24 de março de 2022

Entidade britânica recomenda: análise de solo enterrando a calcinha


enterrando a calcinha

Experimento da LEAF mostra a ligação entre calcinhas de algodão e a saúde do solo e não é nada do que você está pensando

enterrando a calcinhaPare de pensar bobagem. Apesar do título chamativo, o experimento é sério.

A ONG britânica LEAF (Linking Environment And Farming) preparou uma campanha incentivando agricultores a enterrar uma calcinha no solo de suas propriedades. A experiência visa revelar a qualidade do solo do local e os resultados encontrados pelos participantes serão exibidos em um evento nacional em junho, o LEAF Open Farm Sunday. Nesta ocasião, várias propriedades participantes recebem a visita do público.

 

A campanha tem até uma hashtag nas redes sociais – #LOFS22 – e os agricultores são convidados a escrever na calcinha e postar fotos no Instagram e Twitter. Deve ser ainda cedo, já que não encontramos uma única postagem.

Os participantes deverão enterrar uma calcinha feita 100% de algodão na profundidade de 20 cm e deixar a peça íntima assim por pelo menos 60 dias. As formas de vida presentes no solo deverão comer o açúcar da celulose, decompondo o material. Ao final do teste, se a calcinha estiver intacta, má notícia! O solo está pobre em biota. A atividade educacional não é nova e outros países já adotaram a iniciativa, mas não deixa de ser interessante.

Leia também

Veja como é feita a coleta de leite em uma propriedade da Inglaterra

 


21 de março de 2022

Olimac Drago Gold, uma plataforma para colheita de girassol


Olimac Drago Gold

A Olimac Drago Gold tem um triturador hidráulico que opera rente ao solo, enquanto a colheita em si é feita na parte superior

 

Fabricada na Itália, a Olimac Drago Gold foi desenhada especialmente para a colheita de girassol, com um triturador que vai trabalhando rente ao solo para cortar as plantas, enquanto a “parte tradicional” da plataforma vai colhendo o produto. Apesar do destaque ao girassol, o fabricante declara que a plataforma também opera facilmente com sorgo e cânhamo ou maconha (lá na Europa, sabe como é).

Plataforma operando em vídeo

 

Imagens

 

 

A Olimac

A  italiana Olimac tem mais de 60 anos de história e começou como um empreendimento familiar, desenvolvento plataformas para milho (modelo Testata Integrale). Hoje, a empresa cresceu e exporta quase a totalidade da sua produção de máquinas para fora da Itália.


12 de março de 2022

Caminhoneiros fazem “marcha lenta” contra aumento do diesel na Europa


aumento do diesel

Caminhoneiros de vários países estão protestando contra o aumento do diesel na Europa, realizando manifestações nas estradas

Como em vários países do mundo, o preço dos combustíveis vem sofrendo grandes altas por conta da crise provocada pela guerra na Ucrânia. Quando somado a fatores econômicos locais e a situação da moeda, a situação fica ainda pior.

Caminhoneiros de diversos países da Europa estão revoltados com os aumentos do diesel. O preço médio na França hoje é de 2,20 euros o litro. Você pode acompanhar os preços por região e médio no país através do site Fuelo.

Segundo a página portuguesa Motoristas do Asfalto, especializada em transportes, neste sábado, 12 de março, caminhoneiros estão a caminho de Lille em protesto contra os autos aumentos do combustível. Na voz de um um dos transportadores que têm 70 carros o aumento vai ser de 1500 euros a mais por mês em cada caminhão. Anuncia que se isto se manter assim como está a empresa irá fechar portas nos próximos 3 meses.

Alemanha

Na região de Colônia, na Alemanha (vídeo acima) os caminhoneiros protestam nas estradas. O diesel subiu 21% em dez dias neste início de março, chegando a 2,32 euros de média no país. O barril de petróleo Brent chegou a US$ 130 no dia 9 de março, por conta do conflito na Ucrânia e as sanções impostas a Rússia, sendo o vilão de toda a crise (ou o principal).

preço do diesel na europa

Acima: card lamentando o preço do diesel na Europa ainda no início de março (o pior ainda estaria por vir) comparando o preço do barril de petróleo com gasollina e diesel em 2008 e 2022. Vale lembrar que o euro em 2008 valia cerca de US$ 1,5. Em 2022, é cotado a US$ 1,10 (10 de março). Fonte: Facebook Motoristas do Asfalto.

Com o conflito na Ucrânia sem data para acabar, ainda veremos muitos protestos por aí, de caminhoneiros até agricultores, obviamente grandes usuários de diesel e na linha de frente da crise.

 


2 de março de 2022

Quais são os maiores produtores de potássio do mundo em 2022?


produtores de potássio

produtores de potássio

Confira o ranking dos maiores produtores de potássio do mundo e os líderes do mercado global de fertilizantes

 

Canadá

Maior produtor de potássio do mundo, o Canadá produz 14 milhões de toneladas ao ano. A maior empresa produtora do país é a Nutrien, fruto da fusão em 2018 da Potash Corporation of Saskatchewan e da Agrium.

Rússia

A vice está com os russos, são 7,4 milhões de toneladas e a Uralkali é a maior empresa por lá.

