a cobertura de sua rede 4G


O foco inicial do projeto está no aumento de cobertura em áreas afetadas por desastres naturais.

Drones de grande capacidade, carregando em seu interior uma estação de rádio completa, para a comunicação de redes celulares 4G. O projeto está em desenvolvimento pela operadora Verizon, nos EUA.

O foco está na possibilidade imediata de disponibilizar, de forma rápida e eficiente, uma rede para locais atingidos por acidentes ou desastres naturais. Quando em pleno funcionamento, a empresa investirá na oferta de serviços para monitoramento de oleodutos, geração de imagens de lavouras e linhas de alta tensão.

Drone operadora celular

As leis americanas proíbem o uso de drones além da visada do controlador, ou seja, quem está com o rádio na mão precisa estar permanentemente em contato visual com o equipamento. De qualquer maneira, a empresa já está em processo de certificação de seus equipamentos e na expectativa da mudança das leis, para a ativação do sistema, em um futuro próximo.

Vale lembrar que a Verizon não está sozinha. Google e Facebook estão na corrida para a implementação de conexões de internet por drones e balões.

Saiba mais sobre o Projeto Aquila, do Facebook.


8 de outubro de 2016

Robótica na Agricultura e o Projeto MARS – Mobile Agricultural Robot Swarms


Robótica na Agricultura

Um “enxame” de robôs plantando em sua propriedade, 24 horas do dia. É o futuro da robótica na agricultura proposto pela Fendt

 

Não apenas um, mas vários robôs trabalhando em conjunto na sua propriedade, plantando e aplicando fertilizantes e defensivos, controlados por uma inteligência que reside na “nuvem”. Este é o conceito do MARS – Mobile Agricultural Robot Swarms (enxame de robôs agrícolas móveis, em uma tradução livre), proposto pela Fendt, fabricante de máquinas do grupo AGCO.

No conceito, uma unidade de logística leva robôs para a propriedade, que passam a trabalhar conforme a programação, controlados por satélites. A promessa é de economia de combustível e insumos, menor compactação do solo e realização do trabalho em um tempo inferior ao tradicional.

 

 

O projeto recebeu investimentos da União Européia e teve início em maio de 2015, com duração de 18 meses. A ULM University é parceira.

Mais informações, via ECHORD.

 

Veja mais sobre Robótica.


21 de setembro de 2016

Parece uma plantadeira, mas não é. Acesse o link e descubra a resposta.


parece uma plantadeira

Conheça as máquinas do futuro desenvolvidas pela Blue River Technology

 

Parece uma plantadeira. Mas não é.

Trata-se, em uma tradução livre, da “Máquina de Raleio de Precisão”. O equipamento fotografa até 5000 pés de alface por minuto e decide se deve ou não pulverizar unidades fora do padrão ou até mesmo plantas daninhas. O que não for reconhecido pelo computador como alface dentro dos padrões, leva um jato de herbicida.

 

Na velocidade de cerca de 8 km/h, o sistema pode realizar o serviço em 20 hectares por dia. Replantio de alface e problemas na produção por conta de concorrência das plantas são comuns nos EUA, gerando muito retrabalho.

 

 

 

Os fabricantes prometem reduzir em até 90% o uso de herbicidas com este sistema, quando comparado com a operação tradicional. Outras tecnologias podem ser usadas em conjunto com a máquina, como drones e sensores especiais, que fazem o perfil das lavouras e trocam dados com a máquina.

Saiba mais no site da empresa (em inglês), aqui.

 

 


29 de agosto de 2016

Cortinas de Ar Para Plataformas


Cortinas de ar

Uma empresa dos EUA vende um kit de “cortina de ar” para instalação em plataformas. Veja como funciona

 

A idéia é simples, jogar um fluxo contínuo de ar que empurra a planta na plataforma, direto no corte. O fabricante da AWS – Advanced Wind Reel Systems garante que o sistema promove um ganho na colheita com menor embuchamento e maior velocidade de trabalho.