Bielorrússia

O país que é parceiro histórico da Rússia produz 7,3 milhões de toneladas com a Belarusian Potash Company  e está com sérios problemas (já estava mesmo antes da Guerra da Ucrânia começar). Notem que “um Canadá” equivale a Rússia + Bielorrússia somados.

China

Os chineses produzem 5 milhões de toneladas, mas consomem 20% de todo o potássio do mundo.

Alemanha

A Alemanha produz 3 milhões de toneladas.

Israel

O pequeno país do Oriente Médio produz 2 milhões de toneladas e a Israel Chemicals é uma das maiores empresas do mundo no setor.

Jordânia

A Jordânia produz 1,5 milhão de toneladas através do processo de recuperação do mineral no Mar Morto, assim como Israel.

Chile

Nosso irmão latino produz 900 mil toneladas e priduz na mesma estrutura também o Lítio, importante matéria-prima para baterias.

Espanha

470 milhões de toneladas.

Estados Unidos

470 milhões de toneladas, empatado com a Espanha.

Laos

O país do sudeste asiático produz 400 milhões de toneladas.

 

Com dados da Potash Investing News e outras fontes.


2 de março de 2022

No embalo da guerra na Ucrânia, Irã vai trocar milho por fertilizante com o Brasil


guerra na ucrânia

Com as complicações do agro no cenário mundial, países buscam alternativas para o comércio de produtos

guerra na ucrânia

Segundo informações da imprensa do Irã, o país procura por alternativas no comércio de grãos, já que importa (ou importava) 60% do milho para consumo da Ucrânia. Se o conflito continuar, essa importação poderá ser realizada na totalidade do Brasil.

Segundo a iraniana Press TV, na próxima semana um navio carregado de ureia saírá do Irã com destino ao Brasil, para a troca (barter) por milho. Quem afirma é o presidente da Câmara de Comércio, Indústria e Agricultura Irã-Brasil, Fakhreddin Amerian.

Vale lembrar que a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, esteve recentemente no Irã para tratar deste tipo de comércio, entre outras questões.

O Irã exporta 400 mil toneladas de ureia por ano para o Brasil e pretente chegar em 2 milhões, segundo o ministro da agricultura Javad Sadatinejad.

exportações brasileiras para o irã

Exportações brasileiras para o Irã em 2021: o milho já era top, agora pode aumentar. Fonte: Comex-vis

Problemas no passado

Em 2019, um navio do Irã ficou parado por semanas no porto de Paranaguá, no Paraná, por conta da Petrobras. A estatal brasileira não queria abastecer as embarcações por conta de sanções do governo americano impostas ao Irã. O caso foi parar até no STF, que deu a ordem para que o abastecimento fosse realizado.

Veja também

Fertilizantes: Bielorrússia solta o verbo contra a Lituânia e diz que o país prejudica o Brasil


12 de fevereiro de 2022

Coxinha da asa é “indicador econômico” nos Estados Unidos


Coxinha da Asa

Todos os anos, milhões de coxinhas da asa são consumidas durante a final do Super Bowl nos Estados Unidos. O preço e a disponibilidade refletem a situação do mercado americano de frango

 

O Super Bowl é o jogo final da liga de Futebol Americano nos Estados Unidos, acontece desde os anos 60 e é um fenômeno nacional. Grandes anunciantes gastam rios de dinheiro em peças publicitárias neste dia, emissoras de TV batem recordes de audiência e as pessoas se reúnem em família ou entre amigos para acompanhar a partida.

Aí que entra o outro lado: são milhões de pessoas preparando ou comprando prontos os pratos tradicionais do evento. No topo da preferência, a coxinha da asa, ou Chicken Wings por lá.

coxinha da asa

A arte produzida pelo National Chicken Council: seriam necessários 17108 bitcoins para comprar 1,42 bilhão de coxinhas da asa. A brincadeira com a criptomoeda vem da aposta realizada pelo rapper Drake à favor do Los Angeles Rams.

Segundo a National Chicken Council, entidade que representa o setor de avicultora nos Estados Unidos, neste ano serão consumidas 1,42 bilhão de coxinhas da asa durante a partida. Para se ter uma ideia, o Brasil abateu no primeiro trimestre de 2021 cerca de 1,5 bilhão de cabeças de frango, ou um bilhão de coxinhas de asa por mês. Os americanos vão comer em um dia – assistindo esportes em casa, em bares ou restaurantes – um mês e meio do nosso abate.

Coxinha da Asa (americana) em números

 

Coxinha da Asa

Todo ano, o mercado usa informalmente o Super Bowl para dar números curiosos sobre as coxinhas e como foi o resultado da atividade. Para 2022, foi garantido que não faltaria frango para os abatedores e processadores, mas com um preço superior ao praticado em 2021. O frango foi muito consumido por conta da pandemia, que colocou pressão no mercado de trabalho (afetado com paralisações) e na logística em geral.

No início da pandemia, uma caixa de Chicken Wings custava no atacado cerca de US$60,00. Hoje, não sai por menos de US$ 120,00.

Os Estados Unidos abateram em 2020 a marca de 9,25 bilhões de frangos, oriundos de 25 mil famílias de produtores e uma pequena parte (5%) de grandes empresas produtoras. O país exporta 16% de sua produção principalmente para a China, México, Canadá, Taiwan e Vietnam.

A partida

O Super Bowl acontece no domingo, 13 de fevereiro, na cidade de Los Angeles, na Califórnia. Se enfrentam os times Cincinnati Bengals e Los Angeles Rams.

Veja também

Tá faltando frango nos Estados Unidos e a culpa é do Fast-food

 

 

 

 


7 de fevereiro de 2022

Tratores e caminhões tomam as ruas do Canadá contra o governo


tratores e caminhões

Agricultores foram dar apoio aos caminhoneiros nos protestos contra o Governo Canadense

 

Os caminhoneiros canadenses estão realizando uma série de protestos contra o governo, por conta de determinadas políticas de saúde implementadas no país após “aquele grande evento mundial que não vamos mencionar aqui para não apanhar (muito) do algoritmo do Facebook”.

Nos últimos dias, o comboio da liberdade ganhou apoio também dos agricultores. Vários tratores acompanharam os motoristas até o centro das grandes cidades como Toronto e Winnipeg.

 

John Deere Canada

 

tratores no canadá

 

trator

 

trator

 

 

tratores e caminhões

 

trator

Fotos acima: tratores e caminhões tomam as ruas das cidades canadenses. Fonte: perfil no Facebook da usuária Carrie Sonnenburg.

Paralelamente, uma guerra entre os movimentos organizados e governos locais está sendo travada. Fundos de vaquinhas online para sustento dos participantes foram congelados, a polícia está apreendendo combustíveis (o protesto é realizado abaixo de neve e frio) e um processo contra os caminhoneiros vai pedir quase 10 milhões de dólares por danos emocionais, entre outras reclamações.

Entre os protestos, um lema chama a atenção: algumas pessoas adotaram o discurso “Os fazendeiros plantam, os caminhoneiros entregam” para selar a parceria entre tratores e caminhões nas manifestações.

Relembre – Veja também

Mais de 1700 agricultores protestam contra o governo na Alemanha


1 de fevereiro de 2022

Fertilizantes: Bielorrússia solta o verbo contra a Lituânia e diz que o país prejudica o Brasil


bielorrússia

bielorrússia

O perfil oficial da embaixada da Bielorrússia no Brasil publicou nota nas redes sociais contra o país vizinho

Parece que o negócio azedou entre a Bielorrússia e a vizinha Lituânia. Diz a nota publicada no Facebook:

Notícia importante para o 🇧🇷: governo da Lituânia declarou inválido o Acordo entre o produtor #Belaruskali de 🇧🇾 e as ferrovias estatais da #Lituânia sobre o trânsito de fertilizantes de #Belarus por meio do porto de #Klaipeda a partir de 1 de fevereiro. Isto quebrou completamente a logística de transporte de fertilizantes para o Brasil 🇧🇷. Companhia Nacional de Abastecimento – ConabSituação:

Lituânia, com população de 2,7 milhões de habitantes, está fazendo uma comédia política, impedindo Brasil com 214 milhões de pessoas de fortalecer sua segurança alimentar, combater a fome e desenvolver seu setor agrícola, que não pode funcionar efetivamente sem o fertilizante de Belarus.

Comentando a situação, o Primeiro ministro de Belarus Roman #Golovchenko disse: “A Lituânia, ao tomar tal decisão unilateralmente, violou o acordo intergovernamental sobre comunicação ferroviária, bem como documentos internacionais que regulamentam questões de trânsito para países sem litoral. Oferecemos opções para a Lituânia. Se a Lituânia não responder a Belarus nos próximos dias, Belarus imporá medidas de retaliação”.

A Bielorrússia produz cerca de 1/4 do Cloreto de Potássio no mundo e não tem saída para o mar, dependendo das boas relações com os países vizinhos para completar a sua logística. É mais um potencial problema para os agricultores brasileiros, entre tantos outros.

Veja também

Presidente da Bielorrússia quer “tratorterapia” para o coronavírus


24 de janeiro de 2022

Grand Coulee, a Belo Monte dos americanos


grand coulee

grand coulee

A construção de uma usina hidrelétrica modifica o meio ambiente e altera a vida de um grande número de pessoas. Se índios estão envolvidos a coisa toda é ainda pior pois conflitos seculares voltam à mesa já na apresentação do projeto. A reparação material é a única alternativa para os prejudicados, para danos nem sempre tangíveis.

Esta introdução poderia ser o começo de mais um post sobre a polêmica da contrução da usina Belo Monte, em Altamira, no estado do Pará. Não é. Vou contar a história de um problema bem americano: a construção da usina de Grand Coulee, no estado de Washington. Vamos chamar aqui esta usina de “a prima rica de Belo monte”. As coincidências nos dois casos são bem curiosas.