Cortinas de ar: encontramos um brasileiro no Youtube, explicando um pouco do funcionamento do sistema, lá nos EUA:

 

 

Você conhece alguma empresa no Brasil com este sistema? Comente abaixo.

13 de agosto de 2016

Colheitadeira Tribine – novo vídeo de uma das maiores colheitadeiras do mundo, à venda em 2017


A TRIBINE deve ser lançada comercialmente em 2017. Um modelo já é exibido em feiras dos EUA.

Tribine já foi mostrada aqui no blog em maio de 2016. O projeto continua firme e os fabricantes prometem colocar a colheitadeira no mercado já em 2017.

Confiram o último vídeo liberado da Tribine, a super colheitadeira articulada.

Saiba tudo sobre a Tribine no site oficial.


1 de julho de 2016

A internet via satélite da Hughes já está no ar. Saiba como contratar


Hughesnet

Serviço entrou em venda no início de julho e agricultores já podem contratar.

Finalmente, o serviço de internet via satélite da Hughes entrou em operação comercial. Quem até hoje considerava a internet na propriedade um sonho e nunca foi atendido por 3G/4G ou provedores via rádio, pode contratar.

O serviço tem duas modalidades: residencial e empresarial. A adesão custa R$359,00 e R$469,00 respectivamente. Os planos variam a velocidade e franquia (sim, o serviço tem limitação de franquia) que vão de 10MB a R$249,90 por mês até 20MB por R$449,90 (residencial) e 15MB por R$459,90 até 25MB por R$859,90 (empresarial).

As franquias de dados ficam entre 20 e 40GB nos planos mínimo e máximo.

Os equipamentos (antena parabólica, “modem satélite” e roteador Wi-Fi) são fornecidos pela Hughes. Os contratos são de 12 meses.

O telefone para contratação é o 0800 889 4000 ou pelo site www.hughesnet.com.br.

Os estados serão liberados aos poucos, iniciando por São Paulo e Minas Gerais.

Blog do Farmfor reforça que não tem qualquer relação comercial com a empresa em questão. Nosso interesse está na divulgação de qualquer forma inovadora de acesso à internet na área rural.


30 de junho de 2016

Tem gente tentando usar urina humana como fertilizante. Seria viável?


Cientistas do mundo todo querem usar o NPK que você joga fora, todo dia, como adubo.

 

A urina humana é composta por 95% de água e 2 % de uréia. Nos 3% restantes, estão fosfato, sulfato, amônia, magnésio, cálcio, ácido úrico, creatina, sódio, potássio e outros elementos. Cada pessoa joga fora cerca de 1 a 2 litros deste líquido turbinado por nutrientes, todo santo dia. São 500 litros por ano.

Parece exótico demais, mas não são poucas as iniciativas científicas mundo afora tentando tornar viável o processo de captar urina e transformar a mesma em adubo. Em relação ao produto do “número 2”, a urina é estéril (fezes podem ter bactérias) e até mesmo astronautas bebem a própria produção, reciclada em equipamentos da estação espacial.

Cientistas da Suécia já estudaram por 15 anos o uso de urina, incluindo o rendimento de beterrabas em laboratório. As “fertilizadas” com o produto ficaram de 10 a 27% maiores que as adubadas com fertilizante mineral, sem alteração de sabor. Os resultados da pesquisa foram publicados no Journal of Agricultural and Food Chemistry, em fevereiro de 2010.

Não há dúvida: é viável fertilizar. O problema é outro.

O uso em média e larga escala de urina demandaria uma reforma colossal nos sistemas de esgotos das cidades e até nos banheiros que conhecemos, com equipamentos coletando urina em separado do resto da canalização. Mas no futuro, com avanços em nanotecnologia, alguma solução individual deve surgir.

PS. A internet está cheia de relatos de pequenas hortas residenciais regadas com urina, salvando o mundo um tomate de cada vez. Nossa dúvida é outra: funciona em larga escala? Talvez, no futuro.