O Columbia é o maior rio do noroeste dos EUA, nasce nas montanhas do Canadá e deságua no oceano pacífico. O curso total é de 2000 km. A concepção da usina, seus desafios técnicos e questões ambientais começaram nos anos 20. Sua função mais nobre seria a irrigação, seguida por produção de energia elétrica e suporte à navegação. 13 anos depois as obras começaram, sendo o projeto mais inclinado à produção de energia elétrica, com sua capacidade original ampliada. Uma grande obra como esta teve grande apelo “político” pois a geração de empregos em uma américa pós grande depressão caia como uma luva. Ná época o governo chegou a contratar artistas que compuseram músicas sobre a usina, para convencimento da população, na base da apelação (…trazendo luz para a escuridão).

 

Well the world has seven wonders, the travelers always tell:
Some gardens and some towers, I guess you know them well.
But the greatest wonder is in Uncle Sam’s fair land.
It’s that King Columbia River and the big Grand Coulee Dam.

She heads up the Canadian Rockies where the rippling waters glide,
Comes a-rumbling down the canyon to meet that salty tide
Of the wide Pacific Ocean where the sun sets in the west,
And the big Grand Coulee country in the land I love the best.

Loonie Donegan – Grand Coulee

 

A construção foi finalizada em 1942, logo após a entrada dos EUA na segunda guerra mundial. Então a meta inicial de fomentar a irrigação deu lugar ao apoio total às usinas de alumínio (grandes consumidoras de eletricidade) para a fabricação de aviões. O processamento de plutônio também foi viabilizado na região por conta do fornecimento garantido de energia.

Os danos ambientais

Entre todos os danos óbvios, talvez o mais sentido na região seja o da diminuição ou extinção de alguns tipos de peixes típicos, incluindo o salmão. A inviabilização da piracema acabou com muitas espécies, o que nos liga ao item seguinte…

Os índios

A região do rio Colúmbia teve muitas reservas indígenas reduzidas e ou deslocadas por conta da construção da usina. Muitos dos rituais milenares destas tribos eram ligados aos peixes e seus santuários de desova, totalmente eliminados. 85 km2 foram inundados, destruindo locais de caça e cemitérios (alguns foram relocados). No lado branco da coisa não foi diferente. Uma cidade inteira (Kettle Falls) foi transferida.

 

spokane
Índios Spokane: não enfiaram o facão no pescoço de ninguém e hoje estão com a grana.

O grupo que representava as demandas dos índios (uma espécie de conselho tribal) não teve muita sorte logo nas primeiras audiências. A primeira reunião com o governo federal na época foi cancelada por um fato totalmente inédito. No mesmo dia o Japão bombardeava Pearl Harbor. E foi assim até os anos 90 quando esta comissão conseguiu na justiça uma indenização de 52 milhões de dólares e pagamentos anuais de 15
milhões. Quase 70 anos de briga.

Hoje em dia a Grand Coulee ainda é a maior dos EUA e quinta do mundo. Também é a maior estrutura de concreto daquele país. Tem uma capacidade instalada de 6809 MW. Em fornecimento anual só perde para a usina de Palo Verde, sendo esta nuclear. A região do rio Colúmbia já foi responsável por 40% da produção de alumínio dos EUA (17% do mundo) mas a oferta decrescente por conta das secas e a transformação da energia elétrica em commodity diminuiu esta produção em 80%. Mesmo assim a energia ainda é considerada barata, e grandes data-centers (inclusive o do google) estão migrando para a região.

Veja também

A maior lavoura de trigo do mundo


15 de janeiro de 2022

Agricultor é sepultado em “Caixão John Deere” nos EUA


caixão john deere

caixão john deere

Amante dos tratores John Deere por toda uma vida, o agricultor foi enterrado no caixão customizado que ele mesmo encomendou nos dias finais

O agricultor Charles “Bud” D. Sedlachek, de 83 anos, faleceu no último dia 3 de janeiro vítima de complicações cardíacas. Fã da marca John Deere desde sempre, encomendou por conta própria um caixão customizado com as cores da empresa quando ainda estava internado no hospital.

A encomenda chegou depois da morte de Sedlachek, mas a família e os amigos organizaram o funeral com direito a cortejo liderado por um trator John Deere do próprio falecido e muitas homenagens. O sepultamento ocorreu no dia 12.

caixão john deere

O cortejo em meio a campos cheios de neve: na frente, o trator John Deere 9100 conduzido pelo amigo Freddy Mogensen.

trator john deere funeral

Os vizinhos levaram seus tratores para a beira da estrada e prestaram aos últimas homenagens para o amigo querido.

charles

Charles Sedlachek (dir.). Foto: Obituário.

As últimas homenagens para Charles “Bud” D. Sedlachek foram notícia na mídia local da cidade de Brainerd, Minnesota. As imagens acima são frames do vídeo públicado pelo site Brainerd Dispatch.

Veja também

Dez coisas com a marca John Deere que você nem imaginava existir


6 de janeiro de 2022

John Deere terá trator autônomo controlado pelo celular


CES 2022

As novidades da John Deere serão lançadas durante a CES 2022, uma das maiores feiras mundiais de tecnologia

CES 2022

Uma versão avançada do trator 8R da John Deere, totalmente autônomo e com uma espécie de “controle remoto” pelo celular será uma das novidades que a empresa preparou para a CES 2022, uma feira que não é agrícola, mas mostra as novidades tecnológicas em diversos setores. A edição deste ano acontece entre 5 e 8 de janeiro na cidade de Las Vegas, nos EUA. O carro da BMW que muda de cor e uma Silverado elétrica são outros destaques do evento.

É claro que trator autônomo não é novidade no mundo da agricultura e vários produtores andam por aí dando voltas na lavoura “sem as mãos”, trabalhando com suas máquinas guiadas por GPS. O diferente aqui é como as coisas são feitas: um kit desenvolvido pela John Deere é acoplado no trator 8R 410 contendo 12 câmeras e um chip da Nvidia, a mesma fabricante das placas de vídeo dos sonhos da maioria dos gamers. Do celular, o produtor monitora tudo o que está acontecendo, com imagens em tempo real.

O trator que custa na faixa de US$ 500 mil ganhará um acréscimo de cerca de 10% no preço para receber esta tecnologia. O conjunto estará disponível ainda em 2022.

Nota: Existem duas tecnologias importantes para os novos veículos autônomos: o reconhecimento de imagens por múltiplas câmeras e inteligência artificial e o LIDAR (sensores de laser que mapeiam o ambiente). A primeira opção é a escolhida pela John Deere, mesma linha seguida pelos russos da Cognitive. Confira em “Depois do trator sem motorista, a colheitadeira sem operador“.

Uma série de eventos terá a participação ou será apresentada pela John Deere na CES 2022: “Fronteiras na inteligência artificial para os negócios”, “A longa estrada para a direção autônoma total, “Dirigindo de forma autônoma com um propósito”, “Agarrando as oportunidades das inovações tecnológicas com o 5G”, “Esta não é mais a fazenda do Velho Macdonald” e “Arraste para o lado para começar a produzir” são os nomes.

Veja também

CES 2022: John Deere unveils self-driving tractor that can plough fields and sow seeds without a human driver


14 de dezembro de 2021

CoinMarketCap tem bug e mostra criptomoedas com valores astronômicos no site


coinmarketcap

O CoinMarketCap, site especializado em rastrear preços de criptomoedas passou a exibir valores fora do comum nesta terça, 14 de dezembro

Quase todo mundo que investe ou apenas acompanha o mercado de criptomoedas, consulta o site CoinMarketCap para conferir os preços e acompanhar a evolução deste através do dia, semana, mês e por aí vai.

Agora imaginem o susto de quem entrou nesta tarde e encontrou o Bitcoin a 789 bilhões de dólares e o Ethereum a 39 bilhões? Não seria um ótimo Natal para quem tem frações das criptos?

bitcoin wrong price coinmarketcap

ethereum wrong price coinmarketcap

 

Outras moedas também apresentaram valores exorbitantes. Até o momento da escrita desta nota, o bug persistia.


11 de dezembro de 2021

Robô da Boston Dynamics está treinando para trabalhar nas lavouras


spot

Spot, o famoso robô de quatro patas da Boston Dynamics está nos planos da Corteva para trabalhos de coleta de dados no campo

 

O Spot é provavelmente um dos robôs mais famosos do mundo. Os amarelinhos “de quatro patas” frequentemente aparecem na internet exibindo suas capacidades. No agro, ele já foi visto cuidadando de ovelhas na Nova Zelândia e fora do mundo rural encontra emprego até no controle social.

 

robô da boston dynamics

 

robô spot

Ultimamente, em uma parceria fechada com a Corteva Agriscience, o Spot está em testes para o monitoramento e coleta de dados em lavouras. O robô leva uma pequena caixa nas costas e um GPS da Trimble, além dos diversos sensores que já são originais do modelo.

O robô sozinho é capaz de fazer uma varredura em toda a lavoura e colaborar na aplicação correta de defensivos, além de acompanhar o crescimento das plantas, já que inclui em seus equipamentos sensores de laser de alta precisão, que traçam na memória um mapa da altura da vegetação.

O Robô da Boston Dynamics, nesta versão agrícola, foi apelidado de “Annie”.

Saiba mais sobre este projeto no site da Corteva.

Robótica na Agricultura

Leia mais sobre o tema no Blog do Farmfor


2 de dezembro de 2021

Cientistas criam drone com pernas para pousar em troncos e agarrar objetos


Drone com pernas

Drone com pernas batizado de SNAG foi criado “imitando” as aves falcão peregrino e uma espécie de papagaio

 

Os cientistas da Universidade de Stanford criaram um drone com pernas, partindo da observação do movimento dos pássaros falcão peregrino e Tuim Peruano. Um arranjo com garras e pernas foi adicionado a um drone padrão, deixando o aparelho com a capacidade de se agarrar a galhos de árvores e agarrar objetos em pleno voo. Tudo ainda está em fase de protótipo e não existe previsão para a comercialização. O estudo completo pode ser lido neste link.

drone que imita a ave

 

O conjunto de pernas possui sensores que monitoram a aceleração e velocidade do drone, realizando a “pegada” em cerca de 50 milisegundos. Mais de 20 versões das garras foram impressas em 3D para que a final fosse definida.

O nome SNAG é a abreviatura de Stereotyped Nature-Inspired Aerial Grasper, ou “garra aérea esteriotipada e inspirada na natureza”.