27 de junho de 2016

Rostselmash Torum 760, uma colheitadeira fabricada na Rússia





A Rostselmash Torum 760 é uma das maiores colheitadeiras do mundo

 

A Rostselmash, abreviatura de Ростовский завод сельскохозяйственных машин, é uma indústria russa de máquinas agrícolas fundada em 1929. Durante a segunda guerra mundial, a empresa fabricou equipamentos militares, retornando para o setor agrícola após o final do conflito. Em 1969, bateu a marca de 1 milhão de colheitadeiras produzidas.

A privatização total da empresa só ocorreu no ano 2000.

Torum 760

Hoje os russos contam com uma linha diversa de equipamentos, sendo a Torum 760 a maior colheitadeira disponível do fabricante. Capaz de colher 40 toneladas de grãos em uma hora, tem um motor Cummins de 490 hp, tanque graneleiro de 10500 litros (com opcional de 12000 litros).

Rostselmash Torum 760

A Torum tem registrada a marca de 39 hectares de trigo colhidos em uma hora (5,6 toneladas por hectare). O feito foi registrado na região russa de Oryol, em 2013.

A Rostselmash Torum 760 é vendida no mercado americano pela Versatile, modelo RT490, ao preço de US$ 389,000.00.

Veja mais: colheitadeiras no Blog do Farmfor.

 


25 de junho de 2016

AGCO Challenger TerraGator TG9300B


TerraGator TG9300B

O pulverizador de 3 rodas da Challenger

 

Se o Batman construísse um batpulverizador, seria mais ou menos assim, mas na cor preta, obviamente. O Challenger TerraGator TG9300B tem 3 rodas, com o destaque para o pneu único na frente da máquina. Nada muito usual, pelo menos para os agricultores brasileiros.

O motor de 425hp leva o tanque com capacidade para 9085 litros.

Compare todos os modelos de Terragator (incluindo um “normal” de 4 rodas), neste link.


23 de junho de 2016

Festiqueijo, de Carlos Barbosa (RS) – pague ingresso e coma tudo o que aguentar!


Os R$100,00 do ingresso são um passaporte para você comer, o dia inteiro, o melhor da comida italiana.

 

Festiqueijo é um festival gastronômico all inclusive de fazer inveja aos hotéis de Las Vegas ou aos melhores cruzeiros marítimos. Você paga o ingresso de R$100,00 (R$110,00 em alguns dias) e recebe o direito de comer qualquer coisa servida dentro do salão paroquial, desde os óbvios queijos até várias especialidades da cozinha italiana.

Para os não-iniciados: Carlos Barbosa fica na Serra Gaúcha, estamos no inverno – um dos mais frios da história – e a região é linda.

Serviço

Sextas e domingos: R$ 100,00
Sábados: R$ 110,00.
Infantil: R$ 50,00 (de 8 a 12 anos).
(Crianças de 0 a 7 anos não pagam ingresso).
Haverá venda antecipada de ingressos pela internet.
Haverá venda antecipada de ingressos para excursões mediante depósito antecipado (54 3433-2193 / excursoes@festiqueijo.com.br).
Para as excursões, a cada 14 ingressos pagantes o 15º é cortesia e assim sucessivamente. Para este benefício é necessário apresentar a listagem do DAER-RS/ANTT, no momento da compra ou na validação dos ingressos adquiridos pela internet.

27º Festiqueijo
De 1º a 31 de julho
Sextas, sábados e domingos
Salão Paroquial
Carlos Barbosa – RS
Sexta: 18h às 22h
Sábado: 10h às 22h
Domingo: 10h às 17h

Ingressos pela internet, aqui.

Cardápio

Mais de 40 tipos de queijo;
Galeto;
Salsichão;
Polenta brustolada;
Pastel de queijo;
Pizza de doce de leite;
Pizza de chocolate;
Pizza salgada;
Cuca;
Grostoli;
Pepino;
Bolinha de queijo;
Pão caseiro;
Espetinho de frango com queijo coalho;
Suco de uva;
Refrigerante;
Água e café;
Além dos melhores vinhos e espumantes da região.


22 de junho de 2016

APP do Feijão, sucesso no WhatsApp e no Facebook


APP do Feijão

O informativo elaborado por Juliano Seabra manda informações pelas redes e tem milhares de seguidores.

 

Vem lá da cidade de Rolim de Moura, em Rondônia, o boletim que faz sucesso no Facebook e no Whatsapp, diariamente, sobre a situação do mercado de feijão no país.

Através de uma lista de contatos, com números adicionados voluntariamente pelos interessados, informações sobre preços e situação do mercado do feijão são repassadas para cerca de 40 mil pessoas, de forma gratuita. Juliano Seabra e seu “APP do Feijão” já são referência na internet.

Quem quiser anunciar no boletim, pode encontrar planos à partir de R$250,00 ao dia. Com um público qualificado como este, nesta quantidade, é quase de graça.

Você pode seguir a conta do Juliano no Facebook, neste link.

O WhatsApp do informativo é o (69) *9* 8479-8089 (não esqueçam deste 9 na frente).

Em 22 de junho de 2016, o APP do feijão agradeceu o sucesso, com a nota:

Gostaríamos de agradecer, informar e compartilhar com todos, esse momento de muita alegria. O APP DO FEIJÃO* acabou de ultrapassar a marca de 40.000 (quarenta mil) pessoas, recebendo os nosso informativos diretamente todos os dias. Fica aqui o nosso agradecimento aos Produtores, corretores, cerealistas, empresas (empacotadores), vendedor, redes atacadistas e varejistas (supermercados) e seus respectivos compradores, prestadores de serviços, cooperativas, órgãos governamentais, bolsa do Brás em SP, engenheiros agrônomos, técnicos agrícolas, todas as mídias impressa, áudio-visual e sonora, que recebem e compartilham todos os dias os nossos informativos que se tornaram a principal referência do mercado de feijão a nível nacional.

Vida longa ao APP do Feijão.


21 de junho de 2016

Luz emitida por lâmpada de LED é prejudicial ao leite


Lâmpada de Led

As luzes fluorescentes também prejudicam o produto, mas o LED é ainda mais danoso ao leite exposto. É o que diz uma pesquisa da Universidade de Cornell, nos EUA

 

As lâmpadas de LED estão mais baratas e populares, substituindo, pouco a pouco, não só as velhas incandescentes (de bulbo) mas também as até então “econômicas” fluorescentes. Uma versão de LED em tubo ou em fita, está tomando conta dos pontos de venda nos supermercados. O resultado é ótimo para a estética e destaque do produto, mas ruim para a qualidade.

Acontece que um componente do leite, a riboflavina, é afetado pela luz direta, prejudicando o sabor após poucas horas de exposição. O LED trabalha com uma faixa de luz ainda mais “fatal”, acelerando este processo para cerca de 4 horas. Em testes sensoriais, o leite “iluminado” por LEDs perdeu para outros que ficaram isolados por duas semanas em refrigeração.

Claro que os leites embalados em sachês ou garrafas plásticas protegidas, caixas de papelão ou qualquer outra tecnologia que exerça um bloqueio contra a luz, estão fora do problema. Mas os antigos saquinhos e plásticos translúcidos são afetados.

A pesquisa da Cornell University fala só do ponto de venda, mas precisamos pensar também no leite na ordenha, com injetores de ar, mangueiras e medidores mecânicos, todos transparentes. Será que um galpão iluminado com lâmpadas de LED, poderá prejudicar a qualidade do leite? Mesmo que o tempo fique abaixo do mínimo para dano, o resíduo iluminado pode contaminar o resto?

Lâmpadas LED são ótimas. Iluminam bem e custam pouco na conta de luz e exigem pouco do gerador. Mas que tal tirar esta dúvida sobre a exposição à luz, aqui mesmo no Brasil? Aí está uma boa oportunidade de estudo para universidades.


19 de junho de 2016

O último sábado da Feira do Produtor na Estação da Gare, em Passo Fundo, RS


Feira do Produtor

A feira do produtor vai mudar para o outro lado da rua. Os produtores já misturam saudade e esperança com as novas e modernas instalações

 

O cheiro do pastel mais famoso da cidade saiu da chaminé do prédio centenário da Estação da Gare pela última vez neste sábado, 18 de junho. Os feirantes que ocuparam aquele espaço nos últimos 30 anos agora vão enfrentar um desafio, recomeçando as atividades em um prédio novo, com mais recursos e exposição à comunidade.