Entre as aplicações, os cientistas pensam em monitoramento ambiental, aproveitando a maior autonomia de voo, já que o drone poderia pousar em um tronco de árvore tranquilamente enquanto faz suas medições, sem interferência das hélices. Por enquanto, parte do movimento ainda é controlado manualmente, mas é questão de tempo para estes pássaros robóticos voarem por aí.

 

Veja também

 

V-Coptr Falcon, um drone de dois motores


28 de novembro de 2021

Colheitadeira robô é lançada na China


colheitadeira robô

Máquina misteriosa apareceu em vídeos no Instagram e provocou curiosidade no mercado agrícola. De onde vem a Colheitadeira Robô?

 

Um vídeo de uma colheitadeira vermelha sem cabine colhendo o que parecia ser trigo, ao lado de algumas pessoas que gravavam tudo. Era o que existia disponível na internet, visto pela nossa página primeiro no instagram de humor agrícola italiano “ADM • Agricoltore Di Merda“. Publicamos o vídeo no Facebook e seguimos com a pesquisa.

 

 

Colheitadeira Robô – agora sabemos mais

 

Trata-se de um experimento da empresa chinesa Country Garden Group, líder no segmento da construção civil da China que desde 2018 vem investindo também no mundo rural, avançando no interior do país na tentativa de implantar grandes lavouras de grãos. Só no ano passado, a empresa já tinha investido meio bilhão de dólares no desenvolvimento de robôs para a construção civil, para se manter competitiva no período pós-pandemia.

A colheitadeira e um trator não-tripulado foram apresentados no dia 23 de novembro no Country Garden Ten Thousand Mu Smart Agriculture Park, em Nanshan Town (Distrito de Sanshui) na cidade de Foshan.

O trator modelo HY3004 tem 300 hp de potência e pode “gradear” 36 hectares por hora. Já a colheitadeira H9700 “faz tudo sozinha”, reconhecendo o campo e fazendo as curvas ao final das linhas e é capaz de colher 500 hectares de arroz em 8 ou 10 horas. Tudo desenvolvido pela Country Garden, que inaugurou o centro de pesquisas com 4 mil hectares para testar suas invenções na área de máquinas autônomas e soluções de internet e nuvem. Os (poucos) dados são do site chinês Lanzixum.

Imagens

 

colheitadeira robô

 

colheitadeira

 

colheitadeira robô farmfor

 

trator robô

 

No final das contas, o trator e a colheitadeira não eram da cor vermelha e sim rosa. E o campo de trigo era na realidade de arroz.

Em caso de novidade sobre estas máquinas do futuro da China, informaremos aqui no Blog.

 

Veja também

 

Um batalhão de robôs chineses prontos para dominar o mundo


18 de novembro de 2021

Carne de cavalo era vendida para hamburguerias no RS


carne de cavalo

Operação do Ministério Público gaúcho revelou organização criminosa que abatia e comercializava carne de equinos em forma de hambúrgueres e bifes

 

Operação Hipo

O MP do Rio Grande do Sul “estourou” uma quadrilha que atuava no comércio ilegal de carnes. O grupo abatia e vendia carne de cavalo para hamburguerias na cidade de Caxias do Sul. Através do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) foram cumpridos seis mandatos de prisão preventiva e quinze de busca e apreensão, em oito locais nesta quinta, 18 de novembro.

O golpe foi confirmado através da análise de DNA de amostras do produto, que encontrou, além de carne de cavalo, carne de peru e suínos.

 

carne de cavalo

 

 

 

Fotos: Tiago Novo Coutinho | MPRS

 

Confira a nota do MP-RS:

 

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) – Segurança Alimentar, deflagrou no início da manhã desta quinta-feira, 18 de novembro, em Caxias do Sul, a operação Hipo. O objetivo é desarticular organização criminosa e apurar crimes contra as relações de consumo e contra a saúde pública. Estão sendo cumpridos, neste momento, seis mandados de prisão preventiva e 15 de busca e apreensão referentes a oito alvos.

Em análise às conversas interceptadas pelo MPRS com autorização da Justiça, o Gaeco apurou que o grupo investigado abastecia estabelecimentos da cidade com grandes quantidades de carne (em forma de hambúrgueres e bifes) provenientes do abate clandestino de equinos, suspeita que foi confirmada por meio da realização de perícias em duas hamburguerias de Caxias do Sul, em cujos lanches foi encontrada presença de DNA de cavalo. Também eram misturadas carnes de peru e suíno. “Eram distribuídos em torno de 800kg semanais”, conta o coordenador do Gaeco – Seguranca Alimentar, promotor de Justiça Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, que está à frente da operação e cumpre os mandados juntamente com o promotor da Especializada Criminal de Porto Alegre, Mauro Rockenbach.

Conforme o Ministério Público, o grupo não possui autorização para o abate e comercialização de nenhum tipo de carne. Assim, as atividades de abate, beneficiamento, armazenamento e comercialização vinham ocorrendo sem qualquer fiscalização, o que é essencial para prevenir que carnes sem inspeção de fiscais médicos veterinários sejam consumidas pelas pessoas.

ENTREVISTA COLETIVA

Os resultados da operação serão apresentados em entrevista coletiva à imprensa, às 11h, na sede do MP em Caxias do Sul, pelo coordenador do Gaeco – Segurança Alimentar, Alcindo Luz Bastos da Silva Filho. Também estarão presentes representantes da Secretaria Estadual da Saúde e da Secretaria Estadual da Agricultura, que também participam da operação, que conta com o apoio da Brigada Militar.

 

Veja também

Carne de cavalo, podre ou contaminada. Relembre o escândalo europeu de 2013


12 de novembro de 2021

Professor ensina crianças a carnear alce na sala de aula


carnear

Cada aluno ganhou uma faca e um pedaço de carne e a atividade é carnear e conhecer as particularidades do animal de caça nos EUA

Esta história não é nova e ocorreu no Alasca, nos Estados Unidos. Como parte de um programa educacional para ajudar as crianças a conhecerem melhor a realidade onde vivem, uma escola começou a promover atividades que incluem a caça, abate e processamento “manual” dos animais, em plena sala de aula.

O Alasca é a última fronteira americana e por lá é comum a caça como proteção e sobrevivência, seja através de arma de fogo ou armadilhas. Nada mais justo que as práticas sejam ensinadas para as crianças desde cedo. E esta é a filosofia da Chugiak High School.

Uma das atividades foi extrema: o professor Brian Mason chegou pela manhã com um alce abatido na camionete. Com a ajuda dos alunos, levou o animal para dentro da escola e carneou ali mesmo, dando os pedaços menores (e uma faca) para cada um desossar e entender mais sobre a anatomia da caça.

alasca

 

A turma processou em sala de aula cerca de 90 kg de carne. Parte foi usada em um jantar de confraternização e o excedente doado para a caridade.

Provavelmente o Facebook e o Google vão limitar o alcance desta publicação só por conta das imagens e do tipo de informação que “ofende” pelo menos uns 3 grupos nas redes sociais. Compartilhe com um amigo, antes que apaguem! 

Receba nosso conteúdo pelo Telegram. Acesse este link para entrar no canal.

Veja também

Heineken tenta lacrar com “Dia Sem Carne” e leva invertida nas redes


26 de outubro de 2021

Kubota Fede: japoneses compram fabricante de pulverizadores da Espanha


kubota fede

kubota fede

Kubota Fede? Provavelmente, as notícias sobre a aquisição não usarão esta nomenclatura, por motivos óbvios.

A japonesa Kubota assumiu o controle da empresa espanhola Fede, fundada nos anos 60 e líder na fabricação de atomizadores

 

Os japoneses da Kubota compraram a Fede da Espanha, conhecida por ser fabricante de equipamentos inteligentes para pulverização. Um orgulho espanhol caindo nas mãos de uma empresa estrangeira, fato que gerou algum ruído na comunidade agrícola do país. A Fede também tem presença forte em Portugal.

Espanha Fede

A Kubota realizou a compra de 100% das ações da Fede, que passa para o controle da Kubota Holdings Europe, subsidiária da matriz no continente europeu.

Faz todo o sentido para a Kubota adquirir esta importante fabricante de implementos, unificando as tecnologias dos tratores com os pulverizadores. A sinergia promete ganhos em questões ambientais e economia de combustíveis.

Por enquanto, a marca espanhola seguirá existindo, assim como as estruturas do fabricante e assistência.

Veja também

Pulverizadores Fede entra en el Grupo Kubota

Kubota compra parte da indiana Escorts Agri Machinery

 


25 de outubro de 2021

Tá faltando motorista de caminhão nos Estados Unidos


motorista de caminhão

motorista de caminhão

A associação dos caminhoneiros da América estima que em 2021 o país chegará na marca histórica de 80 mil vagas não preenchidas

Tá faltando motorista de caminhão nos Estados Unidos e todos os setores produtivos estão com problemas, incluindo aí o agronegócio. A American Trucking Association emitiu recentemente um relatório alertando sobre a falta histórica de 80 mil profissionais neste ano. E este número poderá dobrar até 2030. Os profissionais que fazem longas viagens entre os estados são os que mais faltam no mercado.

Entre as causas para a falta de caminhoneiros estão a média alta de idade (muitas aposentadorias), baixo interesse das mulheres (apenas 7% da força de trabalho), falta de motoristas “limpos” ou capazes de passar em um teste toxicológico, idade mínima de 21 anos (questão legal) para os novos motoristas e até mesmo a falta de estrutura de “beira de estrada” para atender os profissionais.

Segundo o site Talent.com, o salário médio de um motorista de caminhão nos Estados Unidos é de US$ 62 mil anuais ou US$ 32 por hora. Montana é o estado com o melhor valor (US$ 75 mil). Já o site especializado em vagas de emprego, o Indeed, aponta o valor médio nos EUA de US$ 70 mil.


14 de outubro de 2021

Aprosoja sofre ataque terrorista em Brasília


aprosoja

Via Campesina assumiu abertamente a autoria do ataque que depredou a sede da entidade em Brasília

aprosoja

A Via Campesina coordenou um ataque terrorista na sede da Aprosoja – Associação Brasileira dos Produtores de Soja – na tarde desta quinta, 14 de Outubro. A entidade foi atacada como representante do agronegócio, eterno inimigo destas siglas ligadas a movimentos de esquerda no país.