Com a reforma do Parque da Gare, os produtores ganharam um prédio específico para a atividade, com espaços para estoque, lanchonete e divisões mais definidas para cada empreendedor. Cada um deles precisou investir também em novas mesas e acessórios, com recursos próprios, para a devida adequação ao modelo de trabalho proposto pela Prefeitura.

 

Nota-se que a esperança e o otimismo superam as dúvidas nesta mudança, mesmo que alguns dos 68 feirantes ainda não saibam exatamente a posição dentro do novo prédio ou as dinâmicas do dia a dia. Na quarta, 22, começam as atividades e tudo deve correr bem. O investimento é muito positivo para todos os envolvidos na produção e comercialização de produtos agrícolas e esta nova estrutura servirá de base para muitas novidades nas relações com os consumidores.

 

A Feira do Produtor no Parque da Gare fica no centro de Passo Fundo, na Avenida 7 de Setembro. O prédio de madeira (patrimônio histórico) desocupado deve passar por reformas para abrigar um centro cultural ou museu.


16 de junho de 2016

98,7% das pessoas querem agricultores com posse de arma na propriedade, incluindo fuzis.


posse de arma

Enquete informal e sem valor científico foi realizada na página do Farmfor, no Facebook

 

Realizamos uma enquete simples no Facebook do Farmfor, com a pergunta “Produtores Rurais deveriam ter o direito à posse de armas, dentro dos limites da propriedade, incluindo fuzis?”. A interação seria realizada através do botão curtir para “sim” e da reação “angry” para o “não”.

O resultado foi avassalador: 98,7% das pessoas que votaram na página, escolheram o sim, contra 0,9% do não. Ampliando para as reações dos compartilhamentos, o resultado permanece quase o mesmo, 98,65% contra 0,86%. 3910 pessoas interagiram no post da enquete diretamente na página. Somadas às pessoas que participaram nos quase 400 compartilhamentos, são 16597 votos.

Este público foi atingido em menos de 3 dias.

Notem que a pergunta foi bem resumida, mas indagou sobre agricultores, posse (e porte na realidade) e uso de armamento proibido aos cidadãos comuns: fuzis.

Para saber tudo sobre direitos e garantias fundamentais do cidadão e como anda a política sobre o assunto no Brasil, nós recomendamos o site do Movimento Viva Brasil e os canais do Bene Barbosa nas redes sociais. Tem interesse no assunto? Faça sua filiação ao MVB.

Sobre Porte de Armas para agricultores, o trabalho do deputado federal do PP, Afonso Hamm, aqui.

Deputado Peninha, de SC, também é atuante na área e seu trabalho deve ser acompanhado.


13 de junho de 2016

Posse ou porte de armas, incluindo fuzis, para produtores rurais


Posse ou porte de armas

Fizemos uma enquete em nossa página do Facebook. Vote!

 

Agricultores deveriam ter direito à posse de armas, incluindo fuzis, para uso nos limites da propriedade? Responda em nossa página do Facebook, no post abaixo:

 

 

 

https://www.facebook.com/farmfor/photos/a.209565119142711/1003923529706862/?type=3

 

Vote usando as reações do Facebook.


8 de junho de 2016

Quem quer dinheiro? Banco está procurando interessados em contrair empréstimos para projetos na área rural


Quem quer dinheiro

O BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) tem milhões de dólares para emprestar, mas você precisa estar qualificado

Uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, O Ministério da Agricultura, a Embaixada Britânica e o Banco do Brasil, quer financiar e dar suporte técnico para projetos agrícolas sustentáveis.

São o foco do programa, projetos de Integração-lavoura-pecuária-floresta, Recuperação de áreas degradadas, Plantio Florestal Comercial e Manejo Sustentável de Florestas Nativas.