Ainda que muitos veículos coloquem em destaque o acontecido apenas como “vandalismo”, o melhor seria dar nome aos bois e colocar o ato como ele é: terrorismo.

Segundo o Dicionário Oxford, terrorismo é definido como A) modo de impor a vontade pelo uso sistemático do terror. B) emprego sistemático da violência para fins políticos, esp. a prática de atentados e destruições por grupos cujo objetivo é a desorganização da sociedade existente e a tomada do poder. C) ameaça do uso da violência a fim de intimidar uma população ou governo, ger. motivada por razões ideológicas ou políticas e D) regime de violência instituído por um governo. 

 

A nota da Aprosoja

A Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) repudia de forma veemente a invasão e a depredação de sua sede na manhã desta quinta-feira (14.10), em Brasília.

A entidade já está tomando as providências cabíveis junto às autoridades policiais para que os responsáveis sejam identificados e responsabilizados por cada um dos crimes cometidos.

Esta invasão covarde é uma afronta ao Estado Democrático de Direito e coloca em risco a integridade física de seus colaboradores e associados.

No momento da invasão, uma funcionária da associação que estava no recinto precisou se esconder dentro do banheiro com medo de ser agredida pelas mais de 60 pessoas que participaram do crime.

Apesar do episódio, a entidade seguirá representando milhares de produtores rurais de todos os tamanhos e de todos os estados brasileiros que produzem soja e milho, grãos esses que são essenciais para garantir a alimentação da população brasileira e de diversos países.

Sem soja e milho não seria possível produzir carnes, leites, ovos e derivados, nem gerar e manter milhões de empregos no campo e, principalmente, nas cidades, com toda uma cadeia complexa de comércio, serviços e de logística induzida pela produção no campo.

Manifestações como esta não constroem nada de bom e são o oposto do que a sociedade brasileira precisa neste momento, que é de união, serenidade e equilíbrio para superar os efeitos da pandemia e da crise econômica que se seguiu, gerar empregos e combater a fome e cuidar dos mais vulneráveis. E é com este espírito que nos revestiremos para seguir trabalhando.

Ascom Aprosoja Brasil

O que diz o MST

VIA CAMPESINA OCUPA APROSOJA, EM BRASÍLIA!

Na manhã desta quinta (14), a Via Campesina ocupou a sede da Aprosoja, em Brasília (DF), com cerca de 200 pessoas escrachando o agronegócio e denunciando a fome, como parte da Jornada Nacional pela Soberania Alimentar!
O agronegócio tem estimativa de lucro na faixa do 1 trilhão de reais ainda em 2021. A soja ocupa 4% do território brasileiro, equivalente a 36 milhões de hectares. Tudo isso em meio a uma pandemia de já matou mais de 600 mil pessoas. E em um Brasil que sofre com 20 milhões de trabalhadoras e trabalhadores famintos.
Bolsonaro vetou o Projeto de Lei 823/2021 (PL Assis Carvalho), uma iniciativa organizada pelos movimentos populares do campo para garantir a Soberania Alimentar no país através de subsídios e investimentos na agricultura familiar e camponesa. Isso demonstra que o governo Bolsonaro é culpado pela miséria e pela fome dos brasileiros e brasileiras.
Bolsonaro se Alimenta da nossa Fome!
BolsoAgro é Fome, é Tóxico, é Fogo, é Morte!

O que diz a Via Campesina

Via Campesina Brasil ocupa Aprosoja em Brasília nesta quinta-feira (14)

via campesina aprosoja
Ação faz parte da Jornada Nacional da Soberania Alimentar que denuncia Agronegócio do país_
As Organizações da Via Campesina Brasil realizam, nesta quinta-feira (14), ações simbólicas nas cinco regiões do país em denúncia ao atual contexto do aumento da fome no Brasil, que faz parte da estratégia política do governo Bolsonaro. Em Brasília, no Distrito Federal, como parte da “Jornada Nacional da Soberania Alimentar: Contra o Agronegócio para o Brasil não passar fome”, ocorreu uma ocupação da Aprosoja (Associação Brasileira dos Produtores de Soja) pelos movimentos que compõem a Via Campesina.
A ação, que contou com a participação de cerca de 200 camponeses e camponesas, denunciou o protagonismo que o Agronegócio cumpre no crescimento da fome, da miséria e no aumento do preço dos alimentos no Brasil. Neste ano, o Agronegócio, com a produção de soja, milho e cana-de-açúcar, principalmente, está batendo recordes de exportações e lucros.

A extrema esquerda desafia Bolsonaro

A baixa quantidade de invasões de terras e atos do MST e assemelhados é peça constante do marketing presidencial. Com este ataque, fica a curiosidade quando aos procedimentos que serão adotados pelo Governo Federal e as forças de resposta a este tipo de ação, inteligência, identificação dos culpados e indenização. É preciso esclarecer se a questão terrorista vive apenas no mundo da disputa semântica ou o Estado Brasileiro vê assim dentro do nosso ordenamento jurídico.



Publicidade