Agricultores das seguintes cidades podem concorrer:

Mato Grosso

Alta Floresta, Brasnorte, Cotriguaçu, Juara, Juína, Marcelândia, Nova Canaã do Norte, Querência, Sinop, Terra Nova do Norte. 

Pará

Dom Eliseu, Ipixuna, Marabá, Medicilândia, Paragominas, Rondon do Pará, Santana do Araguaia, Tailândia, Tomé-Açu, Tucumã.

Rondônia

Alta Floresta d’Oeste, Ariquemes, Buritis, Cerejeiras, Gov. Jorge Teixeira, Machadinho d’Oeste, Parecis, Rolim de Moura, Santa Luzia d’Oeste, Theobroma.

Bahia

Ibirapitanga, Igrapiúna, Ituberá, Nilo Peçanha, Piraí do Norte, Camamú, Maraú, Presidente Tancredo Neves, Taperoá e Valença.

Minas Gerais

Setubinha, Malacacheta, Franciscópolis, Poté, Araçuaí, Padre Paraíso, Teófilo Otoni, Itambacuri, Novo Oriente de Minas, Capelinha.

Paraná

Bandeirantes, Primeiro de Maio, Paranavaí, Nova Londrina, Dois Vizinhos, Itapejara D’Oeste, Renascença, Realeza, Francisco Beltrão, Verê.

Rio Grande do Sul

Passo Fundo, Erechim, Ciríaco, Lagoa Vermelha, Frederico Westphalen, Boa Vista das Missões, Vacaria, Machadinho, Barros Cassal, Agudo.

No SITE DO PROJETO todas as informações sobre contratações, perfil dos candidatos e tipos de iniciativas financiáveis. Não percam tempo!


6 de junho de 2016

R-MAX, o super drone com funções agrícolas da Yamaha


A tradicional fabricante japonesa também atua na área de drones, desde 1990!

Na realidade, o R-MAX da Yamaha é um enorme helicóptero de rádio-controle como muitos do mercado, mas com motor mais forte e porte avantajado. Mas aí veio a moda dos drones em todos os setores e pronto: vamos chamar de drone.

O R-MAX tem 3,6 m de comprimento, 72cm de largura, 1,08 m de altura e pesa 64 kg (vazio). Consegue levantar uma carga de 30 kg e tem motor de 2 cilindros, 240 cilindradas à gasolina, refrigerado à água. As pás do rotor formam um diâmetro de 3 metros.

Além da função básica que é a de pulverizar lavouras, o drone também já foi usado em diversas missões de levantamento fotográfico em desastres no Japão. 2500 unidades do R-MAX já foram fabricadas.

Agora a parte triste: o brinquedinho custa US$ 86.000,00.

 


4 de junho de 2016

No final do mês, agricultores terão acesso à internet via satélite com a Banda Ka da Hughes


internet via satélite

Uma nova alternativa em provimento de acesso no meio rural promete facilitar a vida de milhares de agricultores brasileiros.

 Quando se trata de internet, não existe diferença entre meio rural e cidade. Todos precisam de comunicação para uso profissional e pessoal. Desde muito tempo, os agricultores, até mesmo aqueles que possuem propriedades próximas dos grandes centros, estão fora da área de cobertura de TODOS os provedores disponíveis.

O serviço de internet via satélite da Hughes entrará na fase comercial no final deste mês, com preços (estima-se) muito similares ao de um 3G ou 4G. As inscrições podem ser feitas pelo site da empresa, www.internetemqualquerlugar.com.br.

Não temos relação comercial com a empresa. De qualquer forma, nosso interesse é bem claro! Somos uma startup dedicada ao meio rural e queremos que todos os agricultores do brasil e do mundo tenham internet de qualidade, por um preço acessível.

Em uma pesquisa feita aqui pelo Farmfor, com agricultores na internet, 45% deles declararam possuir acesso com velocidade de até um mísero 1MB, 61% gastam até R$100,00 com a mensalidade (16% mais de R$100,00) e 57% disseram que pagariam mais por um serviço melhor, mas o mesmo não existe na cidade.

O sistema é simples e muito similar ao de TV por assinatura. É instalar e esquecer.



Publicidade